17092019Ter
AtualizadoTer, 17 Set 2019 10pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

Pembrolizumabe no câncer de pulmão com expressão muito alta de PD-L1

Gilberto Lopes 2019O tratamento em primeira linha com pembrolizumabe em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC) com expressão de PD-L1 ≥ 50% melhora a sobrevida em comparação à quimioterapia com doublet de platina. Agora, estudo publicado no Annals of Oncology demonstrou que em pacientes com níveis mais altos de PD-L1 dentro dessa faixa de expressão (50 a 100%) os resultados clínicos são significativamente melhores. Gilberto Lopes (foto), oncologista clínico na University of Miami Sylvester Comprehensive Cancer Center, comenta os achados.

Nesta análise retrospectiva multicêntrica, os pesquisadores analisaram o impacto dos níveis de expressão de PD-L1 na taxa de resposta global (ORR), sobrevida livre de progressão mediana (mSLP) e sobrevida global mediana (mSG) em pacientes que receberam pembrolizumabe como tratamento de primeira linha para CPNPC com uma expressão de PD-L1 ≥ 50% e sem alterações genômicas no EGFR e ALK.

Resultados

Entre os 187 pacientes incluídos na análise, a taxa de resposta objetiva foi 44,4% (95% CI: 37,1-51,8), a mediana de sobrevida livre de progressão foi 6,5 meses (95% CI 4,5 - 8,5) e a mediana de sobrevida global não foi atingida. O nível médio de expressão de PD-L1 entre os pacientes que apresentaram resposta ao pembrolizumabe foi significativamente maior do que nos pacientes com doença estável ou progressiva (90% vs 75%, P <0,001).

Comparado aos pacientes com expressão de PD-L1 de 50-89% (N = 107), pacientes com nível de expressão entre 90-100% (N = 80) apresentaram ORR significativamente maior (60% versus 32,7%, P <0,001) , mediana de sobrevida livre de progressão significativamente mais longa (14,5 versus 4,1 meses, HR: 0,50 [95% IC: 0,33-0,74], P <0,01) e maior mediana de sobrevida global (não atingido versus 15,9 meses, HR: 0,39 [95% IC: 0,21 -0,70], P = 0,002).

Os autores concluíram que entre os pacientes com câncer de pulmão não pequenas células e expressão de PD-L1 ≥ 50% tratados com pembrolizumabe em primeira linha, os resultados clínicos são significativamente melhorados naqueles com expressão de PD-L1 de ≥ 90%.

“O estudo é pequeno, mas confirma o que muitos de nós observamos com os dados disponíveis em outros estudos. A expressão de PDL1 é uma variável contínua: quanto maior a expressão, maior a possibilidade de resposta com o uso de inibidores de checkpoint. O que não devemos esquecer é que quando combinado com quimioterapia, e mesmo como modalidade única, ainda há pacientes com resposta e benefício mesmo quando não há expressão de PDL1”, ressalta Gilberto Lopes. 

Referência: Outcomes to first-line pembrolizumab in patients with non-small cell lung cancer and very high PD-L1 expression - E J Aguilar et al - Annals of Oncology, mdz288, https://doi.org/10.1093/annonc/mdz288 - Published: 21 August 2019


Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519