01122021Qua
AtualizadoSeg, 29 Nov 2021 7pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Estudo brasileiro identifica nova linhagem celular no câncer cervical

marcela rosa bxMarcela Nunes Rosa (foto), pesquisadora do Hospital de Câncer de Barretos, é primeira autora de estudo publicado na Scientific Reports que estabeleceu uma nova linhagem celular de câncer cervical em mulheres brasileiras. O sequenciamento total do exoma revelou as alterações genéticas da linhagem HCB-514, agora um novo modelo biológico para estudos pré-clínicos, que concorre para aumentar a compreensão da heterogeneidade molecular da doença.

Neste estudo, o objetivo foi estabelecer novas linhagens celulares de câncer cervical derivadas de pacientes brasileiras. De março de 2016 a junho de 2017, foram processadas 35 biópsias de câncer cervical. “Apenas uma das culturas de células, denominada HCB-514, sobreviveu por mais de 12 meses e continuou a crescer após vários ciclos de congelamento e descongelamento”, descrevem os autores. “Esta linhagem celular foi derivada de uma paciente de 30 anos diagnosticada com carcinoma de células escamosas do colo do útero estádio IIB. A paciente foi tratada com quimiorradiação baseada em platina de 10 de outubro a 17 de novembro de 2016 e estava livre da doença”, acrescentam.

Diante desses achados, fica evidente a importância do estudo de Barretos em identificar uma linhagem com características da população brasileira e é sensível à platina. O câncer cervical é o quarto câncer mais comum em mulheres e a maior carga da doença recai sobre países pobres e em desenvolvimento. Embora as taxas de cura sejam altas para a doença em estágio inicial, os desfechos clínicos para doença avançada, metastática ou recorrente permanecem pobres, indicando a importância de uma compreensão mais profunda da biologia do câncer do colo do útero e novos modelos de estudo para mudar o cenário atual.

Em 2018, foram notificados globalmente 570 mil novos casos de câncer cervical, com 311 mil mortes relacionadas. No Brasil, estimativas do INCA indicam 16.370 novos casos da doença em 2019, com um risco estimado de 15,43 casos a cada 100 mil mulheres.

Dados do Globocan (2008) indicam que 88% das mortes se concentram em países pobres e em desenvolvimento.

Referência: Rosa, M. N., Evangelista, A. F., Leal, L. F., De Oliveira, C. M., Silva, V. A. O., Munari, C. C., … Reis, R. M. (2019). Establishment, molecular and biological characterization of HCB-514: a novel human cervical cancer cell line. Scientific Reports, 9(1). doi:10.1038/s41598-018-38315-7


Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519