31072021Sáb
AtualizadoQui, 29 Jul 2021 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Brasil aguarda posição do STF sobre aditivos no tabaco

Em setembro de 2014, a Anvisa reafirmou a norma que desde 2012 recomenda a proibição de 121 aditivos nos produtos derivados do tabaco, mas até agora a medida continua sem validade e aguarda a posição do Supremo Tribunal Federal (STF). O uso de aditivos que conferem aroma e sabor aos produtos derivados do tabaco tem o objetivo de estimular a iniciação do fumo por crianças e jovens. 

{jathumbnail off}O emprego dessas substâncias é um artifício para promover sabores e reduzir a aspereza da fumaça, tornando mais atraente e palatável a experiência com o tabaco. Substâncias como mentol, cravo, chocolate ou baunilha adicionadas ao tabaco ajudam a explicar porque 90% dos fumantes começam a fumar antes dos 19 anos. Para a OMS, o tabagismo é uma doença pediátrica.

Apesar da normativa da Anvisa e da recomendação de especialistas que argumentam contra o uso de aditivos, a pressão da indústria do tabaco acabou levando a decisão para o STF.

Especialistas do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) comentam o cenário atual sobre o uso de aditivos em produtos derivados do tabaco no Brasil.

Faça o download do texto:

{jd_file file==10}
Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519