21072019Dom
AtualizadoQui, 18 Jul 2019 7pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

ASCO GU 2019

Combinação de imunoterapia mostra dados de longo prazo na 1ª linha do câncer renal

nizar tannir ascogu2019A combinação de nivolumabe + ipilimumabe mostrou ganho de sobrevida global na comparação com sunitinibe no seguimento de 17,5 meses. Os dados do estudo CheckMate 214 balizaram a aprovação pela Anvisa da combinação como primeira linha de tratamento para pacientes com câncer renal avançado ou metastático de risco intermediário ou alto, sem tratamento prévio. Os dados de longo prazo (30 meses) da combinação foram apresentados no ASCO GU 2019 pelo oncologista Nizar Tannir (foto), médico do MD Anderson Cancer Center.

Os pacientes com câncer renal de células claras avançado foram randomizados 1:1 para receber nivolumabe 3 mg/kg + ipilimumabe 1 mg/kg Q3W×4 e, em seguida, nivo 3 mg/kg Q2W ou sunitinibe 50 mg por dia por 4 semanas, com 2 semanas de descanso. Os endpoints co-primários foram sobrevida global, taxa de resposta objetiva (ORR) por RECISTv1.1 e sobrevida livre de progressão por IRRC (immune-related response criteria) aos 30 meses.

Resultados

Após 30 meses de seguimento, a sobrevida global permaneceu significativamente superior nos pacientes com nivo + ipi em comparação com sunitinibe; a HR para sobrevida global em pacientes com risco favorável melhorou para nivo + ipi versus a análise anterior (1,22 [95% CI 0,73-2,04] v 1,45 [99,8% CI 0,51-4,12]). A ORR também foi maior com nivo + ipi versus S na análise por intenção de tratar, mas as curvas de SLP permanecem sobreposta (Tabela).

No braço de nivo + ipi comparado a sunitinibe, 15% versus 9% dos pacientes permanecem em terapia, e 48% versus 61% receberam terapia sistêmica de segunda linha; 39% dos pacientes receberam tratamento subsequente com inibidores de checkpoint imune.

Em relação à toxicidade, 50% versus 10% permaneceram em tratamento com nivo + ipi (n = 56) versus S (n = 10). Eventos adversos graus 3-4 que levaram à interrupção foram reportados por 5 pacientes no grupo da combinação nivo + ipi e em 7 pacientes no grupo sunitinibe.

Em conclusão, aos 30 meses de seguimento, SG e ORR continuam a melhorar com nivo + ipi versus S e não surgiram novos sinais de segurança com maior tempo de seguimento.

Arm; n

ITT

I/P

Fav

 
 
 

N+I; 550

S; 546

N+I; 425

S; 422

N+I; 125

S; 124

 

mOS 

NR 

37.9 

NR 

26.6 

NR 

NR 

 

(95% CI), mo 

(NE–NE)

(32.2–NE)

(35.6–NE)

(22.1–33.4)

(NE–NE)

(NE–NE)

 

HR (95% CI) 

             

P value

0.71 (0.59–0.86) 

0.66 (0.54–0.80) 

1.22 (0.73–2.04) 

 
 

0.0003

< 0.0001

0.443

 

OS at 24 mo, %

71

61

66

53

85

88

 

ORR per inv 

41 

34 

42 

29 

39 

50 

 

(95% CI), %

(37–46)

(30–38)

(37–47)

(25–34)

(31–48)

(41–59)

 

P value

0.0154

0.0001

0.1436

 

CR, %

11

2

11

1

8

4

 

mPFS per inv 

9.7 

9.7 

8.2 

8.3 

13.9 

19.9 

 

(95% CI), mo 

(8.1–11.1)

(8.3–11.1)

(6.9–10.0)

(7.0–8.8)

(9.9–17.9)

(15.1–23.5)

 

HR (95% CI) 

             

P value

0.85 (0.73–0.98) 

0.77 (0.65–0.90) 

1.23 (0.90–1.69) 

 
 

0.027

0.001

0.189

 

PFS at 24 mo, %

31

23

30

17

35

40

 

Referência: Abstract 547: Thirty-month follow-up of the phase III CheckMate 214 trial of first-line nivolumab + ipilimumab (N+I) or sunitinib (S) in patients (pts) with advanced renal cell carcinoma (aRCC). - Nizar M. Tannir et al

Publicidade
300x250 ad onconews200519
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner ibcc2019 300x250