27092021Seg
AtualizadoSex, 24 Set 2021 3pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Subestimação histológica e biópsia do linfonodo sentinela no CDIS

Nazario NET OKEstudo que analisou a taxa de subestimação histológica e a taxa de resultados positivos de biópsia de linfonodo sentinela em pacientes com diagnóstico de carcinoma ductal in situ (CDIS) em um hospital público brasileiro reportou resultados na Dove Med, em artigo de Rafael da Silva Sá e colegas, que tem como autor sênior o mastologista Afonso Celso Pinto Nazário (foto), da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Os autores lembram que o rastreamento mamográfico tornou-se amplamente difundido e proporcionou aumento acentuado no diagnóstico de carcinoma ductal in situ (CDIS). “No CDIS, o epitélio ductal prolifera sem invasão através da membrana da célula basal. No entanto, a subestimação histológica pode ocorrer em alguns casos”, apontam,  compreendendo como subestimados os resultados histopatológicos atualizados para carcinoma invasivo após a cirurgia. Neste estudo foram revisados os prontuários médicos de todos os pacientes consecutivos admitidos entre 2009 e 2013 com diagnóstico inicial de CDIS por meio de biópsia por agulha. Casos de CDIS com alto risco de invasão foram submetidos a  biópsia de linfonodo sentinela (SLNB, da sigla em inglês). Foram excluídos os casos com componentes de invasão ou microinvasão na primeira biópsia.

Resultados

A análise incluiu 86 mulheres, a maioria com microcalcificações como lesão radiológica primária (73,2%) submetidas a biópsia pré-operatória, com componente invasivo em 21 (24,4%) no laudo anatomopatológico final. A maioria tinha carcinoma invasivo de nenhum tipo especial (NST): 52,3% (n = 11) e tumores microinvasivos (7 casos, 33,3%). Os autores descrevem que principais fatores associados à subestimação histológica foram lesão nodular (61,9%, p <0,001) e biópsia guiada por ultrassonografia (71,4%, p = 0,0005). A taxa de positividade da SLNB foi de 4,3%. Todos esses pacientes foram submetidos à mastectomia e o padrão histológico inicial foi de CDIS sólido.

Em síntese, a taxa de subestimação histológica entre os pacientes com CDIS não foi baixa, de 24,4% e menos de 5% ( 4,3%) dos pacientes submetidos a SLNB apresentaram positividade axilar. Para os autores, esses resultados sugerem que pacientes com CDIS com alto risco de invasão e submetidas à mastectomia devem ter SLNB. Quanto às pacientes que serão submetidas à mastectomia, destacam que a SLNB pode ser omitida e realizada nos casos em que houver evolução para câncer de mama invasivo.

“Nossos resultados mostram que apenas 4,3% de todas as pacientes submetidas a SLNB apresentavam linfonodos axilares positivos, sendo que todas foram submetidas a mastectomia”, analisam os autores. ”Todas as pacientes que tiveram indicação de SLNB durante a mastectomia não apresentavam metástases linfonodais, incluindo os sete casos (33,3%) do grupo subestimado. Encontramos carcinoma ductal in situ com padrão sólido em todos os casos de SLNB positivo, mas sem significância estatística (p = 0,1704)”, concluem.

et al. recomendam mais estudos sobre o subtipo histológico sólido, relacionado à maioria dos casos subestimados e identificado como lesão inicial nos casos com metástase axilar. “Todos os casos subestimados de carcinoma microinvasivo também tiveram status axilar negativo. Portanto, a ressecção de 61 linfonodos (total de linfonodos ressecados durante a mastectomia de pacientes de alto risco para invasão) poderia ter sido evitada. Em 100% dos casos de metástases em linfonodos, o padrão histológico inicial era CDIS sólido”, reforça a publicação.

O mastologista Afonso Nazário destaca que este estudo mudou a indicação cirúrgica de biópsia do linfonodo sentinela na Escola Paulista de Medicina-Unifesp e também na clínica privada. “Embora a taxa de linfedema após a biópsia de linfonodo sentinela seja baixa, pode ocorrer em 4 a 8% dos casos. Podendo evitá-la, menos linfedema e melhor qualidade de vida para as pacientes”, conclui.

Referência: Sá RS, Logullo AF, Elias S, Facina G, Sanvido VM, Nazário ACP. Ductal Carcinoma in situ: Underestimation of Percutaneous Biopsy and Positivity of Sentinel Lymph Node Biopsy in a Brazilian Public Hospital. Breast Cancer (Dove Med Press). 2021;13:409-417 https://doi.org/10.2147/BCTT.S314447


Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519