11122019Qua
AtualizadoQua, 11 Dez 2019 8pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

Ramucirumabe não aumenta sobrevida global no carcinoma urotelial

EDUARDO ZUCCA BXO antiangiogênico ramucirumabe, um anticorpo monoclonal humanizado antagonista de VEGFR2, não alcançou o endpoint secundário de sobrevida global em pacientes com carcinoma urotelial avançado refratário à platina. Os resultados estão em artigo de Petrylak et al, no Lancet Oncology. O oncologista Eduardo Zucca (foto), do Hospital do Amor, comenta os novos dados do estudo RANGE.

 

“É mais um estudo com resultados decepcionantes de sobrevida global. Apesar dos múltiplos estudos realizados nos últimos anos com anti PD-1/PD-L1 e inibidores da angiogênese, o prognóstico do carcinoma urotelial refratário à platina se mantém bastante desfavorável, com mediana de sobrevida global variando de 7 a 8 meses”, diz Zucca. 

Este estudo randomizado, duplo-cego, de fase III inscreveu pacientes com carcinoma urotelial avançado ou metastático que progrediram durante ou após a quimioterapia à base de platina. Os pacientes foram inscritos em 124 centros, em 23 países, randomizados (1: 1) para receber 10 mg/kg de ramucirumabe intravenoso ou placebo, associado a docetaxel 75 mg/m2 intravenoso no dia 1 de um ciclo de 21 dias. A sobrevida livre de progressão foi o endpoint primário e a sobrevida global foi definida como endpoint secundário, avaliados na população com intenção de tratar.

Resultados

Entre 20 de julho de 2015 e 4 de abril de 2017, 530 pacientes foram inscritos para receber ramucirumabe mais docetaxel (n = 263) ou placebo mais docetaxel (n = 267) e compuseram a população com intenção de tratar. No momento da análise de dados de sobrevida global, o acompanhamento médio foi de 7,4 meses (IQR 3 · 5–13 · 9). A mediana de sobrevida global foi de 9,4 meses (IC 95% 7,9-11,4) no grupo ramucirumabe versus 7,9 meses (7,0-0,93) no grupo placebo (HR estratificada 0,887 [95 % IC 0 · 724–1 · 086]; p = 0 · 25). A sobrevida livre de progressão mediana permaneceu significativamente superior com ramucirumabe em comparação com placebo (4, 1 meses [IC95% 3 · 3-4 · 8] vs 2, 8 meses [2, 6-2, 9]; HR 0, 696 [IC 95% 0, 573-0, 845]; p = 0, 0002).

“Neste estudo, ramucirumabe em associação com docetaxel alcançou endpoint primário e mostrou aumento de sobrevida livre de progressão, com redução de cerca de 25% na progressão como mostram os dados apresentados na primeira análise. Infelizmente, o resultado de sobrevida global foi decepcionante e não mostrou diferença estatística entre os que receberam ramucirumabe e o braço placebo. Esses resultados reforçam imunoterapia nessa segunda linha, em pacientes refratários à platina”, analisa Zucca.

Em relação ao perfil de segurança, eventos adversos de grau 3 ou superior relacionados ao tratamento ocorreram em pelo menos 5% dos pacientes com uma incidência 2% maior com ramucirumabe do que com placebo, incluindo neutropenia febril (24 [9%] dos 258 pacientes no grupo ramucirumabe vs 16 [6%] de 265 pacientes no grupo placebo) e neutropenia (17 [7%] de 258 versus seis [2%] de 265). Eventos adversos relacionados ao tratamento que levaram à morte ocorreram em oito (3%) pacientes no grupo ramucirumabe versus cinco (2%) pacientes no grupo placebo.

“O acompanhamento adicional com ramucirumabe mais docetaxel em pacientes com carcinoma urotelial avançado refratário à platina melhorou significativamente a sobrevida livre de progressão, sem benefício significativo na sobrevida global”, concluíram os autores.

Novas análises estão em andamento para explorar como diferentes classificações moleculares do carcinoma urotelial podem responder a ramucirumabe, considerando inclusive a caracterização de subgrupos genômicos do trato urinário superior e inferior. Análises futuras também avaliam a eficácia de ramucirumabe de acordo com a expressão de PD-L1. “Ainda é muito precoce pensar em ramucirumabe associado a docetaxel na prática clínica. Novos dados precisam ser explorados antes de estender o uso para a prática”, reforça Zucca.

O estudo está registrado no ClinicalTrials.gov (NCT02426125) e é financiado pela Eli Lilly and Company.

Referência: Petrylak, D. P., de Wit, R., Chi, K. N., Drakaki, A., Sternberg, C. N., Nishiyama, H., … Bamias, A. (2019). Ramucirumab plus docetaxel versus placebo plus docetaxel in patients with locally advanced or metastatic urothelial carcinoma after platinum-based therapy (RANGE): overall survival and updated results of a randomised, double-blind, phase 3 trial. The Lancet Oncology. doi:10.1016/s1470-2045(19)30668-0


Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner personal2019 250x300p
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
banner onconews spotify 300x150px