01122021Qua
AtualizadoSeg, 29 Nov 2021 7pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Biomarcadores prognósticos em adenocarcinomas endocervicais estágio IB (FIGO 2018)

glauco foto bxUma colaboração internacional buscou identificar biomarcadores prognósticos que influenciam a sobrevida livre de recorrência e sobrevida global para subtipos de adenocarcinoma cervical em estágio IB FIGO 2018 recém-definidos. Os resultados foram publicados no International Journal of Gynecological Cancer, em artigo com participação do cirurgião oncológico Glauco Baiocchi (foto), diretor do Departamento de Ginecologia Oncológica do A.C.Camargo Cancer Center.

Fatores prognósticos para adernocarcinomas endocervicais são bem conhecidos, mas pouco se sabe sobre os biomarcadores prognósticos que influenciam os resultados para os subestágios FIGO 2018 IB. Nesse estudo, os autores buscaram identificar esses fatores prognósticos utilizando uma grande série internacional de casos multi-institucionais.

Adenocarcinomas endocervicais em estágio IB foram coletados retrospectivamente de nove instituições internacionais; conjuntos completos de slides (n = 464) foram usados ​​para atribuir biomarcadores prognósticos. Os critérios de inclusão foram adenocarcinomas endocervicais em estágio FIGO IB com acompanhamento em que todos os blocos de parafina/lâminas de vidro estavam disponíveis para revisão e/ou estudos adicionais e pacientes tratados cirurgicamente entre 1985 a 2019. Os tipos de espécimes incluídos no estudo foram conizações, traquelectomias e histerectomias simples/radicais com ou sem amostras de linfonodos.

Foram excluídos carcinomas in situ, carcinomas de células escamosas, carcinomas adenoescamosos, tumores com componentes neuroendócrinos, carcinossarcomas e qualquer tumor que mostrasse características clínicas, macroscópicas ou microscópicas que sugerissem um segmento uterino inferior, corpo uterino ou uma origem primária anexial. Tumores tratados com quimioterapia neoadjuvante e/ou radioterapia também foram excluídos, bem como biopsias e procedimentos de excisão eletrocirúrgica em alça.

Resultados

De 464 casos, 225 (48%) estavam no estágio IB1, 177 (38%) no estágio IB2 e 62 (13%) no estágio IB3. A sobrevida livre de recorrência em 5 e 10 anos foi estatisticamente diferentes entre os subtipos de estágio IB (p = 0,005). O padrão de invasão Silva foi significativo para a sobrevida livre de recorrência em 5 e 10 anos (p = 0,04); a sobrevida global e a sobrevida livre de recorrência foram maiores nos casos associados ao papilomavírus humano (HPV) (p = 0,007 e p = 0,001, respectivamente) e nos casos sem invasão linfovascular (p = 0,004 e p = 0,00001, respectivamente).

Os fatores que influenciaram significativamente a sobrevida livre de recorrência foram status HPV-independente (p = 0,05; HR 2,31; 95% CI 1,02 a 5,46), presença de invasão linfovascular (p = 0,011; HR 3,50; 95% CI 1,33 a 9,19) e presença de metástases em linfonodos (p = 0,016; HR 2,66; 95% CI 1,20 a 5,90).

“O status do HPV e a presença de invasão linfovascular são fatores prognósticos nos subtipos de adenocarcinoma endocervical em estágio IB. Esses parâmetros devem ser incluídos em futuras modificações de subestadiamento de adenocarcinomas endocervicais de estágio IB de FIGO e em estratégias de tratamento”, concluíram os autores.

Referência: Stolnicu S, Boros M, Hoang L, Almadani N, de Brot L, Baiocchi G, Bonvolim G, Parra-Herran C, Lerias S, Felix A, Roma A, Pesci A, Oliva E, Park K, Soslow RA, Abu-Rustum NR. FIGO 2018 stage IB endocervical adenocarcinomas: an international study of outcomes informed by prognostic biomarkers. Int J Gynecol Cancer. 2020 Nov 11:ijgc-2020-001893. doi: 10.1136/ijgc-2020-001893. Epub ahead of print. PMID: 33177150.

 


Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519