14042024Dom
AtualizadoSex, 12 Abr 2024 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

ASCO GU 2023

Dieta rica em vegetais e menor risco de progressão e recorrência do câncer de próstata

vegetais asco gu 23Pacientes com câncer de próstata que relataram maiores quantidades de ingestão de vegetais plantas em suas dietas apresentaram risco 52% menor de progressão do câncer e um risco 53% menor de recorrência da doença em comparação com pacientes que relataram menor quantidade de vegetais. Os resultados são de análise realizada em mais de dois mil participantes do estudo Cancer of the Prostate Strategic Urologic Research Endeavor (CaPSURE), e foram apresentados no ASCO GU 2023.

“Embora nem todas as dietas sejam iguais em termos de fatores de risco modificáveis para a progressão do câncer de próstata, esperamos que esses resultados orientem as pessoas em risco a fazer escolhas melhores e mais saudáveis em sua dieta”, afirmou Vivian Liu, coordenadora de pesquisa clínica do Osher Center for Integrative Health da Universidade da Califórnia e principal autora do estudo. “Sabemos que dietas que incluem vegetais, frutas, legumes e grãos integrais estão associadas a inúmeros benefícios à saúde, incluindo redução de diabetes, doenças cardiovasculares e mortalidade geral. Agora podemos adicionar benefícios na redução da progressão do câncer de próstata a essa lista”, acrescentou.

As dietas à base de vegetais têm sido associadas a múltiplos benefícios para a saúde. Especificamente no câncer de próstata, alimentos vegetais individuais (por exemplo, tomates com licopeno) parecem reduzir a incidência e mortalidade da doença. No entanto, pouco se sabe sobre os padrões alimentares à base de vegetais e a sobrevida do câncer de próstata.

No ASCO GU 2023, pesquisadores relataram os resultados de 2.038 homens diagnosticados com câncer de próstata T1-T3a inscritos no no estudo Cancer of the Prostate Strategic Urologic Research Endeavor (CaPSURE). Os pacientes preencheram um questionário de frequência alimentar (FFQ) em média 31,5 meses após o diagnóstico. Índices dietéticos globais e baseados em vegetais saudáveis (PDI e hPDI, respectivamente) foram calculados a partir do questionário de frequência alimentar. Os modelos multivariáveis de riscos proporcionais de Cox estimaram taxas de risco ajustadas (HR) e intervalos de confiança de 95% (CI) para associações entre dietas à base de vegetais e risco de progressão do câncer de próstata (recorrência, tratamento secundário, metástases ósseas ou morte pela doença) como o resultado primário; recorrência do câncer de próstata foi um desfecho secundário. Os autores também avaliaram o impacto das associações de idade, estágio, grau e ritmo de caminhada nos desfechos.

Resultados

Foram observados 204 eventos de progressão (169 devido à recorrência bioquímica) em um acompanhamento médio de 7,4 anos após o questionário de frequência alimentar. Homens no quintil mais alto do Índice dietético global (PDI) tiveram um risco 52% menor de progressão (HR 0,48, 95% CI 0,36-0,65, p-trend <0,001) e um risco 53% menor de recorrência (HR 0,47, 95% CI 0,32-0,68, p-trend <0,001) em comparação com os homens no quintil mais baixo.

Embora o índice baseado em vegetais saudáveis (hPDI) não tenha sido associado à progressão ou recorrência do câncer de próstata (p-trend > 0,05), os homens nos quintis mais altos tiveram reduções estatisticamente significativas no risco de recorrência. Entre os homens com mais de 65 anos, o maior consumo de uma dieta saudável baseada em vegetais foi associado a um menor risco de recorrência de câncer de próstata (HR 0,41, 95% CI 0,24-0,7, p-trend = 0,03). Além disso, entre aqueles com um ritmo de caminhada intenso/rápido (>3h/semana), os homens no quintil de PDI mais alto tiveram um risco 56% menor (HR 0,33, 95% CI 0,26, 0,73) de progressão do câncer de próstata e 59% (HR 0,41, 95% CI 0,25, 0,68) de redução no risco de recorrência da doença. O grau e o estágio não modificaram as associações entre o índice e a progressão ou recorrência do câncer de próstata.

“Este estudo indica que os padrões dietéticos à base de vegetais estão associados a um menor risco de progressão e recorrência do câncer de próstata, especialmente entre os homens mais velhos e aqueles que relataram um ritmo de caminhada de maior intensidade. Os sobreviventes podem receber aconselhamento sobre dieta e exercícios para melhorar os resultados clínicos após o diagnóstico da doença”, concluíram os autores.

Referência: Associations between plant-based diets and risk of disease progression in men with prostate cancer.
First Author: Vivian N Liu, BS
Meeting: 2023 ASCO GU Cancers Symposium
Session Type: Poster Session
Session Title: Poster Session A: Prostate Cancer
Track: Prostate Cancer- Localized
Subtrack: Other
Abstract #: 392

 

 
Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519