24082019Sáb
AtualizadoSex, 23 Ago 2019 1pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

Consumo de bebidas açucaradas e risco de câncer

Foto Dr Buzaid NET OKResultados de um grande estudo de coorte prospectivo de base populacional mostram que o consumo de bebidas açucaradas foi significativamente associado ao risco de câncer. Os dados estão no British Medical Journal (BMJ). “Este é mais um estudo que mostra que o maior veneno deste século é o carboidrato livre. Os governos deveriam intervir imediatamente na alimentação das escolas na tentativa de reduzir seu efeito adverso. Médicos de todas as especialidades deveriam educar seus pacientes sobre isto”, afirma o oncologista Antonio Carlos Buzaid (foto), diretor do Centro de Oncologia da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, e membro do comitê gestor do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein.

O estudo avaliou 101 257 participantes da coorte francesa NutriNet-Santé (2009-2017), que foram acompanhados pelo tempo médio de 5,1 anos. O objetivo foi avaliar a associação entre o consumo de bebidas açucaradas (como bebidas adoçadas com açúcar e sucos de frutas a 100%), bebidas adoçadas artificialmente e risco de câncer.

O consumo de bebidas açucaradas e adoçadas artificialmente foi avaliado usando repetidos registros dietéticos de 24 horas, projetados para registrar o consumo habitual dos participantes para 3300 alimentos e bebidas diferentes.

Resultados

Os resultados mostraram que um aumento de 100 mililitros (ml) por dia no consumo de bebidas açucaradas foi associado a um aumento de 18% no risco de câncer em geral e a um aumento de 22% no risco de câncer de mama. Em subanálises específicas, o consumo de suco de frutas a 100% também foi significativamente associado ao risco de câncer em geral (P = 0,007). O consumo de bebidas adoçadas artificialmente não foi associado ao risco de câncer.

“Os resultados sugerem que as bebidas açucaradas, que são amplamente consumidas nos países ocidentais, podem representar um fator de risco modificável para a prevenção do câncer”, dizem os autores.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que a ingestão diária de açúcar não ultrapasse 10% da ingestão total de calorias. Os autores lembram que além da associação com obesidade e adiposidade, o consumo de bebidas açucaradas pode envolver mecanismos ligados à resistência insulínica em função de seu alto índice glicêmico. “A carga glicêmica tem sido relacionada a câncer de mama, câncer hepatocelular e outros carcinomas relacionados a diabetes”, observam os autores. “Os compostos químicos em bebidas açucaradas, como 4-metilimidazole em bebidas contendo corantes de caramelo (definidos como possivelmente carcinogênicos para humanos pela Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer, IARC), pesticidas em sucos de frutas ou adoçantes artificiais, como aspartame, podem desempenhar papel na carcinogênese”, descrevem.

O estudo está registrado na plataforma ClinicalTrials.gov: NCT03335644.

Referência: Sugary drink consumption and risk of cancer: results from NutriNet-Santé prospective cohort - BMJ 2019;366:l2408 - doi: https://doi.org/10.1136/bmj.l2408 


Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519