03122020Qui
AtualizadoQua, 02 Dez 2020 8pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Rastreamento do câncer de pulmão precisa ser mais frequente em homens

Pulm__o_Horiz_NET_OK.jpgOs homens precisam ser submetidos ao rastreamento de câncer de pulmão com mais frequência que as mulheres. Os dados são de uma pesquisa apresentada na European Lung Cancer Conference (ELCC)1, que acontece em Genebra, Suíça, entre os dias 5 e 8 de maio. "Isso pode acontecer por diferenças na apresentação clínica e radiológica do câncer de pulmão em mulheres e homens", disse a autora principal do estudo, Mi-Young Kim, radiologista do Asan Medical Center, em Seul, Coreia.

"Um rastreamento menos frequente reduziria a exposição à radiação, mas estudos anteriores com intervalos de rastreamento mais longos produziram resultados variados", acrescentou.
 
A recomendação da US Preventive Services Task Force é o rastreio anual do câncer de pulmão com tomografia computadorizada de baixa dose em adultos de 55 a 80 anos com histórico de tabagismo de 30 anos/maço e que atualmente fumam ou pararam de fumar nos últimos 15 anos.2
 
O estudo investigou as diferenças do câncer de pulmão recém-desenvolvido entre os sexos e calculou os melhores intervalos de triagem de TC para mulheres e homens. Foram incluídos retrospectivamente 46.766 pacientes submetidos à tomografia computadorizada do tórax no Asan Medical Center entre janeiro de 2000 e fevereiro de 2016. Durante o período de estudo, 282 pacientes desenvolveram câncer de pulmão. Destes, 186 pacientes foram diagnosticados a partir da tomografia computadorizada inicial e foram excluídos do estudo, enquanto 96 pacientes (85 homens, 11 mulheres) foram diagnosticados por tomografia computadorizada subsequente e foram incluídos no estudo.
 
Nos 96 pacientes, os pesquisadores analisaram os intervalos de triagem de TC e o estágio e a patologia do câncer de pulmão no momento do diagnóstico para verificar se havia alguma diferença entre os sexos.
 
O tempo médio entre o diagnóstico de câncer de pulmão na TC e a tomografia computadorizada prévia foi significativamente maior nas mulheres (5,6 anos) do que nos homens (3,6 anos). No entanto, o estágio do câncer de pulmão no momento do diagnóstico foi maior nos homens: 82% dos cânceres de pulmão diagnosticados em mulheres foram estágio I em comparação com apenas 49% nos homens.
 
As análises patológicas mostraram que o nódulo sólido (72%) foi o mais comum entre os homens, enquanto o nódulo de opacidade de vidro fosco (45%) foi o mais comum entre as mulheres. Nos homens, o adenocarcinoma foi o tipo mais comum (42%), seguido pelo carcinoma espinocelular (35%), câncer de pulmão de pequenas células (18%) e outros (5%). Todas as mulheres tinham adenocarcinoma.
 
"Como o nódulo de opacidade de vidro fosco é a característica mais comum do câncer de pulmão em mulheres e todos os casos são adenocarcinoma, a taxa de crescimento do câncer pode ser baixa. A maioria das mulheres eram não-fumantes (82%), com risco mais baixo de câncer de pulmão, enquanto 87% dos homens eram fumantes. Nós incluímos todos os pacientes rastreados para câncer de pulmão em um período de 17 anos, mas o número de pacientes mulheres era baixo e mais estudos são necessários para confirmar as diferenças encontradas entre os sexos”, afirmou Kim.
 
Em conclusão, o estudo sugere que o intervalo de seguimento anual para a TC é muito frequente para as mulheres, e exames a cada 2-3 anos podem ser adequados. “Ao reduzir o número de tomografias não necessárias podemos diminuir a exposição à radiação e aumentar a custo-efetividade", concluiu a pesquisadora.
 
Pilar Garrido, chefe da Seção de Tumores Torácicos do Departamento de Oncologia Médica do Hospital Universitário Ramón y Cajal, em Madri, Espanha, observou que apesar do câncer de pulmão ser o câncer mais comum, o debate sobre a melhor estratégia de rastreio está em curso e os critérios de seleção atuais se baseiam apenas na idade e na quantidade de maços/ano. “Vários estudos sugerem que o câncer de pulmão tem características diferentes em mulheres em comparação com os homens, definindo assim uma entidade diferente em pacientes do sexo feminino. Como a expectativa é que a incidência de câncer aumente no futuro, comprometendo ainda mais os limitados recursos de saúde, estratégias personalizadas de triagem, como uma abordagem de gênero, poderiam ser uma forma de otimizar os resultados e alocar recursos adequadamente", comentou.
 
Segundo Pilar, os benefícios, malefícios e a viabilidade da implementação de políticas de rastreamento de câncer de pulmão com base no gênero devem ser avaliadas e comparadas com as recomendações atuais. “A taxa de câncer de pulmão em não-fumantes é diferente entre homens e mulheres e varia entre os países. Isto deve ser levado em conta ao considerar uma política de triagem de câncer de pulmão baseada em gênero", concluiu.
 
Referências:
 
1 -  Abstract 18PD - 'Optimal screening interval for detection of newly developed lung cancer: Comparison of sexual difference' will be presented by Dr Hyun Jung Koo during the Poster Discussion session 'Epidemiology and innovations in biomarker development' on Saturday, 6 May, 16:45 (CEST).
 
2 -https://www.uspreventiveservicestaskforce.org/Page/Document/UpdateSummaryFinal/lung-cancer-screening
 


 

Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519