20062021Dom
AtualizadoQui, 17 Jun 2021 6pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Painel de experts: câncer de pulmão não-pequenas células

BALANCO_PULMAO_horiz_bx.jpgDiante dos dados do LUX-Lung 7, que TKI você indicaria no tratamento de primeira linha do câncer de pulmão não pequenas células com mutação EGFR, em um cenário de igual disponibilidade de acesso? E em pacientes com deleção do exon 19, qual a melhor opção terapêutica? Confira a opinião de grandes nomes da oncologia, no Painel de Experts.





Diante dos dados do LUX-Lung 7, que TKI você indicaria no tratamento de primeira linha do câncer de pulmão não pequenas células com mutação EGFR, em um cenário de igual disponibilidade de acesso?

 

Participante

Afatinibe
Justifique sua resposta

Gefitinibe
Justifique sua resposta

Outro
Justifique sua resposta

Em pacientes com deleção do exon 19, qual a sua escolha? Justifique.

Aknar Calabrich
Clínica AMO

 

Apesar dos dados provocadores do afatinibe, os efeitos colaterais diferem e isso impacta na escolha. Em pacientes idosos, com baixo volume de doença, acho gefitinibe melhor tolerado.

 

Em casos em que é preciso maior taxa de resposta em exon 19, provavelmente vou favorecer afatinibe.

Clarissa Mathias
Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB)

 

 

Erlotinibe ou Gefitinibe (eficácias semelhantes e melhor perfil de toxicidade).

Afatinibe, em função dos ganhos de sobrevida global em pacientes com deleção do exon 19.

Eldsamira Mascarenhas
Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB)

A presença da mutação de sensibilidade a inibidor de TKI, antes do resultado do LL7 já tínhamos dados suficientes para prescrição de erlotinibe ou gefitinibe. Os dados do LL7 vieram para trazer mais uma opção terapêutica. A decisão de qual inibidor de TKI utilizar dependerá da disponibilidade da droga, custo, além de perfil de toxicidade e preferência do paciente e médico. O dado de aumento de sobrevida em pacientes portadores de mutação do 19 precisa de confirmação adicional. O ideal seria que tivéssemos um estudo comparando os 3 TKIs para que pudéssemos escolher de forma mais adequada.

Gilberto Lopes
Grupo Oncoclínicas e HCOR Onco

 

Críticas frequentes ao afatinibe incluem a maior toxicidade, o custo, o fato do LUX Lung 7 ter sido um estudo de fase 2, e não 3, e a ausência de diferenças em sobrevida global até agora. Além disso, quando analisamos as curvas de sobrevida livre de progressão, elas se se separam somente após a mediana, depois dos 11 meses. Na minha interpretação, quando colocamos o estudo LUX Lung 1 em perspectiva, fica a impressão que o tratamento sequencial com gefitinibe seguido de afatinibe na progressão poderia ter resultados semelhantes. Finalmente, estudos com TKIs de terceira geração também estão comparando sua atividade em primeira linha com inibidores de primeira geração, e os estudos iniciais são muito promissores, com sobrevida livre de progressão mediana de 19,3 meses para osimertinibe, por exemplo.

No caso de deleção no exon 19, com melhor sobrevida global, o afatinibe tem uma vantagem sobre os outros inibidores usados em primeira linha.

Hospital de Câncer de Barretos 
Equipe do Departamento de Tórax

 

 

Consideramos adequado qualquer um dos inibidores disponíveis e não temos ainda uma preferência específica, baseado em dados atuais de literatura. O perfil de eventos adversos é semelhante entre eles, assim como a eficácia.

Afatinibe – Nos pacientes com deleção no exon 19, consideramos iniciar tratamento com o afatinibe, baseado em dados de uma análise combinada dos estudos LUX-Lung 3 e LUX-Lung 6, que evidenciou aumento de sobrevida global com uso do afatinibe nesse grupo de pacientes, quando comparado a quimioterapia baseada em platina. Aguardamos ainda a publicação dos dados de sobrevida global referentes ao estudo LUX-Lung 7.

Igor Morbeck
Hospital Sírio-Libanês

 

 

Ambos os tratamentos. O dado é baseado em estudo fase II, patrocinado pela indústria e o benefício clínico demonstrado é pequeno e talvez clinicamente irrelevante. Além disso o Afatinibe se mostrou mais tóxico do que o Gefitinibe. Precaução especial deve ser feita na população de pacientes idosos.

Afatinibe - Dados do LUX-LUNG 3 e 6 mostram maior eficácia em pacientes que albergam esta mutação.

Marcelo Cruz  
Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes (COAEM)

 

 

X - De forma geral, Os TKis do EGFR de 1ª e 2ª geração apresentam resultados ainda muito semelhantes. Análises de subgrupos pré-planejadas podem auxiliar na seleção do TKi.

Afatinibe

William William Jr.

MD Anderson Cancer Center

Voto para afatinibe em qualquer situação (deleção de exon 19 ou mutação de exon 21) devido ao aumento de resposta global e sobrevida livre de progressão comparado a gefitinibe demonstrados no estudo LUX Lung 7.

 

 

Afatinibe


Referência: Afatinib versus gefitinib as first-line treatment of patients with EGFR mutation-positive non-small-cell lung cancer (LUX-Lung 7): a phase 2B, open-label, randomised controlled trial - Park, Keunchil et al. - The Lancet Oncology, Volume 17, Issue 5, 577 – 589 - DOI: http://dx.doi.org/10.1016/S1470-2045(16)30033-X


Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519