25112020Qua
AtualizadoTer, 24 Nov 2020 4pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

CRISPR/Cas9 pode aumentar risco de câncer

CRISPR NET OKO uso terapêutico da edição de genes com a chamada técnica CRISPR-Cas9 pode aumentar o risco de câncer. É o que afirmam pesquisadores do Instituto Karolinska e da Universidade de Helsinki, em artigo publicado na Nature Medicine1.


Recentemente, a tecnologia CRISPR / Cas9 foi anunciada como a grande promessa para realizar a seleção de genes em células humanas. Agora, novos achados mostram preocupação com a segurança dessas terapias e indicam que a edição por CRISPR-Cas9 induziu uma resposta de dano de DNA mediada por p53. "Ao escolher as células que consertaram com sucesso o gene danificado, podemos inadvertidamente ter escolhido células sem a p53 funcional", diz Emma Haapaniemi, pesquisadora do Departamento de Medicina do Instituto Karolinska e co-primeira autora do estudo. "Se transplantados para um paciente, como na terapia genética para doenças hereditárias, essas células podem causar câncer, levantando preocupações quanto à segurança de terapias genéticas baseadas em CRISPR", destacou.

Para os pesquisadores, o grande problema é que a inibição da p53 deixa a célula transitoriamente vulnerável à introdução de rearranjos cromossômicos e outras mutações tumorigênicas. Esses resultados sugerem que a inibição da p53 pode melhorar a eficiência da edição do genoma e que a função da p53 deve ser monitorada durante o desenvolvimento de terapias baseadas em CRISPR-Cas9.

Referência: CRISPR/Cas9-genome editing induces a p53-mediated DNA damage response - Emma Haapaniemi, Sandeep Botla, Jenna Persson, Bernhard Schmierer and Jussi Taipale - Nature Medicine, online 11 June 2018, doi: 10.1038/s41591-018-0049-z

 


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519