19092021Dom
AtualizadoSáb, 18 Set 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Localização do tumor no câncer colorretal

Colorretal_OK.jpgOs resultados de uma análise retrospectiva dos estudos CRYSTAL e FIRE-3 mostraram que no câncer colorretal metastático (CCRm) RAS selvagem, os tumores do lado esquerdo tiveram resultados significativamente melhores do que os pacientes com tumores primários originários do lado direito que receberam os mesmos tratamentos. Os resultados foram apresentados dia 10 de outubro durante o Congresso ESMO 2016 e publicados simultaneamente no JAMA Oncology1.

Uma análise retrospectiva do estudo CALGB/SWOG 80405 (Alliance)2 apresentada na ASCO 2016 havia mostrado uma associação significativa entre a localização do tumor primário e os resultados clínicos de pacientes com câncer colorretal. O estudo demonstrou que tumores primários do lado esquerdo e direito são clinicamente diferentes e consequentemente impactam em diferentes desfechos. A análise sugere ainda que a eficácia de cetuximabe (Erbitux, Merck Serono) e bevacizumabe (Avastin, Roche) pode ser diferente, dependendo da localização do tumor primário.

O trabalho apresentado na ESMO aumenta o corpo de evidências dessas descobertas ao examinar o valor prognóstico e preditivo da localização do tumor primário em pacientes com câncer colorretal RAS selvagem tratados em primeira linha com FOLFIRI (fluorouracil, leucovorina e irinotecano) mais cetuximabe no estudo CRYSTAL; e FOLFIRI mais cetuximabe versus FOLFIRI mais bevacizumabe, também em primeira linha, em pacientes com câncer colorretal metastático do FIRE-3.
 
“O trabalho mostra que não apenas do ponto de vista embrionário, mas também do ponto de vista de perfil genético, são doenças diferentes. Nós já tínhamos algumas indicações de que os tumores do lado direito têm uma apresentação diferente, são diagnosticados mais tardiamente, a própria evolução é diferente. A análise do perfil molecular realmente demonstrou isso de uma maneira bem significativa”, comenta o oncologista clínico Eduardo Moraes, do Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB), do Grupo Oncoclínicas.
 
Métodos e resultados
 
Nesta análise retrospectiva, os pacientes com câncer colorretal metastático RAS selvagem dos estudos CRYSTAL (NCT00154102) e FIRE-3 (NCT00433927) foram classificados como tendo CCRm no lado esquerdo (quando os tumores tiveram origem na flexura esplênica, cólon descendente, cólon sigmóide ou reto) ou direito (tumores com origem no apêndice, ceco, cólon ascendente, flexura hepática ou cólon transverso).
 
A sobrevida livre de progressão (SLP), sobrevida global (SG) e a taxa de resposta objetiva (TRO) foram avaliadas de acordo com a localização do tumor e o braço de tratamento.
 
Na população RAS selvagem dos ensaios CRYSTAL (n=142) e FIRE-3 (n=157), os pacientes com tumores do lado esquerdo apresentaram SLP, SG e TRO marcadamente superiores em comparação com os pacientes com tumores do lado direito (n=33 e n=38, respectivamente).  FOLFIRI mais cetuximabe em primeira linha beneficiou claramente os doentes com tumores do lado esquerdo (vs FOLFIRI ou FOLFIRI mais bevacizumabe), enquanto os pacientes com tumores do lado direito obtiveram benefícios limitados dos tratamentos padrão.
 
O trabalho fornece uma uma variável que pode mudar a prática clínica e mostra que a localização do tumor primário deve ser incluída nos critérios de estratificação para futuros ensaios em pacientes com CCRm, particularmente aqueles que envolvem inibidores de EGFR. “Na minha opinião esse resultado tem impacto na prática clínica e reforça o benefício de usar o inibidor de EGFR em tumores do lado esquerdo. Vale observar que o uso dos anti-EGFR em pacientes RAS mutado tem um efeito deletério”, conclui o especialista.

Referências: 

1 - Prognostic and Predictive Relevance of Primary Tumor Location in Patients With RAS Wild-Type Metastatic Colorectal Cancer Retrospective Analyses of the CRYSTAL and FIRE-3 Trials 
 
2 – Impact of primary (1º) tumor location on overall survival (OS) and progression-free survival (PFS) in patients (pts) with metastatic colorectal cancer (mCRC): Analysis of CALGB/SWOG 80405 (Alliance).  
 


Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519