27112020Sex
AtualizadoSex, 27 Nov 2020 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Consumo precoce de álcool e risco de câncer de próstata de alto grau

Buzaid ASCO2018 NET OKEm comparação com os homens que não consomem álcool, aqueles que consumiram pelo menos sete drinques por semana durante a adolescência (entre 15 e 19 anos) tiveram três vezes mais chances de serem diagnosticados com câncer de próstata de alto grau. Os resultados são de estudo publicado na Cancer Prevention Research. O oncologista Antonio Carlos Buzaid (foto), Diretor Médico Geral do Centro de Oncologia da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo e membro do comitê gestor do Centro de Oncologia do Hospital Albert Einstein, comenta o trabalho.

"A próstata é um órgão que cresce rapidamente durante a puberdade, por isso é potencialmente mais suscetível à exposição carcinogênica durante a adolescência", disse Emma Allott, PhD, professora assistente no Departamento de Nutrição da Universidade da Carolina do Norte e primeira autora do estudo. "Por esse motivo, decidimos investigar se o consumo pesado de álcool no início da vida estava associado à agressividade do câncer de próstata mais tarde", acrescentou.

Pesquisas anteriores se concentraram no efeito da ingestão de álcool no risco global de câncer de próstata. Como muitos casos de câncer de próstata são indolentes, os pesquisadores analisaram a associação entre o consumo de álcool durante a puberdade e o câncer de próstata de alto grau na vida adulta.

Allott e colegas avaliaram dados de 650 homens submetidos a uma biopsia de próstata no Durham Veterans Affairs Medical Center entre janeiro de 2007 e janeiro de 2018. Os participantes tinham entre 49 e 89 anos, sem histórico de câncer de próstata, e eram racialmente diversificados (54% dos pacientes eram não-brancos). Os homens preencheram questionários que avaliaram a média de consumo semanal de bebidas alcoólicas (categorizadas como nenhuma, 1–6, ≥7) durante cada década de vida para determinar a ingestão de álcool idade-específica e acumulada ao longo da vida.

Resultados

Entre os 650 homens avaliados, 325 foram diagnosticados com câncer de próstata, sendo 238 com doença de baixo grau e 88 com doença de alto grau.

Após análise multivariada, os pesquisadores descobriram que o consumo pesado de álcool entre 15 e 19 anos não estava associado ao câncer de próstata em geral; no entanto, o consumo de pelo menos sete drinques por semana durante essa idade foi associado a 3,2 vezes mais chances de apresentar câncer de próstata de alto grau em comparação com os não-bebedores (OR = 3,21, p = 0,020).

Associações semelhantes foram observadas entre aqueles que consumiram pelo menos sete drinques por semana entre 20 e 29 anos, 30 e 39 anos e 40 a 49 anos, resultando em 3,14, 3,09 e 3,64 vezes mais chances de câncer de próstata de alto grau, respectivamente, em comparação com os não-bebedores. No entanto, o consumo atual de álcool não foi significativamente associado ao câncer de próstata de alto grau.

Os autores também avaliaram a associação entre o consumo cumulativo de álcool ao longo da vida e o diagnóstico de câncer de próstata. Em comparação com os homens no tercil mais baixo da ingestão de álcool ao longo da vida, aqueles no tercil superior apresentaram 3,2 vezes a probabilidade de apresentar câncer de próstata de alto grau na biopsia (OR = 3,20, p = 0,003).

"Nossas descobertas sugerem que a ingestão precoce de álcool deve ser explorada como um fator de risco potencial para câncer de próstata de alto grau”, disseram os autores. "É possível que o efeito do álcool seja fruto de uma ingestão ao longo da vida ou de uma ingestão mais precoce do que padrões de consumo alcoólico no momento do diagnóstico ", observaram.

As limitações do estudo incluem a confiança dos dados autorrelatados, que podem estar sujeitos a viés de memória. Além disso, como os consumidores pesados ​de álcool no estudo também eram frequentemente fumantes inveterados, Allott observou que apesar de ajustar seu modelo para o fumo, podem haver confusões residuais, e o tamanho da amostra não foi grande o suficiente para explorar mais essa associação.

Além disso, aqueles pacientes que consumiram muito álcool na adolescência normalmente continuaram a beber muito durante toda a vida e, portanto, não foi possível separar definitivamente os efeitos potenciais da exposição precoce ao álcool à exposição cumulativa ao longo da vida.

“O álcool é claramente cancerígeno. Este estudo vem somar a muitos outros trabalhos que dão suporte a esta conclusão. Mais recentemente, o Global Burden of Disease, Injuries and Risk Factors Study (GBD) 2016 [Lancet August 23, 2018] mostrou que qualquer ingesta de álcool aumenta o risco de câncer e que ele é responsável por 2,2% das mortes entre as mulheres e 6,8% entre os homens. temos que orientar nossos pacientes sobre este fato” avalia o oncologista Antonio Carlos Buzaid. 

O estudo foi financiado pelo American Institute for Cancer Research, Irish Cancer Society John Fitzpatrick Fellowship, e pelo National Institutes of Health.

Referência: Early-Life Alcohol Intake and High-Grade Prostate Cancer: Results from an Equal-Access, Racially Diverse Biopsy Cohort - Jamie Michael, Lauren E. Howard, Sarah C. Markt, Amanda De Hoedt, Charlotte Bailey, Lorelei A. Mucci, Stephen J. Freedland and Emma H. Allott - DOI: 10.1158/1940-6207.CAPR-18-0057 - Published Online First August 23, 2018  - doi: 10.1158/1940-6207.CAPR-18-0057


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519