23092021Qui
AtualizadoQua, 22 Set 2021 10pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Destaques de 2020 no panorama gastrointestinal

Gastrointestinal Disorders NET OKO ensaio randomizado de Fase II (DESTINY-Gastric01)está entre os destaques de 2020 no panorama GI-não colorretal, ao lado de avanços importantes no tratamento de GIST e em tumores neuroendócrinos. Em tumores colorretais, estudos já consagrados voltaram a ocupar a agenda científica, como o estudo colaborativo IDEA, o ensaio BEACON CRC e o também Fase III PRODIGE, em ano que confirmou tendências e corroborou evidências.

Resultados de ensaio randomizado de Fase II (DESTINY-Gastric01)1 apresentados no ASCO2020 e publicados simultaneamente por Shitara et al no New England Journal of Medicine mostraram que o anticorpo droga-conjugado Fam-trastuzumab deruxtecan-nxki promoveu melhora clínica e estatisticamente significativa na sobrevida de pacientes com câncer gástrico metastático ou de junção gastroesofágica HER2-positivo. O estudo está entre os destaques de 2020 no panorama GI-não colorretal, ao lado de avanços importantes no tratamento de GIST e em tumores neuroendócrinos.

O tumor estromal gastrointestinal (GIST, da sigla em inglês) é o sarcoma mais comum do trato gastrointestinal e nova análise de estudo de Fase III (INVICTUS)2 destacada em sessão oral no ESMO GI 2020 mostrou dados de eficácia e segurança do inibidor de tirosina-quinase ripretinib em pacientes politratados, submetidos a pelo menos 3 linhas de tratamento, consolidando evidências do novo agente como opção para o tratamento do GIST avançado.

Em tumores neuroendócrinos pancreáticos e de midgut, resultados do estudo de Fase II CLARINET FORTE3 foram destaque, mostrando que aumentar a frequência da dose de lanreotida do padrão de primeira linha de 120 mg a cada 28 dias para 120 mg a cada 14 dias ampliou a SLP, com mediana de até 8,3 meses (IC 95%: 5,5–8,3) em pacientes com TNEs de midgut (n = 51) e de até 5,6 meses (IC 95%: 5,5–8,3) em pacientes com TNEs pancreáticos (n = 48). A análise post-hoc de subgrupo na coorte de TNEs pancreáticos mostrou mediana de SLP de 8,0 meses em pacientes com Ki67 ≤10% (n = 43). Na prática, são resultados que demonstram benefício clinicamente significativo para uma população de pacientes com grande necessidade médica não atendida.

No câncer pancreático, resultados positivos de duas coortes do estudo TAPUR4 foram apresentados na edição virtual ASCO 2020 e reforçam o papel de olaparibe no câncer de pâncreas avançado com mutação BRCA1/2. Este é o primeiro basket trial de fase II realizado pela ASCO para avaliar a atividade antitumoral de terapias-alvo comercialmente disponíveis em pacientes com câncer avançado com alterações genômicas específicas, independentemente do sítio tumoral. Também entre os top 10 do ano em tumores pancreáticos merece lugar estudo de Fase II (SWOG S1505)5 que avaliou o tratamento peri-operatório tanto na doença ressecável quanto no cenário da doença boderline. Os resultados não mudam a prática, mas sugerem caminhos para refinar estratégias de tratamento.

GI colorretal

Com dados maduros, o estudo IDEA6 novamente concentrou as atenções, desta vez com resultados de sobrevida global e sobrevida livre de doença em 5 anos que continuam a apoiar o uso de CAPOX adjuvante por três meses para a maioria dos pacientes com câncer de cólon estágio III. No geral, a taxa de SG em 5 anos foi de 82,4% (3 meses) e 82,8% (6 meses), com HR estimada de 1,02 (95% [CI], 0,95-1,11; FDRa NI p, 0,058). A taxa de SLD em 5 anos foi de 69,1% (3 meses) e 70,8% (6 meses), com HR estimado de SLD de 1,08 (95% CI, 1,01-1,15, FDRa NI p, 0,22).

A análise estatística revelou diminuição de 0,4% na SG em 5 anos com 3 meses de quimioterapia versus 6 (HR 1,02, IC 95% [0,95-1,11]; p = 0,0583). No entanto, os resultados novamente falharam em atender às premissas de não-inferioridade.

