31072021Sáb
AtualizadoQui, 29 Jul 2021 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Estudo do MD Anderson revela uma nova visão sobre a progressão do tumor

egfr.jpgCientistas do MD Anderson Cancer Center mostraram que o EGFR pode ser desligado com a ajuda de uma citocina conhecida como MIF (fator inibidor da migração de macrófagos). Os pesquisadores acreditam que a descoberta pode sinalizar um novo olhar para o tratamento de tumores. 

Os resultados do estudo, que focou em tumores do cérebro, mama e próstata, foram publicados dia 17 de agosto na revista Nature Cell Biology.

A maneira exata de como a ativação do EGFR é regulada no microambiente tumoral ainda não foi compreendida, nem um antagonista extracelular do EGFR foi identificado. O microambiente do tumor, incluindo vasos sanguíneos circundantes, células do sistema imunológico, fibroblastos e outras células e estruturas, é cada vez mais reconhecido como um fator chave na progressão da doença.

Segundo o estudo, a MIF parece ser vital para regular a ativação do EGFR no ambiente extracelular ou externo das células tumorais. "MIF pode tanto ser liberada a partir do tumor como de células do sistema imunológico", disse Zhimin Lu, professor de Neuro-Oncologia. "É importante ressaltar que a liberação da MIF é modificada por um grupo de açúcares, o que permite que ela obtenha uma nova função ", afirmou.
 
A equipe de Lu descobriu que a MIF modificada se liga ao EGFR e o inibe, bloqueando o receptor de fator de crescimento epidérmico e impedindo sua ativação em células cancerosas. "As células cancerosas liberam MMP13, uma enzima envolvida em muitas fases de progressão do câncer. Essa enzima degrada a MIF extracelular impactando o EGFR de tal maneira que promove sua ativação, a invasão de células tumorais e, finalmente, forma tumores cerebrais", explicou.
 
Os resultados da equipe demonstram um importante mecanismo subjacente à ativação do EGFR amplificado em tumores, mediado pela regulação negativa do seu antagonista, MIF, no microambiente tumoral.
 
Segundo Lu, a compreensão da sinergia entre EGFR e MIF fornecem um "insight instrumental" na progressão tumoral e pode abrir novas abordagens para o tratamento do câncer pela intervenção neste circuito de autoregulação.
 
O trabalho também contou com a participação de duas instituições chinesas - Affiliated Hospital of Hebei University, de Baoding; e Wenzhou Medical University, de Wenzhou.
 
O estudo foi financiado pelo National Cancer Institute, National Institute of Neurological Disorders and Stroke, National Institutes of Health; James S. McDonnell Foundation 21st Century Science Initiative in Brain Cancer Research Award; e Cancer Prevention and Research Institute of Texas.
 
Referência: Secretedand O-GlcNAcylated MIF binds to the human EGF receptor and inhibits its activation – Nature Cell Biology (2015) - doi:10.1038/ncb3222


Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519