05122020Sáb
AtualizadoSex, 04 Dez 2020 6pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Imunoterapia no câncer de próstata

Maluf_NET_OK_2.jpgEstudo de fase II mostrou que o anti PD-1 pembrolizumab trouxe benefício em pacientes com câncer de próstata resistente a castração com evidência de progressão a enzalutamida. Os resultados foram publicados no Oncotarget. É a primeira vez que um estudo demonstra atividade clínica com o uso de anti PD-1 em homens com CPRC metastático. O oncologista Fernando Maluf (foto) comenta para o Onconews.

Em 2012, estudo de fase 1 com o anti PD-1 nivolumabe mostrou atividade em pacientes com melanoma, células renais e câncer de pulmão não-pequenas células, mas não houve impacto entre os 17 pacientes com câncer de próstata resistente à castração (CPRC) incluídos no estudo. Dois outros trabalhos avaliaram ipilimumabe em CPRC, também sem respostas, o que suscitou pouco interesse na imunoterapia para esse cenário da doença. Agora, resultados encorajadores devem fomentar novos trabalhos com imunoterapia no câncer de próstata resistente a castração.

Nesse estudo, oOs pesquisadores associaram 4 doses de pembrolizumab (200 mg IV a cada 3 semanas) à dose padrão de enzalutamida e 3 dos 10 pacientes avaliados experimentaram redução rápida do PSA para ≤ 0,2 ng/ml.

Para os autores, as respostas obtidas neste estudo de fase II foram “surpreendentes e robustas”.  Três dos dez primeiros pacientes incluídos no estudo experimentaram redução rápida no antígeno específico da próstata (PSA) para ≤ 0,2 ng / ml e permaneceram livres de progressão em 30, 55 e 16 semanas de follow-up (Tabelas 1 e 2). Entre os 7 pacientes restantes, três tiveram a doença estável  por 30, 47 e 50 semanas. Quatro pacientes não tiveram evidência de benefício clínico e um deles morreu câncer de próstata.

A imuno-histoquímica a partir das biópsias dos respondedores revelou a presença de células CD3 +, CD8 +, CD163 + e expressão PD-L1 em leucócitos infiltrados no tumor. A análise genética dos respondedores revelou marcadores de instabilidade de microssatélites.

”Esse é um estudo bastante preliminar que mostra nessa população de pacientes selecionados um grau de atividade em termos de resposta desses imuno checkpoint inhibitors, neste caso específico o pembrolizumabe. Esses resultados evidentemente terão que ser validados em amostras maiores, em estudos randomizados, para verificar realmente se esta atividade confere benefício em termos de sobrevida global e melhor qualidade de vida. Outros aspectos importantes que levantam dúvidas é se é melhor que essas drogas sejam combinadas com agentes hormonioterápicos ou até quimioterápicos isoladamente ou até mesmo com o duplo bloqueio dos checkpoints, como, por exemplo, com inibidores do CTLA-4”, analisa Fernando Maluf, diretor do Serviço de Oncologia Clínica do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes e oncologista do Hospital Israelita Albert. “Evidentemente, é um estudo que não muda a conduta”, sublinha Maluf.

Tabela 1: Características dos pacientes

Características  Número de pacientes
Pacientes inscritos 10
Mediana de idade
Variação
72
61-80
Raça - Caucasianos 10
ECOG PS
0
1

3
7
Tratamento primário
Prostatectomia radical
Radioterapia
Nenhum

6
1
3

Gleason sum ao diagnóstico
≤ 6
7
≥8


1
5
4

Estadio clínico ao diagnóstico (n=4)
T1c
T2b
T2c
M1
Estadio patológico (n=6)
T2
T3
N0
N1




1
1
2
2

3
3
3
3

Locais da doença metastática
Somente óssea
Somente linfonodal
Fígado e óssea
Número com doença mensurável

7
2
1
3
Lesão que poderia ser biopsiada 3
PSA, ng/ml
Mediana
Variação

25,86
4,13 - 2502,75
Hemoglobina, g/dl
Mediana
Variação

12,75
10,3 - 15,1
Fosfatase alcalina, U/L
Mediana
Variação

76,5
31 - 568
Terapias anteriores
Docetaxel para doença sensível à castração
Abiraterona
Enzalutamida
Sipuleucel-T

1
5
10
1
Números de semanas anteriores ao estudo em enzalutamida 
Mediana
Variação

52
29-230
Uso de narcóticos no baseline 6

ECOG PS - Eastern Cooperative Oncology Group Perfomance Status

Tabela 2: Pacientes respondedores*

Número de pacientes Data do ciclo 1 PSA (ng/ml) baseline a nadir Doença mensurável no baseline Melhor resposta radiológica MSI Tratamento anterior para CPRCm
1 Abril de 2015 70,65 - 0,08 Sim PR Presente abi, enz
7 Outubro de 2015 46,09 - 0,02 Não  N/A N/A abi, enz
10 Janeiro de 2016 2502,75 < 0,01 Sim PR Ausente enz

*Todos os pacientes respondedores permanecem no estudo
PR - Resposta parcial; N/A - Não aplicável (por exemplo, biópsia no baseline não realizada); MSI - Instabilidade microsatélite; abi - Abiraterona; enz - Enzalutamida

Referência: Early evidence of anti-PD-1 activity in enzalutamide-resistant prostate cancer - DOI: 10.18632/oncotarget.10547
 

 
 


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519