13112019Qua
AtualizadoQua, 13 Nov 2019 1pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

Erradicação do H. pylori beneficia pacientes com câncer gástrico precoce

LaercioCasa NET OKEstudo publicado na edição de 22 de março do New England Journal of Medicine1 mostrou que o tratamento contra a infecção por Helicobacter pylori reduziu quase pela metade a incidência de câncer gástrico metacrônico após a remoção endoscópica seletiva da doença em estágio precoce. A proporção de pacientes que apresentou melhora no grau de atrofia do corpo gástrico a partir do baseline também foi significativamente maior entre aqueles tratados para H. pylori. “O estudo realizado por Choi e colaboradores foi muito bem desenhado e conduzido, e comprova a relação direta entre o Helicobacter pylori e o câncer gástrico nao-cárdico”, afirma o cirurgião Laercio Gomes Lourenço (foto), chefe do Grupo de Esôfago, Estômago, Duodeno e Intestino Delgado do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e médico do Centro de Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

“É um achado surpreendente que a erradicação do H. pylori ainda seja eficaz nesta fase”, observa Peter Malfertheiner, Diretor do Departamento de Gastroenterologia, Hepatologia e Infecção da Otto-von-Guericke-University, em Magdeburg, Alemanha, em editorial publicado na mesma edição. “Gastrite atrófica grave com ou sem metaplasia intestinal tem sido considerado um estágio no qual a eliminação do H. pylori (se ainda presente) não pode mais impedir o desenvolvimento do câncer. Esta alegação foi contestada por estudos anteriores que forneceram evidências de prevenção do câncer metacrônico pela erradicação do H. pylori após a ressecção endoscópica do câncer gástrico precoce. Os resultados de Choi et al. confirmam os achados anteriores, mostrando uma melhora significativa na gastrite atrófica em metade dos pacientes do estudo”, acrescenta

Sobre o estudo

Pacientes com câncer gástrico frequentemente desenvolvem alterações pré-cancerosas avançadas na mucosa gástrica, incluindo atrofia glandular e metaplasia intestinal. Os pesquisadores investigaram se a erradicação do H. pylori poderia prevenir o câncer metacrônico e diminuiria as alterações histológicas no câncer gástrico precoce.

Um total de 470 pacientes submetidos à ressecção endoscópica de câncer gástrico precoce ou adenomas de alto grau foram aleatoriamente randomizados para receber tratamento antibiótico para infecção por H. pylori ou placebo. Os dois principais desfechos do estudo foram a incidência de câncer gástrico metacrônico detectado por endoscopia um ano ou após; e a melhora em relação ao baseline no grau de atrofia glandular na pequena curvatura do corpo gástrico aos 3 anos de seguimento.

Foram incluídos 396 pacientes na população intent to treat modificada (194 no grupo de tratamento e 202 no grupo placebo). Em um acompanhamento médio de 5,9 anos, o câncer gástrico metacrônico se desenvolveu em 14 pacientes (7,2%) no braço d etratamento vs 27 pacientes (13,4%) no braço placebo (hazard ratio no grupo de tratamento, 0,50; 95% IC, 0,26 a 0,94, P = 0,03).

Entre os 327 pacientes no subgrupo que foram submetidos à análise histológica, a melhora do baseline no grau de atrofia no corpo gástrico de pequena curvatura foi observada em 48,4% dos pacientes no grupo de tratamento e em 15% dos pacientes no grupo placebo (P < 0,001). Não houve eventos adversos graves; eventos adversos leves foram mais comuns no grupo de tratamento (42,0% vs. 10,2%, P <0,001).

A proporção de pacientes que apresentou melhora no grau de metaplasia intestinal no mesmo local também foi maior no grupo que recebeu o tratamento em comparação com o grupo placebo (36,6% vs 18,3%; P <0,001), embora o grau não tenha diferido significativamente entre os grupos para atrofia glandular ou metaplasia intestinal no antro.

