29022024Qui
AtualizadoQua, 28 Fev 2024 5pm

ASH 2023

Tratamento guiado por doença residual mensurável mostra resultados na LLC

sangue venetoclaxO tratamento com ibrutinib + venetoclax guiado por doença residual mensurável melhorou a sobrevida livre de progressão em comparação com o regime FCR (fludarabina-ciclofosfamida-rituximab) em pacientes com leucemia linfocítica crônica. É o que demonstram os resultados do estudo de Fase 3 FLAIR, apresentado no ASH 2023 e publicado simultaneamente na New England Journal of Medicine (NEJM).

“A combinação de ibrutinibe e venetoclax demonstrou melhorar os resultados em pacientes com leucemia linfocítica crônica (LLC) em comparação com a quimioimunoterapia. No entanto, não está claro se ibrutinibe-venetoclax e a personalização da duração do tratamento de acordo com a doença residual mensurável (DRM) são mais eficazes em comparação com fludarabina-ciclofosfamida-rituximab (regime FCR)”, afirmaram os autores.

Neste estudo de Fase 3, multicêntrico, randomizado, controlado e de plataforma aberta, envolvendo pacientes com LLC não tratado, os pesquisadores compararam ibrutinibe-venetoclax e ibrutinibe em monoterapia com FCR. No grupo ibrutinibe-venetoclax, após 2 meses de ibrutinibe, venetoclax foi adicionado por até 6 anos de tratamento.

A duração da terapia com ibrutinibe-venetoclax foi definida pela doença residual mensurável (DRM) avaliada no sangue periférico e na medula óssea e foi o dobro do tempo necessário para atingir DRM indetectável. O endpoint primário foi a sobrevida livre de progressão no grupo ibrutinibe-venetoclax em comparação com o grupo FCR, resultados relatados na publicação da NEJM. Os principais endpoints secundários foram sobrevida global, resposta, DRM e segurança.

Resultados

Um total de 523 pacientes foram randomizados para o grupo ibrutinibe-venetoclax ou grupo FCR. Em uma mediana de 43,7 meses, progressão da doença ou morte ocorreu em 12 pacientes no grupo ibrutinibe-venetoclax e 75 pacientes no grupo FCR (hazard ratio, 0,13; 95% CI, 0,07 a 0,24; P <0,001). A morte ocorreu em 9 pacientes no grupo ibrutinibe-venetoclax e 25 pacientes no grupo FCR (HR, 0,31; 95% CI, 0,15 a 0,67).

Aos 3 anos, 58% dos pacientes do grupo ibrutinibe-venetoclax interromperam a terapia devido a DRM indetectável. Após 5 anos de terapia com ibrutinibe-venetoclax, 65,9% dos pacientes apresentavam DRM indetectável na medula óssea e 92,7% apresentavam DRM indetectável no sangue periférico.

O risco de infecção foi semelhante no grupo ibrutinibe-venetoclax e no grupo FCR. A porcentagem de pacientes com eventos adversos cardíacos graves foi maior entre os pacientes tratados com ibrutinibe-venetoclax em comparação com aqueles que receberam FCR (10,7% vs. 0,4%).

“O tratamento com ibrutinibe + venetoclax guiado por doença residual mensurável melhorou a sobrevida livre de progressão em comparação com o regime FCR (fludarabina-ciclofosfamida-rituximab) em pacientes com leucemia linfocítica crônica, e os resultados de sobrevida global também favoreceram ibrutinibe-venetoclax”, concluíram os autores.

O estudo foi financiado pela Cancer Research UK; FLAIR ISRCTN, ISRCTN01844152; EudraCT, 2013-001944-76. 

Referência: Munir T, Cairns DA, Bloor A, Allsup D, Cwynarski K, Pettitt A, Paneesha S, Fox CP, Eyre TA, Forconi F, Elmusharaf N, Kennedy B, Gribben J, Pemberton N, Sheehy O, Preston G, Schuh A, Walewska R, Duley L, Howard D, Hockaday A, Jackson S, Greatorex N, Girvan S, Bell S, Brown JM, Webster N, Dalal S, de Tute R, Rawstron A, Patten PEM, Hillmen P; National Cancer Research Institute Chronic Lymphocytic Leukemia Subgroup. Chronic Lymphocytic Leukemia Therapy Guided by Measurable Residual Disease. N Engl J Med. 2023 Dec 10. doi: 10.1056/NEJMoa2310063. Epub ahead of print. PMID: 38078508.

 

Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ABBVIE
Publicidade
LIBBS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
INTEGRAL HOME CARE
Publicidade
300x250 ad onconews200519