25052022Qua
AtualizadoTer, 24 Maio 2022 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Anti PD-1 e terapia celular adotiva mostram resultados promissores no CPCNP

gustavo schvartsman 19Pesquisadores do Moffitt Cancer Center acreditam que uma combinação do inibidor de checkpoint imune com terapia celular adotiva pode oferecer resultados em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas avançado. O estudo clínico de fase 1 foi publicado na Nature Medicine. “O trabalho é o primeiro a demonstrar atividade de TILs em câncer de pulmão avançado como tentativa de resgate após a falha de anti-PD1”, observa o oncologista Gustavo Schvartsman (foto), do Hospital Israelita Albert Einstein.

Vinte pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) ressecado foram incluídos no estudo piloto. Os pesquisadores cultivaram células de linfócitos do infiltrado tumoral (TILs) extraídas das amostras tumorais, que foram cultivadas para serem reinfundidas no paciente.

Cada paciente recebeu nivolumabe e aqueles que apresentaram progressão receberam a terapia TIL seguida por terapia de manutenção com nivolumabe. O endpoint primário foi a análise de segurança; endpoints secundários incluíram taxa de resposta objetiva, duração de resposta e persistência de células T.

O principal endpoint primário foi alcançado, com os critérios pré-especificados de taxa ≤17% de toxicidade grave (intervalo de confiança de 95%, 3-29%). Dos 13 pacientes avaliáveis, 3 tiveram respostas confirmadas e 11 tiveram redução na carga tumoral, com mediana de 35%. Dois pacientes obtiveram respostas completas que continuaram sustentadas 18 meses depois. Em análises exploratórias, os clonotipos de células T reativas ao neoantígeno aumentaram e persistiram no sangue periférico após o tratamento.

Segundo Schvartsman, a terapia celular com expansão de linfócitos infiltrativos de tumor (TILs) já tem atividade robusta estabelecida no tratamento do melanoma avançado. “Mais recentemente, com otimização da produção das células em laboratório central, sua aprovação regulatória pelo FDA e comercialização nacional deve ocorrer em breve”, afirma. “Os resultados são muito interessantes, e devem motivar estudos maiores tanto no cenário refratário, que carece de boas opções, como em combinação com o imunoterápico antes da resistência adquirida surgir”, acrescenta.

Em síntese, a terapia celular com TILs autólogos foi segura e clinicamente ativa, com potencial de constituir uma nova estratégia de tratamento no câncer de pulmão metastático. “Nossos dados indicam que o TIL pode mediar respostas tumorais eficazes em subtipos que não são sensíveis à terapia tradicional direcionada ao checkpoint imunológico. Portanto, acreditamos que o TIL pode estender o escopo e o impacto da imunoterapia em populações mais amplas”, disse Ben Creelan, médico do Departamento de Oncologia Torácica da Moffitt.

Este estudo está registrado na plataforma ClinicalTrials.gov: NCT03215810. 

Referência: Creelan, B.C., Wang, C., Teer, J.K. et al. Tumor-infiltrating lymphocyte treatment for anti-PD-1-resistant metastatic lung cancer: a phase 1 trial. Nat Med 27, 1410–1418 (2021). https://doi.org/10.1038/s41591-021-01462-y

 


Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519