11122019Qua
AtualizadoQua, 11 Dez 2019 8pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

Alectinibe no câncer de pulmão não pequenas células com rearranjo-RET metastáticos refratários à quimioterapia

Pulm o 2017 NET OKEstudo brasileiro publicado no periódico Lung Cancer trouxe mostrou os resultados de quatro pacientes com câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC) com rearranjo RET refratários à quimioterapia tratados com alectinibe. O oncologista Maurício Fernando Silva Almeida Ribeiro, médico do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e primeiro autor do estudo, comenta o trabalho.

O uso disseminado de terapias-alvo direcionadas ao câncer de pulmão não pequenas células com fusão RET+ não foi bem-sucedido. Estudos de inibidores multiquinase mostraram benefícios modestos e baixa tolerabilidade, e o caráter homólogo entre os rearranjos ALK e RET justificam a avaliação da eficácia do alectinibe nesse subgrupo de pacientes.

O trabalho avaliou retrospectivamente a atividade e a tolerabilidade do alectinibe 600 mg duas vezes ao dia em pacientes com CPNPC avançado com rearranjo RET refratários à quimioterapia, tratados em uma instituição brasileira. A identificação dos rearranjos RET foi realizada usando a plataforma de sequenciamento de próxima geração FoundationOne®.

Resultados

Os quatro pacientes avaliados no estudo eram brancos, mulheres e não fumantes, com idades entre 59 e 66 anos. Todos haviam sido previamente tratados com quimioterapia e eram virgens de TKI; três deles também apresentaram progressão da doença para o nivolumabe. O perfil molecular do tumor mostrou fusão KIF5B-RET em três pacientes e CCDC6-RET em um paciente. Um paciente apresentou progressão da doença e deterioração clínica dois meses após o início do tratamento.

O controle da doença foi documentado em dois pacientes com sobrevida livre de progressão variando entre 4 e 5 meses (uma resposta metabólica parcial e uma doença estável). Em um dos casos, que desenvolveu oligoprogressão no alectinibe, a radioterapia e o alectinibe pós-progressão foram capazes de fornecer controle adicional da doença por mais nove meses. Não foram documentados eventos adversos de graus 3/4, reduções de dose ou descontinuação devido à toxicidade.

“Embora seja uma avaliação pequena em um único centro, o alectinibe demonstrou ser bem tolerado e apresentou atividade clínica contra o CPNPC avançado com rearranjo RET, sugerindo potencial papel nesse subgrupo de pacientes. Ensaios clínicos que abordam sua eficácia e o cronograma ideal de dosagem nesse contexto estão em andamento”, observam os autores.

Referência: Alectinib activity in chemotherapy-refractory metastatic RET-rearranged non-small cell lung carcinomas: A case series - Maurício Fernando Silva Almeida Ribeiro; João Victor Machado Alessia; Leandro Jonata Carvalho Oliveira; Aline Bobato Lara Gongora; Karina Perez Sacardo; Bruna Migliavacca Zucchetti; Andrea Kazumi Shimada; Felipe de Galiza Barbosa; Olavo Feher; Artur Katz – Lung Cancer, Vol. 139 - January 2020, Pages 9-12 - https://doi.org/10.1016/j.lungcan.2019.10.020


Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner personal2019 250x300p
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
banner onconews spotify 300x150px