30112020Seg
AtualizadoSeg, 30 Nov 2020 1am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Novo padrão de cuidados em LLC

John_Gribben_bx.jpgO 13º Linfoma Interchange Meeting reuniu em São Paulo grandes nomes da oncohematologia mundial nos dias 10 e 11 de abril. John Gribben (foto), professor da Barts and London School of Medicine e um dos investigadores do estudo CLL-11, falou com exclusividade ao Onconews sobre o obinutuzumabe, que acaba de receber a aprovação da Anvisa para o tratamento da Leucemia Linfocítica Crônica (LLC).

Como um dos investigadores do CLL-11, o que você tem a dizer sobre os diferenciais do Gazyva?

Acho que um dos principais aspectos desse estudo foi considerar os pacientes mais velhos. O CLL-11 foi essencialmente um estudo dirigido a uma população mais velha e esse é um diferencial, sem dúvida. Outra marca é ser uma comparação head to head, o que significa que é uma investigação corajosa para saber qual dos anticorpos monoclonais poderia trazer melhores resultados no tratamento da Leucemia Linfocítica Crônica: o rituximabe ou o obinutuzumab. Os resultados demonstraram claramente que o estudo foi bem sucedido ao trazer benefícios significativos para essa população de pacientes, assim como demonstraram que o novo agente foi superior em relação ao rituximabe. Então, o CLL-11 provou que é possível fazer estudos com pacientes mais velhos e estabeleceu que a associação de anticorpo monoclonal ao clorambucil é definitivamente melhor que o clorambucil isoladamente.  A superioridade do Gazyva® frente ao rituximabe também ficou evidenciada e esse é um aspecto que realmente chama a atenção, porque o fabricante teve a coragem de comparar um produto que alcança bilhões em volume de vendas com um novo produto, que agora está colocado a sua frente como o novo padrão de cuidados. Muitas companhias farmacêuticas não assumiriam esse desafio. Mas de tudo isso, o mais importante do estudo CLL 11 foi trazer para os pacientes um agente que realmente surpreende pela eficácia no tratamento da LLC, com excelente perfil de segurança.
 
E como selecionar os pacientes para o tratamento com esse novo anti CD-20?
O esquema padrão ainda é o FCR (fludarabina + ciclofosfamida + rituximabe). Os pacientes que se tornam refratários ou são intolerantes ao FCR é que são candidatos a receber clorambucil e Gazyva® , assim como aqueles com certas características que contraindicam o tratamento com fludarabina, por exemplo. Pacientes com esse perfil certamente podem ser selecionados para o novo anti CD-20 associado à quimioterapia com clorambucil. Na Europa e Estados Unidos, a bendamustina é uma opção também a ser considerada, mas no Brasil esse agente não está disponível, o que neste cenário torna a decisão mais direta entre FCR e obinutuzumabe associado a clorambucil.
 
Mesmo diante do envelhecimento populacional e da transição epidemiológica, parece haver certa resistência no tratamento de pacientes idosos. Tratar o idoso é um novo paradigma?
Sem dúvida. Por longo tempo, muita gente acreditou que o paciente idoso com câncer não merecia tratamento, que estava ali para morrer de câncer e que sistemas de saúde deveriam poupar  recursos para a população mais jovem. Com o envelhecimento, isso tem mudado, mas ainda é um desafio. A expectativa de vida aumenta e na próxima década teremos proporcionalmente uma população maior de idosos, pessoas que querem qualidade de vida e têm certamente direito a isso. Eu me sinto bastante forte e disposto e estou envelhecendo. Precisamos ter sempre em mente que nosso papel é oferecer o melhor tratamento disponível, porque não podemos agir como Deus e escolher quem você vai tratar e quem vai morrer de câncer. É importante observar que os sistemas de saúde também ganham com um tratamento efetivo, porque o paciente com menos complicações requer menos internações e tudo isso se reflete nos custos da saúde. Estudos que avaliaram as implicações econômicas do tratamento de LLC demonstraram que pacientes não tratados adequadamente gastaram mais com internações e impactaram ainda mais os custos da saúde em relação aqueles que receberam tratamento adequado.
 
E as perspectivas para o futuro? Acha que essa próxima geração de anti CD-20 deve ser considerada em novas indicações, para outras malignidades hematológicas?
Diversos estudos estão em andamento para testar uma série de outras indicações. O estudo de fase III GADOLIN compara bendamustina e obinutuzumabe em pacientes com linfoma não Hodgkin refratário e os resultados da análise interina mostraram benefícios significativos no braço tratado com obinutuzumabe comparado ao braço da bendamustina. Os dados finais são aguardados com expectativa e podem amparar mais uma indicação terapêutica. Mas é bom lembrar de tantos outros estudos, em linfomas de diferentes histologias. Não sabemos se nesses diferentes cenários o desempenho será tão extraordinário como foi no trial CLL-11, mas os dados preliminares do GADOLIN, que já são de domínio público, também mostraram a superioridade do obinutuzumabe em linfoma não Hodgkin. Estamos bastante otimistas.
 
E o perfil de segurança?
Em LLC é um agente bastante seguro, muito tolerável. Identificamos reações infusionais apenas no ciclo inicial, sem nenhuma outra reação nas infusões seguintes. Durante o desenvolvimento clínico do CLL-11, as reações também seguiram esse padrão e sabemos que existem formas de manejo com pré-medicações, o que significa que o tratamento é muito bem tolerado e garante qualidade de vida.

Que mensagem final gostaria de deixar à comunidade médica brasileira?
A mensagem de um tratamento revolucionário. No CLL-11 o obinutuzumabe aumentou em 18,8 meses a sobrevida livre de progressão comparado ao clorambucil e em 13,8 meses a sobrevida livre de progressão na comparação com rituximabe. Não há dúvida de que o rituximabe foi um grande divisor de águas e agora a próxima geração se mostra ainda mais efetiva. Passamos da quimioterapia à imunoterapia e acho que o Gazyva® realmente pode revolucionar a forma como vemos hoje essas doenças. Temos uma segunda geração que foi desenhada para ser superior tanto do ponto de vista de eficácia quanto de segurança e os dados do estudo clínico mostraram que esses objetivos foram claramente alcançados.

 


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519