04082020Ter
AtualizadoSeg, 03 Ago 2020 8pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Cabozantinibe no carcinoma urotelial metastático refratário à platina

EDUARDO ZUCCA BXEstudo de Fase II publicado no Lancet demonstrou atividade clínica do inibidor multiquinases cabozantinibe como agente único em pacientes com carcinoma urotelial metastático refratário à platina altamente pré-tratados. “Este estudo com cabozantinibe abre novas esperanças para explorar o uso de modernos TKI nesta doença agressiva e com poucas opções de tratamento no cenário metastático", afirma o oncologista Eduardo Zucca (foto), coordenador do Departamento de Uro-oncologia do Hospital do Amor (Hospital de Câncer de Barretos).

Segundo Zucca, a estratégia de usar de inibidores de tirosina quinase (TKI) como os bloqueadores de VEGF sunitinibe e pazopanibe trouxe resultados pouco promissores. “No entanto, com o desenvolvimento de novos TKIs, mais seletivos, essa estratégia está dando resultados, como é o caso do uso de erdafitinib em pacientes com câncer de bexiga metastáticos refratários à platina e com alterações genéticas de FGFR3 e FGFR2”, avalia.

Cabozantinibe é um inibidor multiquinases de MET, VEGFR, AXL e RET, que também afeta o microambiente imune do tumor, diminuindo as células T reguladoras e as células supressoras derivadas de mieloides.

Nesse estudo de Fase II, aberto, braço único, com três coortes, realizado no National Cancer Institute (Bethesda, MD, EUA), foram elegíveis pacientes maiores de 18 anos com carcinoma urotelial confirmado histologicamente ou histologia rara do trato geniturinário, índice de Karnofsky de 60% ou superior, e progressão de doença documentada após pelo menos uma linha anterior de quimioterapia à base de platina (refratária à platina).

A coorte um incluiu pacientes com carcinoma urotelial metastático com doença mensurável, conforme definido pelo RECIST 1.1. Duas coortes adicionais inscritas em paralelo (pacientes apenas com metástase óssea de carcinoma urotelial e pacientes com histologia rara do trato geniturinário) foram exploratórias.

Os pacientes receberam 60 mg de cabozantinibe via oral uma vez ao dia em ciclos de 28 dias até a progressão da doença ou toxicidade inaceitável. O endpoint primário foi a taxa de resposta objetiva por RECIST avaliada pelo investigador na coorte um. A resposta foi avaliada em todos os pacientes que atenderam aos critérios de elegibilidade e que receberam pelo menos 8 semanas de terapia. Todos os pacientes que receberam pelo menos uma dose de cabozantinibe foram incluídos na análise de segurança.

Resultados

Entre 28 de setembro de 2012 e 20 de outubro de 2015, 68 pacientes foram incluídos no estudo (49 na coorte um, seis na coorte dois e 13 na coorte três). Todos os pacientes receberam pelo menos uma dose de cabozantinibe. O follow up foi de 61,2 meses (IQR 53,8-70,0) para os 57 pacientes avaliados quanto à resposta.

Nos 42 pacientes avaliados na coorte um, houve uma resposta completa e sete respostas parciais (ORR 19%, IC95% 9-34). Os eventos adversos de graus 3-4 mais comuns foram fadiga (6 pacientes [9%]), hipertensão (cinco pacientes [7%]), proteinúria (quatro pacientes [6%]) e hipofosfatemia (quatro pacientes [6%]). Não houve mortes relacionadas ao tratamento.

Os autores concluíram que cabozantinibe possui atividade clínica como agente único em pacientes com carcinoma urotelial metastático refratário à platina e altamente pré-tratados, com doença mensurável e metástases ósseas, sendo geralmente bem tolerado. “Cabozantinibe possui propriedades imunomoduladoras inatas e adaptativas, fornecendo uma justificativa para sua combinação com estratégias de imunoterapia”, destacaram.

O estudo foi financiado pelo National Cancer Institute Intramural Program and the Cancer Therapy Evaluation Program e está registrado no ClinicalTrials.gov, NCT01688999.

Referência: Cabozantinib in patients with platinum-refractory metastatic urothelial carcinoma: an open-label, single-centre, phase 2 trial - Andrea B Apolo, MD , Rosa Nadal, MD, Yusuke Tomita, MD, Nicole N Davarpanah, MD, Lisa M Cordes, PharmD, Seth M Steinberg, PhD et al. - Published:July 06, 2020 - DOI:https://doi.org/10.1016/S1470-2045(20)30202-3


Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
300x250 ad onconews200519