31072021Sáb
AtualizadoQui, 29 Jul 2021 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Pesquisa e educação continuada são prioridade do GTG

analisa_prollaRED_NET_OK.jpgDurante a 19° edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC 2015), o Grupo Brasileiro de Tumores Gastrointestinais (GTG) elegeu sua diretoria para o biênio 2016/2017. O oncologista Gabriel Prolla, do Instituto do Câncer Mãe de Deus, assume a presidência do GTG, cargo até então ocupado por Anelisa Coutinho, da Clínica AMO - Assistência Multidisciplinar em Oncologia, que agora assume a vice-presidência.

Os oncologistas Rui Weschenfelder, do Centro de Oncologia do Hospital Moinhos de Vento; Renata D’Alpino, do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes (COAEM); Rene Gansl, do Centro Paulista de Oncologia (CPO) – Grupo Oncoclínicas, e Paulo Hoff, do ICESP e Hospital Sírio-libanês, também fazem parte da nova diretoria. 

Balanço

Para Anelisa Coutinho, presidente dos dois primeiros biênios do Grupo, o balanço é bastante positivo. “Foram anos extremamente produtivos. Somos um grupo novo e já construímos muita coisa. Fizemos sete consensos que envolveram cerca de 200 experts. Vários deles já foram aceitos para publicação e estão disponíveis em nosso site”, afirma Anelisa.
 
A oncologista acrescenta que no período foram realizados três preceptorships internacionais com a participação de 50 associados, quatro webmeetings e um simpósio internacional. “Hoje o GTG já é tido como referência por colegas, laboratórios e pela própria Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica”, comemora. 

Próxima gestão 

Promover educação médica continuada por meio de preceptorships, simpósios e webmeetings continua nos planos do GTG, que acrescenta a realização de estudos clínicos como um desafio da nova gestão. “Esse é o maior desafio. Além de manter o programa de educação médica continuada, queremos estabelecer uma estrutura voltada também para a pesquisa clínica multicêntrica, com a participação dos vários médicos membros do GTG”, explica Gabriel Prolla.
 
O novo presidente do GTG também destaca a atualização dos consensos como prioridade. “Já houve uma primeira rodada de consensos de vários tumores – colorretal, estômago, esôfago, pâncreas, vias biliares, tumor neuroendócrino, e agora vamos entrar em uma fase de atualização”, conclui.
 


Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519