23052019Qui
AtualizadoQua, 22 Mai 2019 8pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

Pesquisa brasileira desenvolve solução de baixo custo para o manejo do derrame pleural maligno

igor abreu bxPesquisadores brasileiros desenvolveram uma alternativa barata e eficiente para o manejo da dispneia associada a derrame pleural maligno em pacientes com câncer. O dispositivo (LunGO) foi avaliado em estudo caso-controle e os resultados publicados em abril na Respiration mostram benefícios frente à pleurodese com talco ou o implante de cateter pleural. Igor Renato Louro Bruno de Abreu, cirurgião torácico do Hospital Santa Marcelina, é primeiro autor e comenta os principais achados do estudo.

O derrame pleural maligno é uma condição associada à progressão da doença e resulta em muitos sintomas que podem levar à hospitalização. As opções de tratamento incluem pleurodese com talco (TP) ou o implante de cateter pleural de demora, este último com custos que inibem sua adoção no sistema público de saúde não só no Brasil, mas também em outros países emergentes.

Para avaliar a viabilidade do dispositivo LunGO como solução de baixo custo no controle da dispneia associada ao derrame pleural maligno foram selecionados 18 pacientes com derrame pleural neoplásico recorrente e contraindicados à pleurodese, recrutados entre junho de 2016 e novembro de 2017. Os pacientes receberam um implante com o protótipo de cateter pleural. Os dados sobre a doença de base e o tempo de permanência hospitalar após o procedimento foram coletados e comparados com pacientes submetidos à pleurodese no mesmo período (grupo controle, n = 34).

Resultados

 No grupo LunGO, 7 pacientes morreram devido à evolução natural da doença de base, enquanto 11 pacientes tiveram o dispositivo LunGO retirado em uma média de 43 dias. Dois pacientes no grupo LunGO tiveram recorrência dos sintomas associados ao derrame pleural, exigindo nova intervenção, em contraste com 5 casos de recorrência no grupo controle (OR = 1,37, p = 1).

Complicações foram observadas em apenas 1 paciente com o LunGO contra 5 no grupo TP. As chances de recorrência em ambas as coortes não apresentam diferença estatisticamente significante, com OR = 1,08 (p = 0,93).

“Em conclusão, houve tendência a menor mortalidade na coorte LunGO, apesar de não termos observado significância estatística (OR = 0,16, p = 0,23)”, diz Igor. “O LunGO demonstrou ser um dispositivo viável e seguro para o tratamento do derrame pleural maligno sintomático.

Referência: De Abreu, I. R. L. B., Bina Biazzotto, A. F., Santos, M. A., de Souza, A. A. C., Abrão, F. C., & Cavalcante, M. G. C. (2019). The Low-Cost, Long-Term Indwelling Pleural Catheter (LunGO): An Inexpensive and Effective Alternative for the Management of Dyspnea Associated with Malignant Pleural Effusions.Respiration, 1–6. doi:10.1159/000498971


Publicidade
300x250 ad onconews200519
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250