23042019Ter
AtualizadoSeg, 22 Abr 2019 6pm

banner_freud_adv_468x60.jpg

Risco de câncer em sobreviventes

cancer survivorEstudo de coorte com mais de 200 mil sobreviventes avaliou o risco de neoplasias subsequentes para 16 tipos de câncer em adolescentes e adultos jovens. A análise considerou os registros de câncer e estatísticas nacionais da Inglaterra e País de Gales. Os resultados foram publicados na edição de abril do Lancet Oncology (vol.20).

O Estudo de Sobrevivente de Câncer Adolescentes e Jovens Adultos é uma coorte populacional que avaliou 200.945 sobreviventes de câncer diagnosticados entre 15 e 39 anos na Inglaterra e País de Gales, de 1º de janeiro de 1971 a 31 de dezembro de 2006. O acompanhamento foi de uma sobrevida de 5 anos até a primeira ocorrência de morte, emigração ou data final do estudo (31 de dezembro de 2012).

Nesta análise, os pesquisadores apresentaram o risco de neoplasias primárias subsequentes para 16 tipos de câncer em adolescentes e adultos jovens: mama; câncer cervical; testicular; Linfoma de Hodgkin (feminino); Linfoma de Hodgkin (masculino); melanoma; SNC (intracraniano); colorretal; linfoma não-Hodgkin; tireoide; sarcoma de tecidos moles; câncer de ovário; bexiga; outra malignidade ginecológica; leucemia e câncer de cabeça e pescoço.

Resultados

Em um acompanhamento médio de 16,8 anos, (IQR 10,5-25,32), 12.321 neoplasias primárias subsequentes foram diagnosticadas em 11.565 sobreviventes, mais frequentemente em sobreviventes de câncer de mama, câncer cervical, testicular e linfoma de Hodgkin.

O risco adicional (AER) para neoplasias primárias subsequentes foi de 19, 5 por 10.000 pessoas-ano (IC95% 17 · 4–21 · 5) em sobreviventes de câncer de mama, 10, 2 (em sobreviventes de câncer cervical, 18, 9  em sobreviventes de câncer testicular, 55, 7 em mulheres sobreviventes de linfoma de Hodgkin e 29, 9 em homens sobreviventes de linfoma de Hodgkin. A incidência cumulativa de todas as neoplasias primárias subsequentes 35 anos após o diagnóstico foi de 11,9% (95% CI 11-3-10) em sobreviventes de câncer de mama, 15,8% (14,8-16,7) em sobreviventes de câncer do colo do útero, 20, 2% (18,9-21,5) em sobreviventes de câncer testicular, 26,6% (24,7-28,6) em mulheres sobreviventes de linfoma de Hodgkin e 16,5% (15, 2-18,0) em homens sobreviventes de linfoma de Hodgkin.

“Em indivíduos que sobreviveram pelo menos 30 anos após o diagnóstico de câncer do colo do útero, testículo, linfoma de Hodgkin em mulheres, câncer de mama e linfoma de Hodgkin em homens, identificamos um pequeno número de neoplasias primárias subsequentes específicas que representam 82%, 61% , 58%, 45% e 41% do número total de neoplasias, respectivamente”, descrevem os autores. O estudo destaca que o câncer de pulmão foi responsável “por uma proporção notável do AER em todos os grupos avaliados”.

“Nossos achados fornecem uma base de evidências para informar prioridades de longo prazo e prover acompanhamento a curto prazo”, analisam os autores. O estudo tem financiamento da Cancer Research UK, National Institute for Health Research, Academy of Medical Sciences e Children with Cancer UK.

Referências: Lancet Oncol 2019; 20: 531–45


Publicidade
banner modelo3 newsletter onconews 300x150 pixels
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250