14042021Qua
AtualizadoSeg, 12 Abr 2021 12am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Estudo japonês compara duas gerações de tratamento no câncer de pulmão

Pulm o 2017 NET OKQual a taxa de sobrevida em 10 anos para pacientes com câncer de pulmão não pequenas células irressecável estágio III tratados com quimiorradioterapia curativa, com regimes de segunda e terceira geração? Ensaio clínico randomizado de Fase III com 440 pacientes randomizados para 3 grupos de tratamento mostra que as probabilidades de sobrevida em 10 anos foram de 13,6 %, 7,5% e 15,2%.“Este estudo contribui com dados de controle históricos para comparar resultados de longo prazo em futuros ensaios clínicos de quimiorradioterapia”, reportam os autores, em artigo no Jama Oncology.

Com o objetivo de avaliar a sobrevida e os efeitos tóxicos tardios 10 anos após o tratamento do CPNPC com intenção curativa, este ensaio clínico multicêntrico de Fase 3 conduzido pelo West Japan Thoracic Oncology Group (WJTOG) foi realizado no Japão entre setembro de 2001 e setembro de 2005. Foram elegíveis pacientes com CPNPC confirmado histológica ou citologicamente com doença em estágio III irressecável.

Dados adicionais foram analisados ​​de janeiro de 2018 a dezembro de 2019. O principal endpoint foi a probabilidade de sobrevida 10 anos após a CRT. Desfechos secundários foram efeitos tóxicos tardios, mais de 90 dias após o início da CRT.

Os pacientes elegíveis foram randomizados para: A (controle), 4 ciclos de mitomicina / vindesina / cisplatina mais radioterapia torácica (RTT) de 60 Gy; B, irinotecano / carboplatina semanal por 6 semanas mais RTT de 60 Gy seguido por 2 cursos de consolidação de irinotecano / carboplatina; ou C, paclitaxel / carboplatina semanal por 6 semanas mais RTT de 60 Gy seguido por 2 cursos de consolidação de paclitaxel / carboplatina. 

Resultados

Os autores descrevem que de setembro de 2001 a setembro de 2005 foram inscritos 440 pacientes (grupo A, n = 146 [33,2%; idade mediana de 63 (31-74) anos; 18 mulheres (12,3%)]; grupo B, n = 147 [33,4%; idade mediana de 63 (30-75) anos; 22 mulheres (15,0%)]; grupo C, n = 147 [33,4%; idade mediana de 63 (38-74) anos; 19 mulheres (12,9%)]). O seguimento mediano foi de 11,9 anos.

Nos grupos A, B e C, a sobrevida global mediana foi de 20,5 (17,5-26,0), 19,8 (16,7-23,5) e 22,0 (18,7-26,2) meses, respectivamente, e as probabilidades de sobrevida em 10 anos foram de 13,6 %, 7,5% e 15,2%, respectivamente. Não houve diferença significativa na sobrevida global entre os grupos de tratamento.

Em 10 anos, as probabilidades de sobrevida livre de progressão foram de 8,5%, 6,5% e 11,1% nos grupos A, B e C, respectivamente. As taxas de efeito tóxico tardio de grau 3 ou 4 foram de 3,4% (coração, 0,7%; pulmão, 2,7%) no grupo A, e eventos que afetam apenas o pulmão representaram 3,4% e 4,1% nos grupos B e C, respectivamente. Nenhum outro efeito tóxico tardio (graus 3/4) foi observado nesta análise.

“Neste acompanhamento de 10 anos de um ensaio clínico de Fase III, o grupo C alcançou eficácia e perfis de toxicidade semelhantes aos do grupo A 10 anos após o início do tratamento. Esses resultados servem como um controle histórico para as comparações de longo prazo em futuros ensaios clínicos de CRT”, concluem os autores.

Referência: Zenke Y, Tsuboi M, Chiba Y, et al. Effect of Second-generation vs Third-generation Chemotherapy Regimens With Thoracic Radiotherapy on Unresectable Stage III Non–Small-Cell Lung Cancer: 10-Year Follow-up of a WJTOG0105 Phase 3 Randomized Clinical Trial. JAMA Oncol. Published online March 18, 2021. doi:10.1001/jamaoncol.2021.0113

 

 

Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519