28072021Qua
AtualizadoTer, 27 Jul 2021 2pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Novo alerta global para os riscos do cigarro eletrônico

cigarro eletronico bxA Associação Internacional para o Estudo do Câncer de Pulmão (IASLC, da sigla em inglês) emitiu nova declaração que desencoraja fortemente o uso de cigarros eletrônicos por jovens e adultos, especialmente não fumantes. A declaração foi feita dia 12 de novembro, coincidindo com o mês da conscientização sobre câncer de pulmão.

"Os cigarros eletrônicos rapidamente ganharam popularidade sob o argumento de que podem ajudar as pessoas a deixar de fumar e podem ser menos prejudiciais que o tabaco combustível", disse Tetsuya Mitsudomi, professor de cirurgia torácica da Universidade Kindai em Osaka, Japão, atual Presidente da IASLC. O especialista lembrou que o uso de cigarros eletrônicos se expandiu significativamente entre não fumantes, geralmente jovens e adultos jovens. “Os dados referentes aos resultados da cessação são inconsistentes e os riscos a longo prazo são desconhecidos”, alertou.

Em 8 de novembro de 2019, os Centros de Controle de Doenças dos EUA relataram 2.051 casos de doenças relacionadas ao cigarro eletrônico e 39 mortes, cenário que fez crescer a preocupação com os chamados e-cigaretts e seu consumo entre os jovens. "Preferimos errar ao lado da segurança do paciente, alertando para o recente surto nos Estados Unidos de doenças graves e mortes devido à aparente inflamação pulmonar associada aos cigarros eletrônicos, que trouxeram à tona os perigos potenciais de seu uso", disse ele.

Dos 2051 casos de doenças pulmonares relacionadas ao uso de cigarros eletrônicos, 1.378 têm dados disponíveis sobre idade e sexo: 70% dos pacientes são homens, com idade média de 24 anos; 79% dos pacientes têm menos de 35 anos e 14% têm menos de 18 anos de idade.

"É muito importante observar que, embora doenças graves que resultaram em morte e hospitalização tenham sido amplamente divulgadas, pode haver outras tantas doenças menos graves, mas ainda significativas, ou danos nos pulmões causados ​​pelos cigarros eletrônicos”, destacou.

Com base nas evidências atuais, a IASLC compartilha preocupações e assume o seguinte posicionamento em relação aos cigarros eletrônicos e outros produtos de tabaco aquecido.

  • Os resultados do tratamento do câncer são piores em pacientes que continuam a fumar e é fundamental que todos os médicos apoiem os pacientes a parar de fumar;
  • Indivíduos que fumam, incluindo aqueles com câncer, devem parar de fumar imediatamente, por qualquer meio possível;
  • Os profissionais de saúde devem aconselhar todos os pacientes a parar de fumar com auxílio de estratégias de cessação baseadas em evidências;
  • Estratégias de auxílio à cessação baseadas em evidência seguras e eficazes incluem farmacoterapia e aconselhamento aprovados;
  • Os cigarros eletrônicos para parar de fumar não foram comprovados por revisões sistemáticas até o momento;
  • Alguns estudos sugerem ligação entre cigarro eletrônico e câncer de pulmão em modelos animais;
  • Aromas, incluindo outros aditivos usados ​​em cigarros eletrônicos, podem contribuir para doenças relacionadas;
  • Os cigarros eletrônicos nunca devem ser usados ​​por jovens ou adultos que não estão fumando atualmente.

Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519