17062019Seg
AtualizadoDom, 16 Jun 2019 10pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

ASCO 2019

Anticorpo conjugado é nova promessa no câncer urotelial

daniel petrylak asco19 bxO câncer urotelial permanece com limitadas opções terapêuticas no cenário localmente avançado ou metastático. Agora, uma nova promessa vem do anticorpo conjugado enfortumab-vedotin, que anunciou resultados encorajadores de estudo Fase II (EV-201) com uma primeira coorte de pacientes, mostrando taxa de resposta objetiva de 44% (LBA4505). O investigador principal é Daniel Petrylak (foto), do Yale Cancer Center.

Neste estudo, foram avaliados 125 pacientes com câncer urotelial localmente avançado ou metastático que receberam tratamento prévio, tanto com quimioterapia contendo platina, quanto com anti-PD -1/ PD-L1.

Os resultados mostraram taxa de resposta objetiva (ORR) de 44% e a duração da resposta foi consistente com a relatada no estudo anterior de fase I (EV-101). Um total de 12% dos pacientes apresentou resposta completa, sem sinais detectáveis de câncer.

Os eventos adversos mais comuns relacionados ao tratamento incluíram fadiga (50%), alopecia (49%), diminuição do apetite (44%), erupção cutânea e neuropatia periférica.

"Apesar das recentes aprovações de múltiplos inibidores de checkpoint imune para câncer urotelial localmente avançado ou metastático, tratamentos eficazes após progressão à quimioterapia inicial e imunoterapia permanecem como uma necessidade não satisfeita", disse Roger Dansey, diretor médico da Seattle Genetics, parceira da Astellas Pharma na pesquisa e desenvolvimento do novo agente.

Enfortumab vedotin visa a Nectina-4, proteína encontrada em 97% dos tumores uroteliais, incluindo câncer da bexiga (90% dos casos), uretra, ureteres, pelve renal e órgãos adjacentes. "Estes resultados da fase II replicam os achados da fase I, o que não é frequente em ensaios clínicos", disse Petrylak. 

Referência: Abstract LBA4505: EV-201: Results of enfortumab vedotin monotherapy for locally advanced or metastatic urothelial cancer previously treated with platinum and immune checkpoint inhibitors. - Daniel Peter Petrylak et al - J Clin Oncol 37, 2019 (suppl; abstr LBA4505)

Publicidade
300x250 ad onconews200519
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner ibcc2019 300x250