04082021Qua
AtualizadoTer, 03 Ago 2021 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

CTCs de pacientes com câncer de reto localmente avançado e resistência à quimiorradioterapia neoadjuvante

virgilio 2021 bxO oncologista Virgilio Souza (foto), médico do A.C.Camargo Cancer Center, é o primeiro autor de estudo que buscou avaliar a ausência da expressão do homólogo B de RAD23 (RAD23B) e da timidilato sintase (TYMS) em células tumorais circulantes (CTCs) e sua relação com a resposta patológica completa à quimiorradioterapia neoadjuvante em pacientes com câncer de reto localmente avançado. O artigo foi publicado no periódico Cells, como parte da edição especial ‘Circulating Tumor Cells: Finding Rare Events for A Huge Knowledge of Cancer Dissemination’.

“Reforçamos dados publicados anteriormente que favorecem a aplicabilidade da CTCs no manejo de pacientes com câncer de reto localmente avançado (LARC). Infelizmente, a resposta à quimiorradioterapia neoadjuvante (NCRT) é heterogênea, com cerca de apenas 20% dos pacientes apresentando resposta patológica completa (pCR) e 40% dos pacientes sem resposta ou com resposta mínima”, esclarece a publicação.

Estudos importantes têm demonstrado a relevância do pCR como um desfecho que deve ser alcançado no NCRT, pois está associado à sobrevida livre de doença e sobrevida global em 5 anos melhoradas. “Para pacientes com pCR, especialmente para tumores do reto distal, a estratégia watch and wait (WW) é bastante atrativa e segura. No entanto, a resposta clínica apresenta correlação pobre com a resposta patológica. Além da retoscopia, exame físico e da imagem, novas ferramentas são necessárias para prever a resposta com mais precisão”, observam os autores.

Nesse estudo, as CTCs foram avaliadas prospectivamente em 166 amostras de sangue (63 pacientes) com LARC submetidos à NCRT. O objetivo principal foi verificar se a ausência de RAD23B / TYMS em CTCs se correlacionaria com a resposta patológica completa. Os objetivos secundários foram correlacionar a cinética do CTC antes (C1) / após a quimiorradioterapia neoadjuvante (C2), além da expressão do receptor I do fator transformador de crescimento β (TGF-βRI), com as taxas de sobrevida. As CTCs foram isoladas pelo método ISET e avaliadas por imunocitoquímica (expressão de proteínas) no laboratório de pesquisa de CTCs coordenado por Ludmilla Chinen, no A.C.Camargo Cancer Center.

Em C1, RAD23B foi detectado em 54,1% dos pacientes sem resposta patológica completa, e ausente em 91,7% dos pacientes com pCR (p = 0,014); TYMS foi observada em 90% dos pacientes com pCR e TYMS+ em 51,7% sem pCR (p = 0,057). Pacientes com CTC2> CTC1 tiveram pior sobrevida livre de doença (SLD) (p = 0,00025) e sobrevida global (SG) (p = 0,0036) em comparação com aqueles com CTC2 ≤ CTC1. A expressão de TGF-βRI em qualquer momento foi correlacionada com pior SLD (p = 0,059).

“Demonstramos que a expressão de RAD23B foi associada a uma menor chance de resposta patológica completa em comparação com nenhuma expressão nas análises univariada (OR 0,077; 95% CI; 0,009–0,661; p = 0,019) e multivariada (OR 0,064 (95% CI), 0,006–0,751; p = 0,029). Apesar do amplo intervalo de confiança, justificado principalmente pelo número de pacientes envolvidos no modelo de regressão (n = 47), esse dado demonstra que a presença de RAD23B em CTC1 implica em 93,6% de chance de não apresentar resposta patológica completa à quimiorradioterapia neoadjuvante”, destacam os autores.

“Até onde sabemos, nossos resultados são os primeiros a mostrar o possível papel dessa molécula no câncer de reto e sua análise em CTCs pode ser uma ferramenta adicional para complementar os exames de avaliação de resposta já adotados na prática médica, reforçando as evidências da resposta clínica completa (cCR) para a estratégia de watch and wait”, acrescentam.

Os autores observam que para não respondedores, o NCRT padrão deve ser reavaliado a fim de evitar toxicidades desnecessárias ou, eventualmente, estabelecer novas estratégias de tratamento capazes de otimizar a resposta desses pacientes, como a adoção de tratamentos mais intensos de acordo com o raciocínio proposto pela estratégia da terapia neoadjuvante total (TNT).

“Nossos resultados reforçam que a estratificação de risco deve ser melhorada e a incorporação da biópsia líquida deve ser considerada, a fim de evitar o tratamento excessivo de alguns pacientes. Além disso, marcadores como RAD23B e TYMS em CTCs poderiam identificar pacientes radiorresistentes ao tratamento NCRT padrão, facilitando o tratamento personalizado do câncer de reto”, concluem.

Referência: Silva, Virgílio S.e.; Abdallah, Emne A.; Flores, Bianca d.C.T.; Braun, Alexcia C.; Costa, Daniela d.J.F.; Ruano, Anna P.C.; Gasparini, Vanessa A.; Silva, Maria L.G.; Mendes, Gustavo G.; Claro, Laura C.L.; Calsavara, Vinicius F.; Aguiar Junior, Samuel; de Mello, Celso A.L.; Chinen, Ludmilla T.D. 2021. "Molecular and Dynamic Evaluation of Proteins Related to Resistance to Neoadjuvant Treatment with Chemoradiotherapy in Circulating Tumor Cells of Patients with Locally Advanced Rectal Cancer" Cells 10, no. 6: 1539.

 

 

Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519