01122021Qua
AtualizadoSeg, 29 Nov 2021 7pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

ASCENT: sacituzumabe govitecan no câncer de mama triplo-negativo metastático

Bardia bxEm pacientes com câncer de mama triplo-negativo metastático, o anticorpo droga-conjugado sacituzumabe govitecano (Trodelvy®, Immunomedics, Inc.) quase dobrou a sobrevida global em comparação com a quimioterapia de agente único. Os resultados do Fase III ASCENT foram publicados no New England Journal of Medicine (NEJM), em artigo que tem o oncologista Aditya Bardia (foto), diretor de medicina de precisão do Massachusetts General Cancer Center, como primeiro autor.

Sacituzumabe govitecan é um anticorpo droga-conjugado composto por um anticorpo que visa o antígeno 2 da superfície celular trofoblástica (TROP-2), expresso na maioria dos cânceres de mama, acoplado ao inibidor da topoisomerase I (SN-38).

Neste estudo randomizado de Fase III, os pesquisadores avaliaram sacituzumabe govitecano em comparação com a quimioterapia de agente único de escolha do médico (eribulina, vinorelbina, capecitabina ou gencitabina) em pacientes com câncer de mama triplo-negativo metastático recidivado ou refratário. O endpoint primário foi a sobrevida livre de progressão por revisão central independente cega em pacientes sem metástases cerebrais.

Um total de 468 pacientes sem metástases cerebrais foram randomizados para receber sacituzumabe govitecano (n=235) ou quimioterapia (n=233). A mediana de idade foi de 54 anos, e todas as pacientes haviam recebido taxanos previamente.

Resutados

A mediana de sobrevida livre de progressão foi de 5,6 meses (95% CI, 4,3 a 6,3; 166 eventos) com sacituzumabe govitecano e 1,7 meses (95% CI, 1,5 a 2,6; 150 eventos) com quimioterapia (hazard ratio para progressão de doença ou morte, 0,41; 95% CI, 0,32 a 0,52; P <0,001).

O anticorpo droga-conjugado demonstrou mediana de sobrevida global de 12,1 meses (95% CI, 10,7 a 14,0) com sacituzumabe govitecano e 6,7 meses (95% CI, 5,8 a 7,7) com quimioterapia (hazard ratio para morte, 0,48; 95% CI, 0,38 a 0,59; P <0,001). A porcentagem de pacientes com resposta objetiva foi de 35% com sacituzumabe govitecano e 5% com quimioterapia.

Os principais eventos adversos de grau 3 ou superior relacionados ao tratamento foram neutropenia (51% com sacituzumabe govitecano e 33% com quimioterapia), leucopenia (10% e 5%), diarreia (10% e <1%), anemia (8% e 5%) e neutropenia febril (6% e 2%). Houve três mortes devido a eventos adversos em cada grupo, nenhuma delas relacionada ao tratamento com sacituzumabe govitecano.

“A sobrevida livre de progressão e sobrevida global foram significativamente maiores com sacituzumabe govitecano em comparação com quimioterapia de agente único em pacientes com câncer de mama triplo-negativo metastático. A mielossupressão e a diarreia foram mais frequentes com sacituzumabe govitecano”, concluíram os autores.

No início de abril, o agente foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) para o tratamento de pacientes com câncer de mama triplo-negativo localmente avançado ou metastático que receberam duas ou mais terapias sistêmicas anteriores, pelo menos uma delas no cenário metastático.

O estudo foi financiado pela Immunomedics, e está registrado em ClinicalTrials.gov, NCT02574455; EudraCT, 2017-003019-21.

Referência: Sacituzumab Govitecan in Metastatic Triple-Negative Breast Cancer - Aditya Bardia, M.D., Sara A. Hurvitz, M.D., et al., for the ASCENT Clinical Trial Investigators- April 22, 2021 - N Engl J Med 2021; 384:1529-1541 - DOI: 10.1056/NEJMoa2028485

 

 

Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519