04082021Qua
AtualizadoTer, 03 Ago 2021 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Teste genômico em pacientes com câncer de mama inicial, uma experiência no SUS

andre mattar jpgO mastologista André Mattar (foto) é primeiro autor de estudo brasileiro publicado 28 de junho no JCO Global Oncology, com dados que mostram o impacto do teste de 21 genes nas decisões de tratamento de pacientes com câncer de mama inicial tratadas em duas instituições públicas de saúde.

Foram elegíveis pacientes tratadas no Hospital Pérola Byington e na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com câncer de mama receptor hormonal positivo, HER2 negativo, com ou sem disseminação nodal (T1 / T2), candidatas à terapia sistêmica adjuvante. As recomendações de tratamento, quimioterapia mais terapia hormonal (QT + HT) ou HT isoladamente foram coletadas antes e depois do teste de 21 genes.

Resultados

De agosto de 2018 a abril de 2019, o estudo inscreveu 179 mulheres, com idade média de 58 anos (29-86 anos), 135 (76%) na pós-menopausa e 58 (32%) com câncer de mama linfonodo positivo. A maioria das pacientes (61%) tinha tumor > 2 cm, incluindo 7% com tumores > 4 cm.

A análise utilizou os resultados do Recurrence Score (RS) com base no estudo TAILORx e mostrou que 40 (22%) tiveram RS 0-10, 91 (51%) tiveram RS 11-25 e 48 (27%) tiveram RS 26-100. Antes do teste de 21 genes, Mattar e colegas relatam que 162 de 179 (91%) pacientes tinham recomendação para QT. Após o teste, 117 de 179 pacientes (65%) tiveram alterações na recomendação de tratamento: 112 (63%) com recomendação inicial de QT receberam apenas HT e cinco (3%) que receberam inicialmente a recomendação de QT isoladamente receberam QT + HT.

Após o teste de 21 genes, 99% dos médicos relataram forte confiança em suas recomendações de tratamento.

“A mudança na prática clínica nesses hospitais públicos foi maior do que o esperado: 66% das recomendações iniciais de tratamento foram alteradas para omitir a QT após os resultados do teste de 21 genes. As características clínico-patológicas não se correlacionaram bem com os resultados do teste de 21 genes e não identificaram adequadamente aqueles com maior probabilidade de se beneficiar da QT”, concluem os autores.

Mattar et al. avaliam que esses resultados sugerem o potencial para economia de custos da saúde pública com o uso rotineiro do teste de 21 genes em pacientes com câncer de mama inicial e estudo específico está sendo feito para este fim.

Referência: Substantial Reduction in Adjuvant Chemotherapy With the Use of the 21-Gene Test to Manage Early Breast Cancer in a Public Hospital in Brazil - DOI: 10.1200/GO.20.00609 JCO Global Oncology no. 7 (2021) 1003-1011. Published online June 28, 2021.

 

Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519