29022024Qui
AtualizadoQua, 28 Fev 2024 5pm

SAN ANTONIO 2023

Aprovação de T-DXd e novo status de HER2 mostram impacto positivo

pedro exmanEstudo retrospectivo de pesquisadores do Hospital Alemão Oswaldo Cruz buscou avaliar os critérios que definem o status de HER2 low no câncer de mama, compreendendo o período que antecede a publicação do ensaio Destiny-Breast 04, que embasou o registro de Trastuzumabe-deruxtecana (T-DXd) para esse status de HER2, e após o registro de T-DXd pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Brasil. O trabalho tem como autor sênior o oncologista Pedro Exman (foto), e mostra o impacto positivo da chegada de T-DXd e da nova classificação de HER2.

O baixo status de HER2 (HER2 low) é definido pela expressão imuno-histoquímica (IHC) para receptor 2 do fator de crescimento epidérmico humano (HER2) 1+ ou IHC 2+ sem amplificação do gene ERBB2. Os casos de câncer de mama (CM) com baixo HER2 (HER2 low) representam aproximadamente 55% de todos os casos da doença, e entre os tumores com receptor hormonal positivo (HR+) representam até 60% dos pacientes, variando de 10%-20% em tumores triplo negativo (TNBC).

Trastuzumabe-deruxtecana (T-DXd) foi aprovado pela agência norte-americana FDA para câncer de mama HER2 low com base no estudo Destiny-Breast 04 (DB04), que demonstrou benefício robusto de sobrevida global em pacientes com HR + ou TNBC fortemente pré-tratados. No Brasil, a Anvisa também aprovou T-DXd no tratamento do câncer de mama.

Este estudo tem como objetivo avaliar se o diagnóstico de baixo status de HER-2 foi impactado de acordo com o momento do diagnóstico - antes da publicação do DB04 e após a aprovação do medicamento pela ANVISA - em um centro oncológico de referência no Brasil.

Entre 1º de outubro de 2021 e 1º de junho de 2023, pacientes diagnosticados com câncer de mama foram classificados em 2 grupos, de acordo com o momento do diagnóstico. O Grupo 1 (g.01) incluiu aqueles que foram diagnosticados entre 1º de outubro de 2021 até a publicação do DB04 em 7 de julho de 2022; e o Grupo 2 (g.02) incluiu pacientes diagnosticados após aprovação de T-DXd pela ANVISA em 31 de outubro de 2022, até 1º de junho de 2023. Todas as análises anatomopatológicas do tumor primário de mama foram realizadas por 2 patologistas mamários experientes.

A pontuação HER-2 IHQ foi definida de acordo com a diretriz ASCO/CAP 2018. O endpoint primário foi avaliar a proporção de pacientes definidos como HER-2 low de acordo com o momento do diagnóstico. O endoint secundário buscou avaliar a mudança na prática dos patologistas para distinguir os resultados IHC 1+ de 0 após a definição de HER-2 low. Para comparar as variáveis categóricas entre os grupos, utilizou-se o teste Qui-quadrado. Valores de P abaixo de 0,05 foram considerados estatisticamente significativos. As análises estatísticas foram realizadas com o programa R (R Foundation, Viena, Áustria).

Os resultados apresentados no SABCS 2023 consideraram um total de 713 pacientes com diagnóstico de câncer de mama, sendo 401 (56%) no g.01 e 312 (44%) no g.02. No geral, antes da publicação do DB04, o diagnóstico HER “NOS negativo” sem subdivisão na pontuação 0 ou 1 foi encontrado em 127 (31,7%), mas apenas em 27 (8,7%) laudos na g.02 (p=0,007-13). Baixo status de HER-2 foi observado em 12,2% em g01 e em 33,3% dos pacientes em g.02 (p < 0,00001). Especificamente, o escore negativo 0 foi encontrado em 45,6% dos pacientes do g.01 e em 44,6% do g.02 (p= 0,014).

Exman e colegas descrevem que também foi observada diferença significativa entre os pacientes com escore negativo 1+ entre os grupos (6,0% vs 21,2%, p=0,009-3), conforme apresentado na tabela abaixo. Não foi observada diferença significativa na frequência do escore HER2 2+ e escore 3+ entre g.01 e g.02.

“O impacto recente de um tratamento altamente eficaz derivado da definição do câncer de mama HER-2 low levou a uma maior relevância na diferenciação do IHC 1+ do IHC 0, ambos considerados HER negativo pelos protocolos ASCO/CAP. A distinção entre HER2 0 e 1+ está sujeita à considerável variabilidade interobservador, e o momento da aprovação regulatória demonstrou uma influência direta no diagnóstico de HER-low”, concluem os pesquisadores.

Influence of regulatory agency approval of trastuzumab-deruxtecan on the diagnosis of HER2-low status at a reference cancer center in Brazil

HER2 IHQ results

Group 1

Group2

p-value

Negative (NOS)

127

27

0.007-13

Negative (Score 0)

183

139

0.014

Score 1+

24

66

0.009-3

Score 2+

25

38

0.101

Positive (Score 3+)

42

42

>0.999

Total

401

312

 

Referência: PO1-17-04 - Influence of regulatory agency approval of trastuzumab-deruxtecan on the diagnosis of HER2-low status at a reference cancer center in Brazil. P. Vianna. Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ABBVIE
Publicidade
LIBBS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
INTEGRAL HOME CARE
Publicidade
300x250 ad onconews200519