26102021Ter
AtualizadoSeg, 25 Out 2021 12am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Neoplasia trofoblástica gestacional e o tratamento em pacientes de alto risco

braga 21 2Antonio Braga (foto), pesquisador da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Universidade Federal Fluminense, é primeiro autor de estudo realizado em três centros de referência no tratamento de neoplasia trofoblástica gestacional (NTG) no Reino Unido, Brasil e Estados Unidos. “O objetivo desse estudo foi identificar fatores preditivos de resistência à terapia de agente único para tratamento da NTG para informar os médicos sobre quais pacientes com escore de risco da Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) de 5 ou 6 podem se beneficiar da quimioterapia multiagente inicial”, destacam os autores, em artigo publicado 25 de junho no Lancet Oncology.

Dados já reportados mostram que pacientes com NTG com escore de risco 5 ou 6 da FIGO geralmente recebem quimioterapia de agente único como tratamento de primeira linha, pelo geral o Methotrexate. No entanto, apenas um terço dessas pacientes alcançam remissão completa com o tratamento primário e as demais necessitam de quimioterapia multiagente para atingir a remissão, habitualmente o utilizando o regime EMA/CO.

Neste estudo multicêntrico foram considerados pacientes com NTG e escore FIGO de 5 ou 6, tratados em três centros de referência no Reino Unido (Imperial College of London), Brasil (UFRJ) e EUA (Harvard Medical School) entre 1º de janeiro de 1964 e 31 de dezembro de 2018. Todas as pacientes que receberam agente único ou múltiplos e foram acompanhadas por pelo menos 12 meses após a remissão foram incluídas na análise. O principal endpoint do estudo foi a incidência de resistência após quimioterapia de primeira (Methotrexate) ou segunda linha com agente único (Actinomicina-D ou Carboplatina). Variáveis ​​associadas à quimiorresistência foram identificadas por análise de regressão logística. Um modelo foi desenvolvido para identificar grupos de pacientes com risco superior a 80% (ou seja, valor preditivo positivo [PPV] de 0 8) de resistência à quimioterapia de agente único.

Resultados

De 5.025 pacientes com NTG de baixo risco, os pesquisadores identificaram 431 pacientes com escore de risco FIGO de 5 ou 6. Todas as pacientes foram acompanhadas por um período mínimo de 2 anos. 141 (40%) de 351 pacientes desenvolveram resistência aos tratamentos de agente único e necessitaram de quimioterapia multiagente para atingir a remissão. A regressão logística univariada e multivariável revelou que o status da doença metastática (análise de regressão logística multivariável, odds ratio [OR] 1 · 9 [IC 95% 1 · 1-3 · 2], p = 0 · 018), histologia de coriocarcinoma (3 · 7 [ 1 · 9–7 · 4], p = 0 · 0002) e concentração de gonadotrofina coriônica humana pré-tratamento (2 · 8 [1 · 9–4 · 1], p <0 · 0001) foram preditores significativos de resistência à terapia com agente único. Em pacientes sem doença metastática e sem coriocarcinoma, uma concentração de gonadotrofina coriônica humana pré-tratamento de 411.000 IU / L ou superior rendeu um PPV de 0,8, enquanto em pacientes com metástases ou coriocarcinoma, uma concentração de gonadotrofina coriônica humana pré-tratamento de 149.000 IU / L ou superior produziu o mesmo PPV para resistência à terapia de agente único.

Em conclusão, aproximadamente 60% das mulheres com NTG e escore de risco FIGO de 5 ou 6 obtêm remissão com terapia com agente único; quase todas as pacientes restantes apresentam remissão completa com quimioterapia multiagente subsequente. “A quimioterapia multiagente primária deve ser administrada apenas a pacientes com doença metastática e coriocarcinoma, independentemente da concentração de gonadotrofina coriônica humana pré-tratamento, ou para mulheres definidas por nossos novos preditores”, concluem os autores.

O estudo foi financiado pela Bolsa de Produtividade em Pesquisa do CNPq (Antonio Braga: 311862/2020-9).

Referência: Antonio Braga et al. Predictors for single-agent resistance in FIGO score 5 or 6 gestational trophoblastic neoplasia: a multicentre, retrospective, cohort study. Lancet OncologyDOI: https://doi.org/10.1016/S1470-2045(21)00262-X


Publicidade
Outubro Rosa A.C.Camargo 2021
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519