27012021Qua
AtualizadoTer, 26 Jan 2021 11pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Aveloz: estudo mostra atividade citotóxica de fitoterápico brasileiro

foto aveloz barretos bxUm arbusto popularmente conhecido como aveloz (Euphorbia tirucalli) produz um látex largamente empregado na medicina popular brasileira. Esse látex e seus compostos derivados comprovaram atividade citotóxica em uma gama de linhagens de células tumorais humanas. É o que mostram os estudos que tem como primeira autora a pesquisadora Viviane A O Silva (na foto ao centro, ao lado dos pesquisadores Rui Manuel Reis e Marcela Nunes Rosa), do Hospital de Amor (Hospital de Câncer de Barretos). Os resultados foram publicados na Investigational New Drugs.

O látex de Euphorbia tirucalli é usado no Brasil como remédio popular para várias doenças, incluindo o câncer. "Mostramos anteriormente que o composto eufol, principal constituinte do látex de E. tirucalli, inibe a proliferação, a motilidade e a formação de colônias em células do câncer pancreático, assim como induz a autofagia e sensibiliza as células de glioblastoma à citotoxicidade ao quimioterápico, temozolomida. A atividade antitumoral e antiangiogênica também foi demonstrada em experimentos in vivo", ilustram os autores.

Neste recente trabalho, Viviane A O Silva e colaboradores relatam a atividade in vitro de três compostos  semissintéticos derivados de E. tirucalli, IngA (ingenol-3-trans-cinamato), IngB (ingenol-3-hexanoato) e IngC (ingenol-3-dodecanoato), em  análise que avaliou 70 linhagens celulares de câncer humano, obtidas a partir de ampla variedade de tumores. "Além disso, o potencial antitumoral foi comparado com compostos conhecidos da mesma classe, ou seja, ingenol-3-angelato (Picato®) e ingenol 3,20-dibenzoato e em combinação com agentes quimioterápicos padrão", descrevem.

Os resultados mostram que IngA, B e C exibiram efeitos citotóxicos dose-dependentes, sendo IngC aquele que exibiu a melhor atividade nas linhagens de células tumorais. "Em comparação com o ingenol 3,20-dibenzoato e o ingenol-3-angelato, o IngC apresentou uma média de eficácia 6,6 e 3,6 vezes maior, respectivamente, comparado às linhagens celulares de câncer de esôfago", explicam. Outro benefício do IngC foi sensibilizar as células de câncer de esôfago ao tratamento com paclitaxel, registra a publicação.

Em conclusão, os compostos de ingenol semissintéticos, em particular, IngC, demonstram potente atividade antitumoral em todas as linhagens celulares de câncer avaliadas. Para os autores, esses achados devem motivar novas pesquisas.

Este estudo recebeu subsídios da Amazônia Fitomedicamentos Ltda e do Hospital de Câncer de Barretos.

Referência: Modified ingenol semi-synthetic derivatives from Euphorbia tirucalli induce cytotoxicity on a large panel of human cancer cell linesEuphorbia tirucalli induce cytotoxicity on a large panel of human cancer cell lines - Silva, V.A.O., Rosa, M.N., Martinho, O. et al. Invest New Drugs (2019). https://doi.org/10.1007/s10637-019-00728-0


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519