25112020Qua
AtualizadoTer, 24 Nov 2020 4pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Anvisa revê indicação de olaratumabe para o tratamento de sarcoma

sarcoma NET OKA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está tomando as medidas sanitárias necessárias sobre o medicamento olaratumabe (Lartruvo), que em estudo clínico de fase III não teve confirmado seu benefício para o tratamento de pacientes com sarcoma de partes moles avançado ou metastático. A decisão da Agência foi tomada em conjunto com o laboratório Eli Lilly, fabricante do medicamento.

No dia 18 de janeiro a Eli Lilly comunicou à Anvisa os resultados da análise primária do estudo de fase III que não confirmaram o benefício adicional do olaratumabe em comparação com a doxorrubicina em monoterapia, o tratamento padrão para a doença. Não foram identificados novos sinais de segurança durante o estudo e o perfil de segurança foi comparável entre os grupos de tratamento.

O medicamento foi aprovado em dezembro de 2017 para uso em combinação com a doxorrubicinano tratamento de pacientes com sarcoma de partes moles avançado, não passível de tratamento curativo com radioterapia ou cirurgia e que não foram previamente tratados com antraciclínicos.  

A aprovação teve a sua análise priorizada por ser uma alternativa terapêutica para o tratamento de uma doença rara, e foi baseada em dois estudos clínicos de fase 1, um estudo clínico de fase 1/2b, conduzido em aproximadamente 130 pacientes, e um estudo de fase 3 em andamento, com a inclusão de mais de 400 pacientes, e mediante o compromisso de envio dos resultados do estudo de fase 3 assim que disponíveis.  

Em nota, a Anvisa informa que em conjunto com a empresa detentora do registro está tomando as providências e ações necessárias para a devida informação e tomada de decisão dos pacientes e médicos sobre o ocorrido. “Também serão adotadas as devidas ações sanitárias quanto ao registro do medicamento”, diz.  

A Agência não recomenda que novos pacientes iniciem o tratamento com o olaratumabe, e aconselha aqueles pacientes que já fazem uso do medicamento a consultarem seus médicos sobre o seguimento do seu tratamento.


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519