29112020Dom
AtualizadoSex, 27 Nov 2020 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Quando menos é mais no tratamento do câncer de colo uterino

thales vandre bxO SENTIX é um ensaio prospectivo, multicêntrico, com o objetivo de provar que a cirurgia menos radical não é inferior ao tratamento com linfadenectomia sistemática no manejo do câncer cervical em fase inicial. O protocolo do estudo foi apresentado em recente publicação da International Journal of Gynecological Cancer. Em linha com a tendência de tratamentos menos agressivos no câncer do colo uterino precoce, o estudo brasileiro LESSER busca avaliar a histerectomia extrafascial como opção de tratamento cirúrgico inicial na doença estádios clínicos IA2-IB1 ≤ 2cm. Em artigo exclusivo, os cirurgiões oncológicos Thales Paulo Batista (na foto, à esquerda) e Vandré Cabral Gomes Carneiro, médicos do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, comentam os trabalhos.

Por Thales Paulo Batista e Vandré Cabral Gomes Carneiro

A biópsia de linfonodo sentinela (SLB) tem sido cada vez mais utilizada no manejo do câncer do colo uterino em fase inicial e aparece em muitas diretrizes terapêuticas como opção alternativa à linfadenectomia sistemática. Contudo, evidências sobre a segurança deste procedimento se baseiam principalmente em estudos nos quais a SLB era complementada pela realização de linfadenectomia pélvica sistemática.

Neste sentido, pesquisadores europeus desenvolveram o estudo SENTIX (Sentinel Lymph Node Biopsy in Patients With Early Stages Cervical Cancer, NCT02494063), um ensaio clínico prospectivo e multicêntrico, com o objetivo de avaliar se a SLB isoladamente seria bastante para o tratamento cirúrgico de pacientes com linfonodos presumivelmente negativo ao exame transoperatório. O protocolo do estudo foi apresentado em recente publicação da International Journal of Gynecological Cancer encabeçada por Dr David Cibula, do Centro Ginecologia Oncológica da Charles University, em Praga, República Checa.1

O desfecho primário do estudo é taxa de recorrência da doença em 24 meses, enquanto os desfechos secundários envolvem sobrevida global e sobrevida livre de doença, acurácia da SLB e morbimortalidade operatória, enfatizando-se a prevalência de linfedema de membros inferiores e de linfocele pélvica sintomática.

Foram considerados elegíveis para o SENTIX pacientes com doença em estádio clínico IA1 / LVSI +, IA2, IB1, com linfonodos negativos aos exames de imagens pré-operatórios. O recrutamento se iniciou em junho de 2016 e até junho de 2018, um total de 340 pacientes já haviam sido alocados. A primeira análise dos desfechos secundários deve estar disponível ainda em 2019, enquanto os resultados oncológicos são esperados para o final de 2021.

Em linha com esta tendência de tratamentos menos agressivos em pacientes com câncer do colo uterino precoce, o estudo brasileiro LESSER (LESs Surgical Radicality for EaRly Stage Cervical Cancer, NCT02613286) se desenvolveu como um ensaio clínico fase II de não-inferioridade, controlado, randomizado e multicêntrico, do tipo “proof of concept”, com o intuito de avaliar a adequabilidade inicial da histerectomia extrafascial como opção de tratamento cirúrgico do câncer de colo uterino em estádios clínicos IA2-IB1 ≤ 2cm. O estudo foi coordenado por pesquisadores do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) e contou com a participação de outros centros nordestinos, como o Instituto de Medicina integral Prof. Fernando Figueira (IMIP) a Santa Casa de Misericórdia de Maceió (SCMM).

Com recrutamento encerrado em abril de 2018, o LESSER envolveu 40 pacientes randomizadas para cirurgia com histerectomia extrafascial (Querleu-Morrow A) ou radical modificada (Querleu-Morrow B2), associada à linfadenectomia pélvica em qualquer dos casos. Dados preliminares envolvendo morbimortalidade precoce, qualidade de vida e análise interina da sobrevivência foram recentemente apresentados em defesa de tese de doutorado vinculado ao AC Camargo (Fundação Antônio Prudente), sob orientação do cirurgião Glauco Baiocchi Neto e co-orientação de Artur Lício R. Bezerra, médico na Universidade de Pernambuco. Caso se confirmem os pressupostos estatísticos do estudo em termos de sobrevivência, a histerectomia extrafascial será considerada uma promissora opção de tratamento cirúrgico para ser testada em subsequente estudo de fase 3 de não-inferioridade. Assim como o estudo SENTIX, os resultados oncológicos são esperados para meados de 2021.

Em conjunto, estes estudos podem sugerir que a combinação de cirurgia menos radical (histerectomia extrafascial) com a pesquisa mais direcionada de metástases linfonodais (biópsia de linfonodo sentinela) seja suficientemente segura e eficaz para o tratamento de pacientes com câncer de colo uterino em estádios clínicos IA1/LVSI + e IA2-IB1 ≤ 2cm, contribuindo em muito para a redução da morbimortalidade cirúrgica e melhoria da qualidade de vida destas mulheres.

Autores:

Thales Paulo Batista, PhD - Departamento de Cirurgia/Oncologia, IMIP – Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira e Departamento de Cirurgia, UFPE – Universidade Federal de Pernambuco; Recife/PE.

Vandré Cabral Gomes Carneiro, PhD - Departamento de Cirurgia/Oncologia, IMIP – Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira e Departamento de Oncoginecologia, HCP – Hospital de Câncer de Pernambuco; Recife/PE.

Referências:

1 - Cibula, D., Dusek, J., Jarkovsky, J., Dundr, P., Querleu, D., van der Zee, A., … Kocian, R. (2019). A prospective multicenter trial on sentinel lymph node biopsy in patients with early-stage cervical cancer (SENTIX). International Journal of Gynecologic Cancer, 29(1), 212–215. doi:10.1136/ijgc-2018-000010

2 - Less surgical radicality for early stage cervical cancer (LESSER) - clinicaltrials.gov NCT02613286


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519