24082019Sáb
AtualizadoSex, 23 Ago 2019 1pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

ASCO GU 2019

Imunoterapia, perfil genômico e desfechos no câncer renal

paulo bergerot bxEvidências atuais indicam resultados superiores com imuno-oncológicos em pacientes com câncer renal metastático (mRCC) com perda de mutações de função PBRM1 (Miao et al., Nature, 2018). Estudo com participação do oncologista brasileiro Paulo Bergerot (foto) apresentado no ASCO GU 2019 procurou demonstrar a associação entre a mutação PBRM1 e a resposta a terapias-alvo e a imuno-oncológicos em uma coorte retrospectiva.

Métodos

Pacientes consecutivos com mRCC que apresentavam perfis genômicos durante o atendimento clínico de rotina foram identificados a partir de um banco de dados institucional. Informações sobre tratamento sistêmico também foram coletadas e a mediana da duração do tratamento com a primeira terapia- alvo e a primeira imunoterapia foi calculada para cada paciente e comparada entre os grupos com PBRM1 + e PBRM1-. Apenas as mutações PBRM1 com significância funcional documentadas no COSMIC foram consideradas.

Resultados

Entre 104 pacientes com mRCC, 82 receberam terapias-alvo, 35 receberam imuno-oncológicos e 45 pacientes receberam ambos. O perfil genômico foi realizado em sangue e tecido em 84 e 63 pacientes, respectivamente, e 25 pacientes (24%) com mutações PBRM1 foram identificados. Entre aqueles com PBRM1 + , a mediana de duração do tratamento foi de 8,8 meses e 2,3 meses com terapias-alvo e imuno-oncológicos, respectivamente (IC 95%, 1,7 - 2,8; p = 0,049). Entre os pacientes com PBRM1 negativo, a mediana de duração de tratamento foi de 5,5 meses e 2,8 meses com terapias-alvo e imuno-oncológicos, respectivamente (p = 0,544).

Na população avaliada, 11 pacientes PBRM1 + e 34 PBRM- receberam terapia-alvo e imunoterapia. A duração de tratamento foi maior no grupo PBRM1- comparado ao grupo com expressão positiva de PBRM1 + (0,76 versus 0,37 respectivamente, p = 0,014).

Em conclusão, os autores afirmam que não conseguiram replicar nesta população os resultados de Miao et al, sugerindo benefício clínico com IO em pacientes com mutação no PBRM1. “Embora limitados pelo tamanho da amostra, os resultados contrastantes do estudo atual com a literatura destacam a importância da validação clínica em um cenário amplo e prospectivo”, propõem.

Referência: Duration of treatment (DOT) with targeted therapies (TT) or immunotherapy (IO) in PBRM1 mutated metastatic renal cell carcinoma (mRCC). - J Clin Oncol 37, 2019 (suppl 7S; abstr 622)

Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner ibcc2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519