30062022Qui
AtualizadoQua, 29 Jun 2022 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Resultados funcionais e oncológicos da cirurgia renal para tumores hilares

alvim nogueiraNão há consenso se os tumores hilares renais devem ser melhor tratados por nefrectomia radical ou parcial. Para contribuir com o debate, um estudo liderado pelo urologista brasileiro Ricardo Alvim (na foto, à direita), professor assistente do Departamento de Urologia UPMC, na Universidade de Pittsburgh, e Lucas Nogueira, preceptor de Uro-oncologia do Hospital das Clinicas da UFMG, buscou descrever comparativamente a segurança e eficácia da nefrectomia parcial e radical em tumores hilares renais. Os resultados foram publicados no periódico Urology.

No estudo, os autores ainda como fellows em Uro-oncologia no Hospital Memorial Sloan Kettering Cancer Center (MSKCC) em Nova York, revisaram retrospectivamente os pacientes com massa renal solitária pequena (ate 5 cm) hilar ou não hilar que foram submetidos a nefrectomia parcial (PN) ou radical (RN) entre 2008 e 2018 naquela instituicao (MSKCC). Tumores hilares foram definidos como aqueles em posição medial, adjacentes aos vasos renais, considerados complexos (RENAL score> 9). A sobrevida livre de recorrência, sobrevida câncer-específica e sobrevida global foram estimadas usando o método de Kaplan-Meier.

Resultados

Entre os 1.951 pacientes elegíveis, 399 tinham tumores hilares (292 no grupo submetido a PN, 107 no grupo submetido a RN) e 1.552 com tumores não hilares (todos submetidos a PN). Não foram encontradas diferenças significativas nas sobrevidas livre de doenca, canccer especifica e global entre tumores hilares e não hilares em pacientes submetidos a nefrectomia parcial.

Nos tumores Hilares, os pacientes submetidos a nefrectomia parcial (PN) tiveram taxas mais altas de complicações cirúrgicas pós-operatórias de grau II ou superior em comparação ao mesmo procedimento (PN) realizado em pacientes portadores de tumores não hilares (13% vs 8,6%; log-rank P = 0,018). Entretranto, nao houve diferenca estatisticamente significativa nas complicações (grau II ou superior) nos tumores hilares tratados por PN ou RN (13% vs 6,5%; diferença 6%, 95% CI 0,4%, 13%; log-rank P = 0,07).

Os resultados sugerem que a nefrectomia parcial para massas renais hilares e não hilares (<5 cm) apresentam resultados oncológicos semelhantes. Pela maior complexidade da ressecao cirugica, os tumores hilares apresentam um risco maior de complicações. “Com relacao especificamente aos tumores hilares, a nefrectomia parcial foi associada a uma melhor função renal e maior sobrevida global, com um risco não estatisticamente elevado de complicações grau II ou superior em comparação com a nefrectomia radical. A simples localizacao hilar de um tumor renal não deve ser considerada uma contraindicação para a realização de nefrectomia parcial”, concluíram os autores.

Referência: Functional and oncological outcomes of renal surgery for hilar tumors: informing the decisions in risk-adapted management. – Ricardo G. Alvim et al - Published: July 28, 2021 DOI:https://doi.org/10.1016/j.urology.2021.07.014


Publicidade
Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
FARMAUSA
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519