16122019Seg
AtualizadoSáb, 14 Dez 2019 3am

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

Biopsia líquida: novo teste promete sensibilidade na avaliação de doença residual

Biopsia Liquida NET OKUm novo teste de sangue altamente sensível é um dos primeiros a monitorar com sucesso pacientes com câncer de mama em estágio inicial e pode ser até 100 vezes mais sensível do que os testes existentes. É o que sugerem resultados de estudo publicado na Science Translational Medicine.

A obtenção de resposta patológica completa está associada a bom prognóstico após tratamento neoadjuvante do câncer de mama, mas a avaliação histopatológica do tecido ressecado cirurgicamente continua sendo o único método confiável para avaliar a resposta. Agora, estudo com apoio da Cancer Research UK, da Mayo Clinic e do Translational Genomics Research Institute (TGen) mostra um novo método de biópsia líquida com alta sensibilidade e precisão para avaliar doença residual. A nova técnica foi chamada de TARDIS (Targeted DIgitial Sequencing). “Nossos resultados revelam que as concentrações de ctDNA após a conclusão do tratamento neoadjuvante para câncer de mama são maiores em pacientes com doença residual no momento da cirurgia em comparação com pacientes que atingiram resposta patológica completa”, sustentam os autores.

Neste primeiro estudo de validação, foram analisadas 80 amostras de sangue de 33 mulheres com câncer de mama em estágio inicial e localmente avançado. O DNA tumoral circulante (ctDNA) foi detectado em 100% dos pacientes com câncer de mama avançado e localmente avançado antes do tratamento (intervalo de confiança de 95%, 89 a 100%). “A mediana da concentração de ctDNA no pré-tratamento foi de 0,11%, cerca de 25 a 100 vezes menor que as concentrações de ctDNA relatadas em pacientes com câncer de mama metastático. Após a conclusão do tratamento neoadjuvante, as concentrações medianas de ctDNA foram de 0,017 e 0,003% em pacientes com doença residual e resposta completa, respectivamente”, descreve o artigo.

Muhammed Murtaza, principal autor do estudo e co-diretor do Centro de Diagnóstico Não-invasivo do TGen, destaca que a nova técnica TARDIS abre a possibilidade de monitorar pacientes com câncer de mama em estágio inicial para avaliar a resposta ao tratamento.

A próxima etapa é realizar um estudo maior, envolvendo mais de 200 pacientes, para validar a eficácia do teste e determinar sua aplicação no mundo real.

Referência: McDonald et al. (2019). Personalized circulating tumor DNA analysis to detect residual disease after neoadjuvant therapy in breast cancer. Science Translational Medicine. - 07 Aug 2019:
Vol. 11, Issue 504, eaax7392 - DOI: 10.1126/scitranslmed.aax7392


Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner personal2019 250x300p
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
banner onconews spotify 300x150px