Outro ensaio de Fase III destacado no panorama GI (BEACON CRC)7 apresentou dados maduros de sobrevida global com a combinação de terapias-alvo no tratamento do câncer colorretal metastático (CCRm) BRAF V600E. A análise atualizada mostrou sobrevida global mediana de 9,3 meses tanto com o regime duplo (encorafenibe, cetuximabe) quanto com o triplet (encorafenibe, binimetinibe, cetuximabe) versus 5,9 meses com quimioterapia padrão.

Novos dados do PRODIGE8 confirmam a tendência atual de maximizar a quimioterapia no contexto do tratamento neoadjuvante do câncer de reto. O estudo randomizou 461 pacientes com câncer de reto inicialmente ressecável (estádios cT3/4 Nx M0) e com mais de 15 cm da borda anal para comparar radioterapia e quimioterapia concomitante com capecitabina seguida de cirurgia (braço controle) com TNT (total neo-adjuvante therapy) na seguinte sequência: 6 ciclos de quimioterapia com esquema mFolforinox, radioterapia e quimioterapia igual ao braço controle e cirurgia (braço experimental). Pacientes tratados com neoadjuvância tiveram maior sobrevida livre de doença em 3 anos (75,7% versus 68,5%, p=0,034) e maior sobrevida global (78,8% versus 71,37%; p<0,02). “Essa estratégia visa melhorar o controle de doença à distância e aumentar a taxa de resposta do tumor primário, permitindo assim maior probabilidade de preservação do esfíncter”, analisa Robson Ferrigno, especialista em radioterapia.

Estudo que avaliou a preservação de órgão no adenocarcinoma retal tem posição garantida entre os highlights do ano. Dados preliminares publicados no JCO9 por Garcia-Aguilar, J. et al. demonstraram que pacientes com câncer retal localmente avançado que alcançam resposta clínica completa à terapia neoadjuvante podem ser abordados por vigilância ativa (watch and wait - WW) sem comprometer os resultados de sobrevida. A quimiorradioterapia (CRT) inicial seguida por quimioterapia de consolidação resultou em uma taxa de WW numericamente superior à quimioterapia de indução seguida por CRT.

Referências:

1 - Trastuzumab Deruxtecan in Previously Treated HER2-Positive Gastric Cancer - Kohei Shitara, M.D., et al., for the DESTINY-Gastric01 Investigators*

2 - Efficacy and safety of ripretinib as ≥4th-line therapy for patients with gastrointestinal stromal tumor (GIST) following crossover from placebo: Analyses from INVICTUS - César Serrano et al

3 - Pavel M et al. Efficacy and safety of lanreotide autogel (LAN) 120 mg every 14 days in progressive pancreatic or midgut neuroendocrine tumours (NETs): CLARINET FORTE study results. Abstract presented at ESMO Virtual Congress 2020, 19–21 September.

4 - Abstract #4637 - Olaparib (O) in patients (pts) with pancreatic cancer with BRCA1/2 inactivating mutations: Results from the Targeted Agent and Profiling Utilization Registry (TAPUR) study.

5 - SWOG S1505: Results of perioperative chemotherapy (peri-op CTx) with mfolfirinox versus gemcitabine/nab-paclitaxel (Gem/nabP) for resectable pancreatic ductal adenocarcinoma (PDA).

6 - Overall survival (OS) and long-term disease-free survival (DFS) of three versus six months of adjuvant (adj) oxaliplatin and fluoropyrimidine-based therapy for patients (pts) with stage III colon cancer (CC): Final results from the IDEA (International Duration Evaluation of Adj chemotherapy) collaboration. - Alberto F. Sobrero et al

7 - Encorafenib plus cetuximab with or without binimetinib for BRAF V600E metastatic colorectal cancer: Updated survival results from a randomized, three-arm, phase III study versus choice of either irinotecan or FOLFIRI plus cetuximab (BEACON CRC). - J Clin Oncol 38: 2020 (suppl; abstr 4001) - DOI: 10.1200/JCO.2020.38.15_suppl.4001

8 - Abstract#:4007 - Total neoadjuvant therapy with mFOLFIRINOX versus preoperative chemoradiation in patients with locally advanced rectal cancer: Final results of PRODIGE 23 phase III trial, a UNICANCER GI trial. 

9 - Preliminary results of the organ preservation of rectal adenocarcinoma (OPRA) trial. - DOI: 10.1200/JCO.2020.38.15_suppl.4008 Journal of Clinical Oncology 38, no. 15_suppl (May 20, 2020) 4008-4008.


Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519