23092021Qui
AtualizadoQua, 22 Set 2021 10pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Papel da dieta na incidência de câncer colorretal

Bruna Moraes Nutricao NET OKRevisão Guarda-Chuva de meta-análises de estudos observacionais prospectivos publicada no JAMA Network Open classificou as evidências da associação de padrões dietéticos, alimentos específicos, grupos de alimentos, bebidas (incluindo álcool), macronutrientes e micronutrientes com a incidência de câncer colorretal. Bruna Moraes (foto), nutricionista clínica do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), analisa os resultados.

Várias meta-análises reuniram evidências da associação entre fatores dietéticos e a incidência de câncer colorretal. No entanto, até o momento, houve pouca síntese da força, precisão e qualidade dessas evidências.

Nesse estudo, os autores pesquisaram dados do MEDLINE, Embase e Cochrane Library desde o início do banco de dados até setembro de 2019. Foram elegíveis apenas meta-análises de estudos observacionais prospectivos com um desenho de estudo de coorte entre adultos que investigaram a associação de fatores dietéticos com a incidência de câncer colorretal. A avaliação das revisões sistemáticas foi feita através da ferramenta AMSTAR-2. Os autores descreveram como foram realizadas as avaliações da qualidade das evidências encontradas nas meta-análises e a análise de sensibilidade para avaliar a força da evidência. A evidência de associação foi graduada de acordo com critérios estabelecidos – convincente, altamente sugestivo, sugestivo, fraco ou não significativo.

Resultados

Entre 9.954 publicações, 222 artigos completos (2,2%) foram avaliados para elegibilidade e foram selecionadas 45 meta-análises (20,3%) que descreveram 109 associações entre fatores dietéticos e incidência de câncer colorretal. No geral, 35 das 109 associações (32,1%) tinham significância estatística (p≤0,05), mas somente sete delas alcançaram significância estatística em p≤1x10-6. Dezessete associações (15,6%) demonstraram grande heterogeneidade entre os estudos (I2> 50%), enquanto efeitos de pequenos estudos foram encontrados para 11 associações (10,1%).

“No geral, 24 associações significativas (68,6%) sugeriram potenciais efeitos protetores de fatores dietéticos ou padrões dietéticos associados ao risco de CCR, incluindo adesão a uma dieta saudável, dieta mediterrânea, dieta pesco-vegetariana ou dieta semivegetariana e maior ingestão de fibra alimentar, grãos integrais, legumes, laticínios, incluindo iogurte e leite não fermentado, frutas e vegetais e micronutrientes (ou seja, cálcio suplementar e dietético, zinco, magnésio, vitamina A, vitamina B6, ácido fólico, vitamina D, vitamina E). As associações significativas restantes (31,4%) sugeriram maior risco de CRC com adesão a uma dieta não saudável ou dieta ocidental e aumento da ingestão de álcool, carne vermelha, carne processada, porco, ovos e ferro heme”, esclarece Bruna.

O viés de significância excessiva não foi detectado para qualquer associação entre dieta e CCR. A análise primária identificou 5 associações convincentes (4,6%), 2 altamente sugestivas (1,8%), 10 sugestivas (9,2%) e 18 associações fracas (16,5%) entre dieta e câncer colorretal, enquanto não houve evidência para 74 associações (67,9%).

Houve evidência convincente de uma associação de ingestão de carne vermelha (alta vs baixa) e álcool (≥4 bebidas/d vs 0 ou bebidas ocasionais) com a incidência de câncer colorretal, e uma associação inversa de ingestão superior vs inferior de fibra alimentar, cálcio e iogurte com risco da doença. As evidências para associações convincentes permaneceram robustas após análises de sensibilidade.

“Nossa revisão encontrou evidências convincentes de uma associação entre menor risco de câncer colorretal e maior ingestão de fibra alimentar, cálcio e iogurte, além de menor ingestão de álcool e carne vermelha. Mais pesquisas são necessárias sobre alimentos específicos para os quais as evidências permanecem sugestivas, incluindo outros produtos lácteos, grãos, carne processada e padrões dietéticos específicos”, concluíram os autores.

Segundo Bruna, o estudo tem sua importância pela qualidade metodológica e por sua análise da melhor evidência disponível. “O trabalho levanta novos pontos para debate relacionadas a dieta e câncer colorretal entre organizações mundiais e reforça as orientações nutricionais de aumento do consumo de fibras alimentares e iogurte, bem como a limitação do consumo de carnes vermelhas e bebidas alcoólicas”, afirma.

“É importante destacar que a abordagem de investigação da dieta pode levar em consideração nutrientes, alimentos, grupos de alimentos ou ainda padrões dietéticos e essa revisão incluiu todas as abordagens então estudadas”, acrescenta.

A nutricionista observa que, curiosamente, a maior evidência de associação com o câncer colorretal não foi de um padrão dietético, mas de alguns alimentos pontuais relacionados ao maior risco (carnes vermelhas e alto consumo de álcool) e o menor risco (iogurte), bem como nutrientes específicos (cálcio e fibras alimentares). “Os autores trazem à discussão a evidência encontrada com relação a fibra alimentar e cálcio, sem encontrar evidências relativas ao consumo de frutas, verduras, legumes, leite e queijos. Os argumentos incluem a impossibilidade de explicação plausível com os dados disponíveis, possivelmente relacionados a interação de fatores dietéticos e estilo de vida. Notavelmente encontramos em indivíduos que possuem padrões dietéticos saudáveis (caracterizados por maior consumo de vegetais, frutas, grãos integrais e laticínios com baixo teor de gordura, bem como menor consumo de álcool e carne vermelha) comportamentos saudáveis”, avalia.

“Agregando às discussões dos autores não podemos de deixar de considerar a interação entre micro-organismos e ser humano, através do microbioma e sua inter-relação com a alimentação, estilo de vida e desenvolvimento de doenças. O estudo trás lacunas científicas a serem exploradas por novas pesquisas epidemiológicas”, conclui Bruna. 

Referência: Veettil SK, Wong TY, Loo YS, et al. Role of Diet in Colorectal Cancer Incidence: Umbrella Review of Meta-analyses of Prospective Observational Studies.Role of Diet in Colorectal Cancer Incidence: Umbrella Review of Meta-analyses of Prospective Observational Studies.Role of Diet in Colorectal Cancer Incidence: Umbrella Review of Meta-analyses of Prospective Observational Studies. JAMA Netw Open. 2021;4(2):e2037341. doi:10.1001/jamanetworkopen.2020.37341

 

 

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519