19092021Dom
AtualizadoSáb, 18 Set 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

JAVELIN mostra dados de avelumab no carcinoma urotelial

BexigaDados iniciais do estudo JAVELIN publicados em dezembro no Lancet Oncology indicam que o anti PD-L1 avelumab mostrou atividade antitumoral no tratamento de pacientes com carcinoma urotelial metastático, com perfil de segurança gerenciável.

A aprovação de inibidores de checkpoint anti-PD-1 e anti PD-L1 expandiu as opções de tratamento para pacientes com carcinoma urotelial localmente avançado ou metastático. Nesta análise de fase 1, o estudo JAVELIN combinou duas coortes de pacientes com carcinoma urotelial citologicamente confirmado, com doença localizada ou metastática, não elegíveis à platina ou que haviam progredido após pelo menos uma quimioterapia anterior à base de platina. O estudo envolveu 80 centros nos Estados Unidos, Europa e Ásia.

Foram selecionados pacientes com status ECOG 0 ou 1, expectativa de vida de pelo menos 3 meses e no mínimo uma lesão mensurável. Os pacientes receberam avelumab (10 mg/kg, 1h de infusão intravenosa) a cada 2 semanas, até a progressão confirmada da doença, toxicidade inaceitável ou outro critério para interrupção do tratamento. O endpoint primário foi a melhor resposta global (de acordo com a versão 1.1 do RECIST), avaliada por revisão independente. A análise de segurança foi realizada em todos os pacientes que receberam pelo menos uma dose de avelumab.

Resultados

Entre 3 de setembro de 2014 e 15 de março de 2016, 329 pacientes com carcinoma urotelial metastático avançado foram selecionados; 249 pacientes foram elegíveis e receberam tratamento com avelumab por uma mediana de 12 semanas (IQR 6 · 0-19 · 7) e seguiram por uma mediana de 9,9 meses (4 · 3-12 · 1). A atividade de segurança e antitumoral foi avaliada no ponto de corte de dados em 9 de junho de 2016. Em 161 pacientes pós-platina com pelo menos 6 meses de seguimento, a melhor resposta global (completa ou parcial) foi registrada em 27 pacientes (17% 95) % CI 11-24), incluindo nove (6%) respostas completas e 18 (11%) respostas parciais.

Em relação ao perfil de segurança, os eventos adversos mais frequentes relacionados ao tratamento (qualquer grau em ≥ 10% de pacientes) foram associados à infusão (73 [29%], todos os graus 1-2) e fadiga (40 [16%]). Os eventos adversos relacionados ao tratamento de grau 3 ou pior ocorreram em 21 (8%) de 249 pacientes, sendo os mais frequentes fadiga (quatro [2%]) e astenia, lipase elevada, hipofosfatemia e pneumonia em dois (1%) pacientes cada. 19 (8%) de 249 pacientes tiveram um evento adverso grave relacionado ao tratamento com avelumab, e ocorreu uma morte relacionada ao tratamento (pneumonite).

O estudo JAVELIN está registrado no ClinicalTrials.gov, número NCT01772004 e tem financiamento da Merck e Pfizer.

Referência: Avelumab in metastatic urothelial carcinoma after platinum failure (JAVELIN Solid Tumor): pooled results from two expansion cohorts of an open-label, phase 1 trialDOI: http://dx.doi.org/10.1016/S1470-2045(17)30900-2


Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519