Em relação aos desfechos secundários, o benefício da erradicação do H. pylori foi menor. Os autores observaram que o desenvolvimento de adenomas foi quase idêntico em ambos os grupos: 16 pacientes no grupo de tratamento e 17 no grupo placebo.

A sobrevida global também não foi afetada. Mortes por qualquer causa foram relatadas em 11 pacientes no grupo de tratamento vs 6 no grupo placebo (hazard ratio, 1,95; P = 0,19). No grupo de tratamento, 1 paciente morreu de câncer gástrico, 6 devido a tumores em outros órgãos e 4 de outras causas; entre os pacientes que receberam placebo, 1 morreu de câncer gástrico, 1 de câncer de cólon e 4 de outras causas.

O estudo foi apoiado pelo National Cancer Center da Coréia do Sul.

Helicobacter pylori e câncer gástrico

Por Laercio Gomes Lourenço

A infecção gástrica causada por Helicobacter pylori é considerada a mais comum das infeções humanas2. A primeira observação de microrganismos, entre eles o H. pylori, no estômago foi realizada por Krienitz em doentes portadores de câncer gástrico no início do século XX3. Luger e Neuberger relataram a raridade desses microrganismos na mucosa gástrica e suco gástrico de indivíduos com mucosa gástrica saudável4.

O prêmio Nobel de 2005 recebido pelos cientistas Robin Warren e Barry J Marshall confirma a importância do H. pylori na gênese de várias afecções do estomago e na gênese de câncer gástrico5.

Estudo recentemente publicado por Doorakkers e cols. em 2018 em mais de 95 mil casos confirmam que a erradicação do H. pylori propiciou uma significante redução da incidência de adenocarcinoma gástrico não de junção esofagogástrico na população ocidental6. Por outro lado, o aumento da incidência dos adenocarcinomas da junção inclusive no Oriente mostra que que a prevalência do H. pylori nestes doentes é significantemente menor. Isto confirma a relação inflamação-displasia-câncer onde o H. pylori tem importante atuação7.

Por fim, este estudo realizado por Choi e colaboradores foi muito bem desenhado e conduzido e que comprova a relação direta entre o Helicobacter pylori e o câncer gástrico nao-cárdico.

Referências: 

1 - Helicobacter pylori Therapy for the Prevention of Metachronous Gastric Cancer – Il Ju Choi, Myeong-Cherl Kook, Young-Il Kim, Soo-Jeong Cho, Jong Yeul Lee, Chan Gyoo Kim, Boram Park, and Byung-Ho Nam - N Engl J Med. 2018;378:1085-1095

2 - Atherton JC, Cao P, Peek RM, Jr., Tummuru MK, Blaser MJ, Cover TL. Mosaicism in vacuolating cytotoxin alleles of Helicobacter pylori. Association of specific vacA types with cytotoxin production and peptic ulceration. J Biol Chem 1995;270(30):17771-7.

3 - Krienitz W. Ueber das Auftreten von Spirochäten verschiedener Form im Mageninhalt bei Carcinoma ventriculi. Dtsch Med Wochenschr 1906;32.

4 - Luger A, Neuberger H. Über Spirochätenbefunde im Magensaft und deven diagnostische Bedeutung fur das Carcinoma ventriculi. Zeit. f. Klin. Med. 1921;92(54).

5 - The Nobel Prize in Physiology or Medicine 2005 awarded to Barry J. Marshall and J. Robin Warren "for their discovery of the bacterium Helicobacter pylori and its role in gastritis and peptic ulcer disease".

6 - Doorakkers ELagergren JEngstrand LBrusselaers N. Helicobacter pylori eradication treatment and the risk of gastric adenocarcinoma in a Western population. GUT , Jan 30, 2018.

7 - Koike TOhara SInomata YAbe YIijima KShimosegawa T. - The prevalence of Helicobacter pylori infection and the status of gastric acid secretion in patients with gastroesophageal junction adenocarcinoma in JapanInflammopharmacology. 2007 Apr;15(2):61-4.


Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner personal2019 250x300p
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519
Publicidade
banner onconews spotify 300x150px