30102020Sex
AtualizadoQui, 29 Out 2020 6pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Cuidados perioperatórios durante a pandemia da COVID-19

Reitan ribeiro NET OKA Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) elaborou recomendações para o tratamento perioperatório do câncer no contexto de recursos limitados durante a pandemia da COVID-19. O documento foi publicado no Annals of Surgical Oncology1, em artigo que tem como primeiro autor o cirurgião oncológico Reitan Ribeiro (foto). Alexandre Oliveira, presidente da SBCO, é o autor sênior do trabalho.

À medida que a pandemia da COVID-19 avança, os sistemas de saúde dos países em desenvolvimento, normalmente equipados para trabalhar com recursos limitados, precisam se adaptar a mais essa variável. Em um primeiro momento os procedimentos eletivos e consultas foram cancelados e/ou adiados, mas a permanência da pandemia por um longo período torna fundamental a retomada do tratamento para doenças graves, entre elas o câncer, respeitando protocolos para garantir a segurança de pacientes e equipes médicas.

Um estudo britânico2 calculou que haverá mais 6.270 mortes (um aumento de 20%) entre novos pacientes com câncer em 1 ano na Inglaterra e 33.890 mortes em excesso nos EUA. “A cirurgia é o principal mecanismo de cura e paliação do câncer3 e, portanto, é importante fornecer acesso racional e seguro à cirurgia oncológica durante a pandemia de COVID-19, especialmente em áreas com recursos limitados”, observam os autores.

Entre 1º de abril a 1º de maio, o comitê da Sociedade Brasileira de Oncologia Cirúrgica realizou uma revisão da literatura para elaborar as recomendações do tratamento perioperatório do câncer no contexto de recursos limitados durante a pandemia. As recomendações foram submetidas ao conselho de administração da Sociedade, e as orientações não consensuais foram suprimidas do documento, com sugestões adicionadas ao texto final.

Um estudo de coorte retrospectivo5 de 34 pacientes operados que desenvolveram pneumonia secundária à COVID-19 logo após a cirurgia constatou que 44,1% necessitavam de cuidados intensivos e a taxa de mortalidade foi de 20,5%. Considerando apenas os pacientes que realizaram cirurgia oncológica, a mortalidade foi de 44,4%.

O documento destaca que a preparação pré-operatória e a investigação do vírus corona são essenciais para garantir uma cirurgia oncológica segura neste momento, considerando que 30,8% dos pacientes infectados pelo vírus serão assintomáticos4 e os outros 25-30% dos pacientes que apresentarão sintomas podem estar no período de incubação. “Outros estudos publicados após a submissão do artigo sugerem que o número de assintomáticos é ainda maior”, ressalta Ribeiro.

Entre as recomendações da SBCO estão ainda a avaliação da prevalência do coronavírus na região, a necessidade da cirurgia, sua complexidade, idade e comorbidades do paciente e disponibilidade de testes para detecção da infecção da COVID-19.

“Não há uma recomendação pré-operatória única em relação à proteção de pacientes cirúrgicos da COVID-19. Soluções simples e acessíveis, como triagem clínica para COVID-19 e auto-isolamento, podem ser especialmente úteis neste cenário e, junto com o uso racional de testes, o risco de um paciente com câncer ser operado durante o período de incubação de COVID-19 pode ser minimizado”, concluem os autores.

Referências:

1 - Ribeiro, R., Wainstein, A.J.A., de Castro Ribeiro, H.S. et al. Perioperative Cancer Care in the Context of Limited Resources during the COVID-19 Pandemic: Brazilian Society of Surgical Oncology Recommendations. Ann Surg Oncol (2020). https://doi.org/10.1245/s10434-020-09098-x

2- Lai A, Pasea L, Banerjee A, et al. Estimating excess mortality in people with cancer and multimorbidity in the COVID-19 emergency. April 2020. https://www.researchgate.net/publication/340984562_Estimating_excess_mortality_in_people_with_cancer_and_multimorbidity_in_the_COVID-19_emergency. Accessed 28 May 2020.

3 - Meara JG, Leather AJ, Hagander L, et al. Global Surgery 2030: evidence and solutions for achieving health, welfare, and economic development. Lancet. 2015;386(9993):569–624. https://doi.org/10.1016/s0140-6736(15)60160-x.

4 - Nishiura H, Kobayashi T, Miyama T, et al. Estimation of the asymptomatic ratio of novel coronavirus infections (COVID-19). Int J Infect Dis. 2020;94:154–155. https://doi.org/10.1016/j.ijid.2020.03.020.

5 - Lei S, Jiang F, Su W, et al. Clinical characteristics and outcomes of patients undergoing surgeries during the incubation period of COVID-19 infection. EClinicalMedicine. 2020;21:100331. https://doi.org/10.1016/j.eclinm.2020.100331.


Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
300x250 ad onconews200519