22042021Qui
AtualizadoQui, 22 Abr 2021 4am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Anvisa aprova registro de nivolumabe no Brasil

Imuno_NET_OK.jpgA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou o registro do anti PD-1 nivolumabe (Opdivo®) para o tratamento do melanoma metastático e do câncer de pulmão localmente avançado ou metastático. Nivolumabe é o primeiro imuno-oncológico disponível no Brasil para pacientes com câncer de pulmão e a decisão da Anvisa foi baseada nos resultados dos estudos de fase III CHECKMATE-017 e CHECKMATE-057.

No primeiro estudo, o anti PD-1 mostrou ganho estatisticamente significativo de sobrevida global (OS) na comparação com docetaxel, reduzindo em 41% o risco de morte. A taxa de sobrevida em 1 ano foi de 42% para nivolumabe e de 24% para docetaxel, com taxa de resposta objetiva de 20% para os pacientes que utilizaram nivolumabe versus 8,8% para docetaxel. O ensaio CHECKMATE-057, que incluiu pacientes com subtipo não escamoso, também mostrou benefício de sobrevida global, com vantagem estatisticamente significativa. A taxa de sobrevida em 1 ano foi de 50,5% vs 39% com docetaxel (p= 0.00155), confirmando a superioridade da imunoterapia, que proporcionou redução de 27% no risco de morte. 

Melanoma 

A decisão da Anvisa também prevê o uso de nivolumabe no tratamento do melanoma. O moderno inibidor de checkpoint mostrou eficácia e segurança no tratamento da doença avançada ou metastática, com resultados duradouros e perfil de toxicidade bastante tolerável.
 
“A aprovação do nivolumabe no mercado brasileiro representa uma das maiores contribuições para o armamentário oncológico contra o câncer de pulmão e melanoma. Agora, tanto pacientes com melanoma metastático como pacientes com câncer de pulmão metastático têm uma opção melhor do que quimioterapia e ainda com menos efeitos colaterais”, afirma Antônio Carlos Buzaid, chefe-geral do Centro Oncológico Antonio Ermírio de Morais (COAEM) da Beneficência Portuguesa de São Paulo e membro do comitê gestor do Centro de Oncologia e Hematologia Dayan-Daycoval, do Hospital Israelita Albert Einstein.

Segundo o oncologista Gilberto Lopes, diretor médico e científico do Grupo Oncoclínicas, a aprovação é muito importante não somente pela esperança de controle da doença por mais tempo para um número maior de pacientes, mas especialmente pela promessa de melhores resultados no futuro, à medida que se aprenda a usar melhor a imuno-oncologia e novas combinações e biomarcadores sejam validados. O especialista ressalta ainda o tempo de aprovação da Anvisa, apenas um ano a mais que o FDA. "A aprovação foi significativamente mais rápida se comparada ao tempo de dois anos ou mais que estamos acostumados. Esperamos que a agência continue a melhorar seus processos para que tenhamos aprovações ainda mais rápidas”, diz.

Para Lopes, a grande dificuldade a ser enfrentada agora é o tempo que demorará para que pacientes do SUS também possam se beneficiar destes novos tratamentos. “Precisamos de uma atuação do sistema público como maior comprador de medicamentos contra o câncer no Brasil e que poderia usar seu poder de barganha para conseguir melhores preços. Para o tratamento da Hepatite C, por exemplo, o governo conseguiu reduzir o custo dos novos medicamentos em mais de 80%, tornando-os viáveis e custo-efetivos no contexto nacional. Precisamos de mais inciativas como essa no tratamento do câncer”, afirma.

O diretor-geral do Centro de Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Riad Younes, concorda que a aprovação é um avanço importante para o manejo de doentes com câncer de pulmão metastático, e ressalta a importância da seleção de pacientes. “É preciso ser indicado de uma forma cautelosa, para as pessoas que realmente se beneficiam do tratamento, porque infelizmente esse é um tratamento caro. Sem dúvida, quando bem indicado, o tratamento tem um impacto impressionante”, diz.
 
Após o registro da Anvisa, nivolumabe aguarda a definição de preços da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). Opdivo® é fabricado pela Bristol-Myers Squibb e a expectativa é de que esteja disponível para comercialização ainda este ano.

Leia mais: Imunoterapia em câncer de pulmão

CheckMate 017 e CheckMate 057

União europeia aprova imunoterapia em câncer de pulmão

FDA aprova nivolumabe em câncer de pulmão


Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519