23112020Seg
AtualizadoSeg, 23 Nov 2020 12pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Risco de câncer de pulmão em não fumantes

BALANCO_PULMAO_horiz_bx.jpgPesquisadores do MD Anderson Cancer Center desenvolveram uma ferramenta de avaliação para prever o risco de câncer de pulmão em não fumantes, fumantes leves e pesados. O estudo, publicado online dia 2 de novembro na Scientific Reports (Nature) é o primeiro a desenvolver uma ferramenta para avaliação de risco em indivíduos que nunca fumaram, a partir de um grande estudo de coorte prospectivo taiwanês.

Para os autores, ao incorporar fatores de risco, além do histórico de tabagismo, a ferramenta pode ajudar a refinar a triagem de câncer de pulmão e reduzir falsos positivos.
 
“Este é o primeiro estudo a tentar identificar de acordo com características pessoais e biomarcadores indivíduos não fumantes com risco elevado de desenvolver câncer de pulmão, abrindo as portas para rastreamento no futuro, algo até agora limitado a fumantes”, afirma o oncologista Gilberto Lopes, Professor Associado de Medicina e Diretor Médico para Programas Internacionais do Sylvester Comprehensive Cancer Center na Universidade de Miami.

A American Cancer Society estima que 224.390 pessoas serão diagnosticadas com câncer de pulmão este ano nos Estados Unidos e 158.080 morrerão da doença. Embora a maioria dos casos seja diagnosticada em fumantes, até 20% dos cânceres de pulmão nos Estados Unidos ocorrem em não tabagistas.

"Atualmente, não há critérios para selecionar indivíduos de alto risco para câncer de pulmão entre a população de não fumantes", diz a autora principal, Xifeng Wu, professora de Epidemiologia da Universidade do Texas. "A partir deste estudo podemos diferenciar o risco naqueles que nunca fumaram, em fumantes leves e pesados”, explica.
 
Métodos
 
Os pesquisadores analisaram uma coorte prospectiva de 395.875 participantes em Taiwan, recrutados pelo MJ Health Group para participar de um programa de rastreamento. A idade média dos participantes foi de 40,4 anos e 52% da coorte eram do sexo feminino. Os fumantes pesados ​​foram classificados como aqueles com história de tabagismo de 30 anos, com consumo de um maço ou mais de cigarros por dia. Os fumantes leves tinham menos de 30 anos de tabagismo.
 
As análises foram realizadas após uma mediana de 7,3 anos de seguimento. Entre os participantes, 1.117 casos de câncer de pulmão foram diagnosticados com idade média de 60,2 anos. Quarenta e sete por cento dos casos de câncer de pulmão foram diagnosticados em indivíduos que nunca fumaram, que constituíram 71% dos participantes, e 38 % ocorreram em mulheres.
 
Além da idade, sexo e histórico de tabagismo, os pesquisadores incorporaram histórico de câncer pessoal e familiar, índice de massa corporal, um teste de função pulmonar e quatro biomarcadores de sangue para determinar probabilidades de risco de cinco e dez anos para não fumantes (indivíduos que nunca fumaram), fumantes leves e pesados.
 
Resultados
 
O risco estimado em cinco anos para câncer de pulmão variou de 0,01% a 15,82% entre aqueles que nunca fumaram, de 0% a 7,39% em fumantes leves, e de 0,02 por cento a 7,48 por cento em fumantes pesados.
 
O risco estimado em 10 anos variou de 0,02% a 32,97% em não fumantes; de 0,01% a 16,31% em fumantes leves e de 0,06% a 18,13% em fumantes pesados.
 
"Nosso modelo foi capaz de estratificar o risco em pessoas que nunca fumaram e distingui-las de outros grupos com probabilidades dramaticamente diferentes de desenvolver câncer de pulmão ao longo do tempo. De acordo com nossos resultados, um pequeno número de indivíduos que nunca fumaram tem risco de câncer de pulmão tão elevado como alguns fumantes pesados", diz ela.
 
Através de uma classificação mais precisa do risco de câncer de pulmão, os pesquisadores esperam reduzir falsos positivos em fumantes de baixo risco e melhorar a triagem para não-fumantes de alto risco.
 
“Apesar do grande número de participantes incluídos neste estudo, os resultados são limitados e novas validações em coortes independentes serão necessárias para determinar a verdadeira capacidade deste modelo em populações não-asiáticas, diz Wu, que está trabalhando na identificação de coortes adequadas para futuros estudos.
 
O estudo foi apoiado pela Universidade do Texas, pelo MD Anderson Cancer Center Research Trust e pelo Centro de Pesquisa do Departamento de Saúde de Taiwan (DOH101-TD-B-111-004). Disponível para acesso aberto.
 
Referência: Personalized Risk Assessment in Never, Light, and Heavy Smokers in a prospective cohort in Taiwan - Scientific Reports 6, Article number: 36482 (2016) - doi:10.1038/srep36482 
 


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519