26102021Ter
AtualizadoSeg, 25 Out 2021 12am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ECOG-ACRIN: Entinostat não tem papel no câncer de mama avançado

mama 2020 bxEstudo multicêntrico do grupo de pesquisa ECOG-ACRIN reportou em artigo online no Journal of Clinical Oncology (JCO) resultados finais do ensaio de Fase 3 que avaliou entinostat no câncer de mama avançado. Os resultados já haviam sido apresentados no San Antonio Breast Cancer Symposium em 2020 e mostram que apesar dos dados pré-clínicos e de Fase II, o estudo não atingiu nenhum dos endpoints primários e, portanto, não oferece suporte para um papel de entinostat nesse cenário.

A resistência à terapia endócrina no câncer de mama avançado continua a ser um problema clínico significativo. Neste estudo (E2112) multicêntrico de fase III, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo, foram avaliados homens e mulheres com câncer de mama receptor hormonal positivo (HR+) e HER2-negativo avançado, com progressão da doença após tratamento com inibidor de aromatase (IA) não esteroide. Os participantes foram randomizados para receber exemestano 25 mg por via oral uma vez ao dia e entinostate (EE) ou placebo (EP) 5 mg por via oral uma vez por semana. Os endpoints primários foram sobrevida livre de progressão (SLP) por revisão central e sobrevida global (SG). Os endpoints secundários incluíram segurança, taxa de resposta objetiva e alteração da acetilação da lisina nas células mononucleares do sangue periférico entre a linha de base e o ciclo de 1 dia 15. 

Resultados

Seiscentos e oito pacientes foram randomizados de março de 2014 a outubro de 2018. A idade média foi de 63 anos (variação de 29-91), 60% com doença visceral e 84% com progressão após IA não esteroidal em cenário metastático. Os tratamentos anteriores incluíram quimioterapia (60%), fulvestranto (30%) e inibidor da quinase dependente de ciclina (35%).

Os eventos adversos de grau 3 e 4 mais comuns no braço EE incluíram neutropenia (20%), hipofosfatemia (14%), anemia (8%), leucopenia (6%), fadiga (4%), diarreia (4%) e trombocitopenia (3%). A SLP mediana foi de 3,3 meses (EE) versus 3,1 meses (EP; HR = 0,87; IC de 95%, 0,67 a 1,13; P = 0,30). A SG mediana foi de 23,4 meses (EE) versus 21,7 meses (EP; HR = 0,99; IC de 95%, 0,82 a 1,21; P = 0,94). A taxa de resposta objetiva foi de 5,8% (EE) e 5,6% (EP). A análise farmacodinâmica confirmou a inibição do alvo em pacientes tratados com entinostate.

“A combinação de exemestano e entinostat não melhorou a sobrevida em pacientes com câncer de mama HR-positivo avançado, HER2-negativo resistente a IA”, concluem os autores. 

Referência: E2112: Randomized Phase III Trial of Endocrine Therapy Plus Entinostat or Placebo in Hormone Receptor–Positive Advanced Breast Cancer. A Trial of the ECOG-ACRIN Cancer Research Group - Roisin M. Connolly et al - DOI: 10.1200/JCO.21.00944 Journal of Clinical Oncology - Published online August 06, 2021

 

 

Publicidade
Outubro Rosa A.C.Camargo 2021
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519