20042019Sáb
AtualizadoQui, 18 Abr 2019 1am

banner_freud_adv_468x60.jpg

Prevalência de infecções virais em pacientes com câncer recém-diagnosticado

Hepatite B NET OKQual é a prevalência da infecção pelos vírus da hepatite B, hepatite C e HIV entre pacientes com câncer recém-diagnosticado? Estudo publicado no JAMA Oncology sugere que a triagem de pacientes com câncer para identificar a infecção pelo vírus da hepatite B (HBV) ou hepatite C (HCV) antes de iniciar o tratamento pode ser necessária para prevenir reativação viral e desfechos clínicos adversos.

O rastreamento universal de pacientes com câncer recém-diagnosticado para o vírus da hepatite B (HBV), vírus da hepatite C (HCV) e HIV não é rotina na prática em oncologia, e os especialistas discordam se a triagem universal deve ser realizada.

Agora, um estudo de coorte prospectivo, multicêntrico, buscou estimar a prevalência de infecção por HBV, HCV e HIV entre pacientes com câncer recém-diagnosticado (identificado no período de 120 dias do diagnóstico do câncer) em 9 instituições acadêmicas e 9 centros comunitários de tratamento oncológico afiliados à Rede Nacional de Ensaios Clínicos SWOG (anteriormente Southwest Oncology Group).

Os participantes foram inscritos entre 29 de agosto de 2013 e 15 de fevereiro de 2017. Foram analisados os dados disponíveis até 17 de agosto de 2017. O endpoint primário foi a presença de infecção por HBV (prévia ou crônica), infecção por HCV ou infecção por HIV no momento da inclusão. Foram avaliados pacientes com conhecimento prévio de infecção, bem como pacientes com status viral desconhecido.

Resultados

Entre 3092 pacientes registrados, 3051 pacientes foram elegíveis e avaliáveis. A mediana de idade foi de 60,6 (18,2-93,7) anos, 1842 (60,4%) eram do sexo feminino, 553 (18,1%) eram negros e 558 (18,3%) eram de etnia hispânica. A taxa de infecção observada para infecção anterior por HBV foi de 6,5% (95% IC, 5,6% -7,4%; n = 197 de 3050 pacientes); HBV crônico, 0,6% (95% IC, 0,4% -1,0%; n = 19 de 3050 pacientes); HCV, 2,4% (95% IC, 1,9% -3%; n = 71 de 2990 pacientes); e HIV, 1,1% (95% IC, 0,8% -1,6%; n = 34 de 3045).

Entre aqueles com infecções virais, 8 pacientes com HBV crônico (42,1%; 95% IC, 20,3% - 66,5%), 22 pacientes com HCV (31,0%; 95% IC, 20,5% -43,1%) e 2 pacientes com HIV (5,9%; 95% IC, 0,7% -19,7%) foram recentemente diagnosticados através do estudo. Entre os pacientes com infecções, quatro pacientes com HBV crônico (21,1%; 95% IC, 6,1% - 45,6%), 23 pacientes com HCV (32,4%; 95% IC, 21,8% - 44,5%) e 7 pacientes com HIV (20,6%, 95% IC, 8,7% -37,9%) não apresentavam fatores de risco identificáveis.

Os resultados demonstraram que uma proporção substancial de pacientes com câncer recém-diagnosticado e HBV ou HCV concomitantes desconheciam sua infecção viral no momento do diagnóstico de câncer e muitos não tinham fatores de risco identificáveis ​​para infecção. “A triagem de pacientes com câncer para identificar a infecção pelo VHB e VHC antes de iniciar o tratamento pode ser necessária para prevenir reativação viral e desfechos clínicos adversos. A baixa taxa de infecção por HIV não diagnosticado pode não apoiar a triagem universal de pacientes com câncer recém-diagnosticados”, concluíram os autores.

Referência: Prevalence of Hepatitis B Virus, Hepatitis C Virus, and HIV Infection Among Patients With Newly Diagnosed Cancer From Academic and Community Oncology PracticesScott D. Ramsey, MD, PhD1Joseph M. Unger, PhD2,3Laurence H. Baker, DO4; et al - JAMA Oncol. Published online January 17, 2019. doi:10.1001/jamaoncol.2018.6437


Publicidade
banner modelo3 newsletter onconews 300x150 pixels
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250