22042021Qui
AtualizadoQui, 22 Abr 2021 4am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

NCCN publica novo guideline para cessação do tabagismo

stop_cigarros_bx.jpgO National Comprehensive Cancer Network® (NCCN®) publicou um novo guideline para cessação do tabagismo. As diretrizes foram apresentadas dia 13 de Março, durante a 20a Conferência Anual do NCCN. Dirigidas ao tratamento de fumantes diagnosticados com câncer, as diretrizes recomendam planos de tratamento que incluem farmacoterapia baseada em evidências e terapia comportamental.

As doenças relacionadas com o tabaco são a maior causa de morte evitável no mundo. De acordo com a American Cancer Society, em 2015, quase 171 mil das cerca de 589.430 mortes por câncer nos Estados Unidos, mais de 25%, têm relação com o fumo. No Brasil, um levantamento realizado pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), mostrou que 60% dos fumantes diagnosticados com câncer não conseguem largar o cigarro mesmo após descobrirem a doença. A pesquisa ainda apontou que 35% de todos os atendimentos realizados pelo Instituto são de pacientes tabagistas.
 
Segundo o oncologista Mauro Zukin, diretor técnico do Grupo COI, a cessação do tabagismo é um problema pouco explorado nos consultórios. “O número observado pelo grupo do ICESP não me surpreende, uma vez que, em conversas informais com oncologistas durante as aulas que ministramos, a maioria dos médicos prefere não abordar esse assunto diante de outros desafios que se impõem naquele momento delicado, como a abordagem de um tratamento paliativo”, afirma.
 
Para o especialista, essa "vista grossa" faz com que a grande maioria dos pacientes com câncer de pulmão mantenha o hábito de fumar, mesmo durante o tratamento. “A literatura é clara não só em câncer de pulmão, mas de mama e ginecológico, no qual o prognóstico é pior em quem continua fumando. Por esta razão, é dever do oncologista alertar e orientar em algum momento as vantagens de parar”, alerta. 

Recomendações

Para atender às necessidades dos pacientes que são fumantes no momento do diagnóstico de câncer, o Painel de Diretrizes do NCCN para Cessação do Tabagismo recomenda que os planos de tratamento para todo fumante com câncer incluam a farmacoterapia baseada em evidências, a terapia comportamental e o acompanhamento próximo, além de um novo tratamento, se necessário.
 
"O vício do cigarro é uma doença crônica e recorrente e muitos fatores contribuem para o sucesso ou fracasso em deixar o hábito a longo prazo. A ciência tem mostrado que fumantes com câncer têm um alto nível de dependência e a cessação do tabagismo leva a melhores resultados no tratamento do câncer e à diminuição da recorrência ", disse Peter Shields, oncologista especializado em câncer de pulmão da universidade estadual de Ohio. Segundo o especialista, embora a comunidade médica reconheça a importância da cessação do tabagismo, o apoio aos pacientes em deixar de fumar geralmente é tímido. “Nossa esperança é que ao abordar a cessação do tabagismo em uma população de pacientes de câncer possamos tornar mais fácil para os oncologistas apoiar seus pacientes de forma eficaz", afirmou.
 
De acordo com as Diretrizes, a combinação de terapia farmacológica e aconselhamento é o tratamento mais eficaz e leva a melhores resultados na cessação do tabagismo. Além disso, o tabagismo deve ser documentado nos registros de saúde do paciente e atualizado em intervalos regulares. A recaída é comum, e os provedores de saúde devem discutir a recaída e fornecer orientações ao paciente.
 
"O guideline é um complemento fundamental às diretrizes para cuidados de suporte", disse Robert W. Carlson, presidente executivo do NCCN. "Enfrentar o impacto físico e comportamental de dependência do cigarro e oferecer um sistema de apoio para pessoas com câncer pode impactar positivamente sua qualidade de vida, tanto durante o tratamento como em sua sobrevida."
 
Para Zukin, o guideline ajuda muito, uma vez que a grande maioria dos oncologistas está despreparada para essa abordagem, mantendo-se focada no tratamento específico da doença. “Ele não apenas orienta, mas reforça a necessidade dessa estratégia”, diz.
 
As diretrizes se juntam a uma biblioteca de 10 orientações adicionais do NCCN sobre cuidados de suporte, que compreendem as recomendações de tratamento baseadas em evidências para cuidados de suporte, que incluem dor, anemia e infecções relacionadas ao tratamento do câncer, fadiga, gestão do stress, cuidados paliativos e sobrevida. O NCCN publica uma biblioteca com 61 diretrizes clínicas detalhando as decisões sequenciais de gestão e intervenções que atualmente se aplicam a 97% dos cânceres que afetam as pessoas nos Estados Unidos, bem como a prevenção do câncer, diagnóstico, redução de riscos, e recomendações relacionadas com a idade.
 
Mais informações: http://www.nccn.org/
 


Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519