24102019Qui
AtualizadoQua, 23 Out 2019 1pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

GETUG- 15 mostra na ASCO GU dados de longo prazo

GUSTAVO_FRANCO_CARVALHAL_NET_OK.jpgNo 2015 Genitourinary Cancers Symposium, Gwenaelle Gravis, do Institut  Paoli-Calmettes, em Marseille, França, apresentou uma análise atualizada com dados de sobrevida global (SG) do estudo de fase III GETUG 15 e concluiu que a adição de docetaxel à terapia de deprivação de androgênio não melhorou significativamente a sobrevida global em pacientes com câncer de próstata, com maior tempo de seguimento.O uro-oncologista Gustavo Franco Carvalhal (foto), comenta com exclusividade para o Onconews.


Câncer renal e obesidade

Obesidade_ASCO_1.jpgPesquisas recentes sugerem um "paradoxo da obesidade" no carcinoma de células renais (CCR). Pessoas obesas são mais predispostas a serem diagnosticadas com CCR, mas menos propensas a morrer da doença. Um estudo apresentado no 2015 Genitourinary Cancers Symposium por Kathryn M. Wilson, da Harvard  School of Public Health,  concluiu que a obesidade é um fator de risco para a incidência de carcinoma de células renais e confirmou o paradoxo, indicando  que os obesos são mesmo menos propensos a morrer da doença. Os oncologistas Fernando Maluf e Oren Smaletz comenta os resultados do estudo com exclusividade para o Onconews.

Estatinas no câncer de próstata hormônio-sensível

Fernando_Cotait_Maluf_NET_OK.jpgO uso da estatina tem sido associado a uma diminuição do risco de recorrência após a terapia local e a um menor risco de mortalidade por câncer de próstata. Lauren Christine Harshman, do Dana-Farber Cancer Institute, apresentou estudo no 2015 Genitourinary Cancers Symposium avaliando a associação entre o uso de estatinas e a progressão do câncer de próstata entre os homens recém-iniciados na terapia de deprivação androgênica (ADT, da sigla em inglês). O oncologista Fernando Maluf (foto) comenta o estudo para o Onconews.

COMET: resultados finais na ASCO GU

Fabio_Schutz.jpgDois estudos randomizados de fase III com o agente cabozantinibe em câncer de próstata metastático resistente à castração (COMET-1 e COMET- 2) apresentaram na ASCO GU deste ano os resultados finais, que não alcançaram os desfechos previstos. O oncologista Fábio Schultz (foto), do Centro Oncológico Antonio Ermírio de Moraes (COAEM), comenta os estudos com exclusividade para o Onconews.

ASSURE: resultados negativos na ASCO GU

RIM_CAPA_NET_OK.jpgApontado como um dos destaques do 2015 Genitourinary Cancers Simposium, o estudo ASSURE não alcançou os desfechos de sobrevida. Os resultados da análise final mostram que sorafenibe ou sunitinibe não melhoram a evolução no câncer renal localmente avançado, no cenário adjuvante. O prazo médio de recorrência da doença foi semelhante entre os que receberam as drogas após a cirurgia (5,6 anos) e aqueles tratados com placebo (5,7 anos). Os oncologistas Fabio Schutz e Oren Smaletz comentam o estudo com exclusividade para o Onconews.


Publicidade
banner personal2019 250x300p
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519