29022024Qui
AtualizadoQua, 28 Fev 2024 5pm

SAN ANTONIO 2023

Análise agrupada da série MONALEESA confirma benefício de ribociclibe em pacientes idosos

IdosaA adição de ribociclibe (RIB) à terapia endócrina (TE) mostrou benefício clínico e estatisticamente significativo de sobrevida livre de progressão (SLP) e sobrevida global (SG) nos estudos MONALEESA-2, 3 e 7 em pacientes com câncer de mama avançado HR+/HER2−. No SABCS 2023, análise de dados agrupados avaliando eficácia e qualidade de vida em pacientes idosos confirma o benefício de ribociclibe independentemente da idade.

Os dados foram agrupados dos ensaios MONALEESA-2, 3 e 7 compreendendo pacientes com câncer de mama avançado HR+/HER2− na pré e pós-menopausa tratadas com RIB + TE de primeira linha ou placebo (PBO) + TE. A análise considerou SLP, SG e o tempo até a primeira quimioterapia (TTC) em pacientes <65 anos, 65- <75 anos e ≥75 anos usando métodos de Kaplan-Meier. Tempo para deterioração definitiva (TTD) em ≥10 pontos no estado de saúde global (GHS) foi analisado em todos os subgrupos etários por métodos de Kaplan-Meier.

Os resultados apresentados no SABCS 2023 mostram que dos 1.229 pacientes incluídos nesta análise, 773 (62,9%) tinham <65 anos, 335 (27,3%) tinham 65 - <75 anos e 121 (9,8%) tinham ≥75 anos. Houve pequenas diferenças nas características basais entre as faixas etárias: % ligeiramente maior de pacientes no grupo ≥75 anos com status ECOG de 1 e ligeiramente maior, percentual de doença de novo no grupo <65 anos (veja tabela abaixo).

Independentemente da idade, o benefício de SLP e SG foi observado com RIB + TE vs PBO + TE (Tabela). RIB + TE também atrasou o TTC mediano em todas as faixas etárias. No grupo RIB +TE, o primeiro tratamento antineoplásico subsequente mais comum foi apenas terapia hormonal (<65 anos, 26,3%; 65- <75 anos, 41,6%; ≥75 anos, 38,1%). No subgrupo ≥75 anos, os pacientes no braço RIB + TE (6,3%) usaram quimioterapia isolada com menos frequência como primeiro tratamento antineoplásico subsequente versus o braço PBO + TE (24,5%).

Em pacientes <65 anos, os resultados de segurança foram consistentes com os da população geral do ensaio. Nos pacientes de 65- <75 anos e ≥75 anos, os eventos adversos (EAs) de qualquer grau mais comuns com RIB + TE vs PBO + TE foram neutropenia (67,6% vs 5,4% e 52,9% vs 3,8%), náusea (52,7% vs 32,0% e 52,9% vs 40,4%), fadiga (42,0% vs 38,1% e 36,8% vs 21,2%) e diarreia (39,9% vs 30,6% e 48,5% vs 32,7%). Para RIB + TE vs PBO + TE, taxas de neutropenia febril grau 3/4 (<65 anos, 1,2% vs 0,3%; 65-<75 anos, 1,1% vs 0; ≥75 anos, 2,9% vs 0), doença pulmonar intersticial de todos os graus (<65 anos, 1,0% vs 0,6%; 65- <75 anos, 2,7% vs 0,7%; ≥75 anos, 7,4% vs 0) e todos os graus de prolongamento do intervalo de quimioterapia (<65 anos, 9,1% vs. 2,9%; 65- <75 anos, 11,2% vs 4,1%; ≥75 anos, 16,2% vs 1,9%) foram numericamente maiores nos pacientes 65- <75 anos e ≥75 anos do que em pacientes <65 anos.

Taxas de descontinuação devido a EAs com RIB + TE vs PBO + TE foram 14,6% vs 3,1% em pacientes <65 anos, 19,7% vs 6,8% em pacientes 65- <75 anos e 41,2% vs 7,7% naqueles ≥75 anos. Nos pacientes que interromperam o tratamento devido a EAs, a redução foi de 34,4% em pacientes <65 anos, 40,5% naqueles de 65- <75 anos e de 50,0% em pacientes ≥75 anos. O tempo para deterioração definitiva no GHS foi prolongado com RIB + TE em pacientes <65 anos. Nos pacientes 65-<75 anos e ≥75 anos, o TTD foi geralmente semelhante com RIB + TE vs PBO + TE (Tabela).

“Esta análise agrupada dos ensaios MONALEESA-2, 3 e 7 demonstrou benefício de SLP e SG com RIB + TE em pacientes idosos consistentes com aqueles observados em pacientes mais jovens. Ao longo dos subgrupos etários, o tratamento com RIB + ET também atrasou o tempo para qumioterapia. No geral, ribociclibe foi bem tolerado em pacientes idosos, com perfil de segurança consistente com o que é esperado para essa população.  Além disso, não houve diferença no TTD no GHS com RIB + TE vs PBO +TE em pacientes 65- <75 anos e naqueles ≥75 anos”, conclui a análise.

 

< 65 y

65 < 75 y

≥ 75 y

 

RIB+ET

n=419

PBO+ET

n=354

RIB+ET

n=188

PBO+ET

n=147

RIB+ET

n=68

PBO+ET

n=53

Age, mean, y

50.6

51.0

68.7

69.0

79.2

78.1

ECQG, %a

0

68.7

68.6

53.7

61.2

54.4

50.9

1

31.0

31.1

46.3

38.8

45.6

49.1

De novo, %

43.4

42.9

37.8

36.7

38.2

35.8

mPFS, mo

31.8

16.4

35.7

19.2

31.1

19.3

HR [95% Cl)

0.56 (0.47-0 66)

0.55 (0.42-0.73)

0.54 (0.34-0.86)

mOS, mo

67.6

51.7

72.6

59.8

62.1

52.8

HR [95% Cl)

0.69 (0.56-0 84)

0.79 (0.58-1.07)

0.75 (0.46-1.21)

mTTC,mo

58.0

40.2

NE

48.3

80.3

42.3

HR [95% Cl)

0.67 (0.55-0.83)

0.64 (0.47-0.89)

0.48 (0.27-0.87)

TTD inGHS

HR [95% Cl)

0.61 (0.47-0.80)

0.90 (0.57-1.42)

1.26 (0.57-2.80)

..

aFor the <65 y age group, 1 patient in each arm had unknown ECOG status. ECOG, Eastem Cooperative Oncology Group; ET, endocrine therapy; GHS, Global Health Status; OS, overall survival; PBO, placebo; PFS, progression-free survival; RIB, ribociclib; TTC, time to chemotherapy; TTD; time to definitive deterioration.

Referência: PS02-01: Efficacy, safety, and quality of life with ribociclib + endocrine therapy in elderly patients with HR+/HER2– advanced breast cancer across the MONALEESA-2, -3, and -7 trials

Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ABBVIE
Publicidade
LIBBS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
INTEGRAL HOME CARE
Publicidade
300x250 ad onconews200519